Quanto ganha um Designer

O salário médio inicial de um designer é de R$ 1.739,00*.

Setor público

As oportunidades no setor público são bem restritas, o que pode ter

espaço para essa área são projetos sustentáveis iniciados pelo governo

ou campanhas políticas. Desta forma o profissional pode atuar diretamente na elaboração e desenvolvimento de conceitos e artes visuais para campanhas governamentais. Mas no aspecto geral, é mais comum o governo federal solicitar tais serviços a iniciativa privada através de licitações, assim o salário médio do profissional acompanha a expectativa do mercado.

Setor Privado

Segundo a tabela de cargos e salários da ADEGRAF (Associação dos Designers Gráficos do Distrito Federal) de 2013,

as remunerações dos cargos dos designers gráficos podem seguir as

seguintes referências salariais (dependendo da atuação do profissional,

sua formação e experiência):

  • Estagiário - profissional em fase de aprendizado: de R$631,05 (20h semanais) até R$1.262,11 (40 horas semanais)
  • Técnico em Design - profissional formado com nível técnico: R$1.355,21
  • Tecnólogo em Design - profissional formado no curso de nível superior tecnólogo: R$1.763,91
  • Trainee - profissional recém-formado, com experiência limitada, mas com grande potencial: R$2.877,91
  • Designer Junior - profissional formado em curso de nível superior, com experiência de até 3 anos na área: R$3.517,45
  • Designer Pleno - profissional formado em curso de nível superior, com experiência de 3 a 5 anos na área: R$5.024,93
  • Designer Sênior - profissional formado em curso de nível superior, com experiência de 5 a 7 anos na área: R$7.080,59
  • Designer Coordenador - profissional formado em curso de nível superior, com experiência de mais de 7 anos na área: R$8.983,98

O designer gráfico pode trabalhar em diversos

setores, tais como: homepages na internet, editoras (criação de

capas de livros, por exemplo), agências de publicidade, televisão,

revistas, cinema, criação de logotipos, embalagens e logomarcas,

empresas de design, produção de audiovisuais, anúncios, desenvolvimento

de programas de design em informática, projetos de produtos

(desenvolvimento de produtos considerando seus aspectos funcionais,

estéticos e utilitários), trabalho com animações (geração de vinhetas,

por exemplo), produção de desenhos técnicos e ilustrações, aplicação e

pesquisa de testes ergonométricos de todo tipo de móveis, administração

de departamentos de design e gerenciamento de produtos industriais, etc.

Mercado de trabalho para o curso de Design

A carreira de Design oferece para o profissional um campo de atuação amplo que está em alta no mercado de trabalho.

Com a expansão da venda de tablets e a adoção do ensino a distância por muitas instituições, o mercado de desenvolvimento  de software e jogos cresceu bastante. Desta forma, a área de design para mídias digitais também acompanhou a expansão.

A maior concentração de oportunidades de trabalho está na Região Sudeste, que tem um importante parque gráfico e conta com grande número de multinacionais dos ramos alimentício e têxtil. Em Goiás, há crescimento nas áreas de Design de moda e gráfica. Na Região Sul, os postos de trabalho se expandem a cada ano por causa do grande parque gráfico e do desenvolvimento do setor industrial. No Paraná, a indústria moveleira contrata o designer de produto, que também encontra cenário favorável nos estados da região Sudeste e no Rio Grande do Sul. O Nordeste oferece boas chances em indústrias como as do Polo de Camaçari, na Bahia. No Norte, a Zona Franca de Manaus reúne os maiores empregadores.

Exterior

No exterior, as oportunidades de emprego e de

especialização são amplas. A universidade de Londres oferece vários

cursos bem conceituados e, com eles, indicações para emprego. É uma área

mais valorizada e com mais espaço no exterior.

O curso de Design

Design é o estudo das técnicas usadas na criação e no desenvolvimento de projetos gráficos e de comunicação visual,

além da concepção artística de peças e objetos. Dependendo de sua

formação, mais generalista ou mais voltada para a parte gráfica ou

industrial, esse profissional encontra diversos setores de atuação. Na

área gráfica, cria logotipos e desenvolve o visual de jornais, revistas,

livros, panfletos, anúncios e outdoors. Escolhe as letras para os

textos, define o tamanho das colunas de uma página impressa, seleciona e

padroniza cores e ilustrações e projeta embalagens. No campo digital,

desenvolve interfaces para sites, games e dispositivos móveis, como

celulares, smartphones e tablets. Pode trabalhar em editoras, agências

de design e de publicidade, birôs de computação gráfica e produtoras de

mídia digital. Atuando na área industrial, o designer cria objetos

segundo critérios de funcionalidade e estética. Também pesquisa novos

materiais e tecnologias de fabricação, procurando diminuir os custos de

produção.

Você sabia o que um profissional de Design faz e quanto ele pode ganhar? Tem alguma experiência para compartilhar conosco? Deixe nos comentários.

*Salariômetro da FIPE - fevereiro 2015.