O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é o principal e maior processo seletivo que utiliza a nota do Enem como forma de acesso às vagas. 

São mais de 200 mil vagas disponíveis em universidades de todo o país. Mesmo assim, milhares de estudantes não conseguem ser convocados na chamada regular, pois não alcançaram a nota mínima para o curso escolhido.

Se você também vai concorrer a uma vaga, mas tem medo de ficar de fora da chamada regular, vem com a gente que mostraremos como funciona a segunda chamada do Sisu!

Como funciona a segunda chamada do Sisu 

O Sisu não realiza segunda chamada! O que existe é a lista de espera que o MEC encaminha para as universidades participantes do processo seletivo e elas são responsáveis por convocar novos alunos para a matrícula.

Então, se você não for selecionado na chamada regular do Sisu, nem tudo está perdido! 

Ainda há esperança de conseguir uma vaga em uma universidade pública, porém é necessário que manifeste interesse em participar da lista de espera da sua primeira ou segunda opção de curso e aguardar as instituições divulgarem novas listas.

Essas instituições convocam alunos para ocupar as vagas remanescentes da chamada regular, que são daqueles candidatos que desistiram ou tiveram algum problema na hora de se matricular. 

As convocações acontecem até as vagas se esgotarem. Instituições como a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), por exemplo, fazem cerca de 5 a 8 chamadas por semestre. Por isso, se tiver interesse em conseguir uma vaga pelo Sisu, é bom ficar atento aos prazos para se inscrever na lista de espera. 

Alternativas para começar a faculdade sem o Sisu

Se você não pode participar do Sisu ou tirou uma nota baixa no Enem, fique tranquilo! Existem outras formas de entrar em uma faculdade com a nota do Enem, confira:

Programa Universidade para Todos (ProUni)

Com o ProUni, você concorre a bolsas de estudos parciais e integrais em faculdades privadas de todo o país. 

Para participar, é necessário ter realizado o último Enem, obtido nota igual ou superior a 450 pontos, não ter zerado a redação, comprovar renda de acordo com o tipo de bolsa escolhido.

Para bolsas integrais (100%) é necessário comprovar renda familiar de até um salário mínimo e meio por pessoa e para as parciais (50%) renda familiar de até três salários mínimos por pessoa.  

Além disso é necessário obedecer alguns outros requisitos do programa.

Financiamento Estudantil (FIES)

Com o FIES, o estudante não precisa ter realizado o último Enem, pois o Inep aceita a nota de qualquer edição, desde 2010.

Para se candidatar é preciso ter obtido nota igual ou superior a 450 pontos, não ter zerado a redação e comprovar renda de acordo com o tipo de financiamento.

O Financiamento Estudantil só pode ser utilizado em cursos presenciais e em alguns casos o estudante é beneficiado com juros zero. 

Ingresso direto pelo Enem

No ingresso direto pelo Enem é muito mais fácil e rápido entrar na faculdade. 

Com ele o estudante pode incluir a nota de qualquer edição do Enem, desde 2010, sem precisar comprovar renda, apenas ter obtido nota superior a zero nas provas e redação. 

No ingresso direto, os estudantes também concorrem a bolsas de estudos e descontos diretamente com a instituição, sem necessitar se inscrever em outro processo seletivo. 

Veja algumas instituições, reconhecidas pelo MEC, que dispõem dessa forma de ingresso: 

Veja mais:

Veja como conseguir bolsas de estudos para curso EAD 

ProUni serve para curso EAD?  

Já sabe qual curso vai tentar fazer pelo Sisu? Conte para a gente aqui nos comentários!