Naiana Wohlke Cé começou a aprender jazz aos 8 anos de idade. Com

15, passou a dar aulas de dança para alunos de uma escola de ensino

regular. Aos 17, viu-se às voltas com o dilema da escolha profissional

e decidiu dar continuidade, em um curso superior, à paixão pelos

movimentos rítmicos do corpo. “Eu não me via fazendo outra coisa. Como

já dava aulas de dança, resolvi me profissionalizar”, conta. Formada em

Dança no ano passado pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP), Naiana

considera a graduação essencial para os professores da área. “Hoje, eu

acho que não deveria ter começado a dar aulas sem a instrução que eu

tive”, avalia.

O curso superior de Dança da FAP possibilita ao aluno cursar o

bacharelado e, após uma complementação curricular, obter também o

título de licenciado, que permite ao profissional dar aulas de dança

como parte da disciplina de Artes para alunos dos ensinos fundamental e

médio. Segundo a coordenadora do curso, Cristiane Wosniak, o graduado

também pode atuar como bailarino, coreógrafo, produtor de espetáculos e

professor em academias de dança. Quem faz pós-graduação está apto ainda

a dar aulas no ensino superior.

Na FAP, a graduação tem dois eixos básicos: dança contemporânea e

balé clássico. Mas há cursos superiores de dança voltados para outros

estilos, como dança de salão. Cristiane explica que a grade curricular

da FAP inclui aulas práticas, como técnicas de dança e improvisação, e

aulas teóricas, com conteúdos da área médica e disciplinas reflexivas

sobre estética e arte. A partir do terceiro ano o aluno faz estágio

obrigatório como bailarino em companhias de dança. A instituição exige

ainda uma monografia e uma composição coreográfica no fim do curso.

A professora ressalta que os futuros graduados devem encontrar um

mercado favorável na área do ensino formal. “As escolas estão começando

a implementar as quatro linguagens artísticas nas aulas de Artes (artes

visuais, música, teatro e dança)”, afirma. Mas os profissionais também

encontram oportunidades como autônomos, em companhias de dança e cursos

livres, como é o caso de Naiana. Além de integrar o quadro de

bailarinos do grupo Téssera, da UFPR, ela dá aulas de balé clássico

para adultos na Vila Arte Espaço de Dança, atua como professora do

curso livre de dança moderna ofertado pela UFPR e desenvolve atividades

como free-lancer. “Trabalho como backing vocal e bailarina em uma banda

de disco dance. Também já fiz comerciais dançando”, diz.

Perfil

Existem apenas 26 cursos no Brasil

Faculdades

No Paraná, o curso é ofertado apenas pela FAP, em Curitiba, com aulas em período integral.

Remuneração

Segundo o Sindicato de Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversão

do Paraná, o piso salarial é R$ 1,2 mil para bailarinos, ou R$ 50 por

apresentação. O coreógrafo recebe R$ 3 mil por projeto.