O Sisu (Sistema de Seleção Unificada) acontece duas vezes ao ano (janeiro e junho) e nesta seleção estão disponíveis vagas em universidades públicas de todos o Brasil.

As inscrições são gratuitas e são realizadas pela internet, mas apenas os estudantes que realizaram o último Enem podem participar do processo.

Como funciona as cotas no Sisu

A Lei de cotas, nº 12.711/2012, define que todas as instituições de ensino superior, vinculadas ao MEC (Ministério da Educação), e as instituições federais de ensino técnico de nível médio devem reservar 50% de suas vagas para as cotas.

São três tipos de cotas no Sisu, veja:

  • Alunos de escola pública: Todas as instituições públicas federais que participam do Sisu devem reservar uma parte de suas vagas para estudantes que concluíram o ensino médio em escolas públicas.

  • Pessoas de baixa renda: Esse tipo é direcionado aos estudantes com renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa e que fizeram o ensino médio em escolas públicas.

  • Ações afirmativas: Essas vagas são reservadas para os estudantes autodeclarados negros, pardos e indígenas.

Cada universidade que participa do Sisu pode oferecer vagas para suas próprias ações afirmativas, como para refugiados, transexuais, pessoas com deficiência e quilombolas.

Cotas do Sisu para baixa renda

As cotas para estudantes de baixa renda estão crescendo muito e no Sisu, 50% das vagas reservadas a estudantes que concluíram o ensino médio em escola pública são direcionadas aos candidatos que têm renda familiar de até um salário mínimo e meio por pessoa.

Por exemplo: Se o curso de Engenharia Elétrica tiver 200 vagas disponíveis, 100 vagas serão, obrigatoriamente, reservadas às cotas, sendo que desta quantidade, 50% são direcionadas aos estudantes com baixa renda, as outras vagas ficam disponíveis para “ampla concorrência”.

Cotas de ações afirmativas no Sisu

As cotas de ações afirmativas são de acordo com cada universidade, as mais comuns são para pessoas com deficiência e quilombolas.

Hoje, algumas universidades, como a UFBA (Universidade Federal da Bahia) já disponibilizam diversos tipos de ações afirmativas, como para transexuais, transgêneros, travestis, transexuais e refugiados.

Cotas raciais no Sisu

Essas são as cotas mais famosas, elas são disponíveis para estudantes negros, pardos e indígenas, de baixa renda. A quantidade de vagas reservadas varia de acordo com a região do país.

Como concorrer às cotas do Sisu

Ao se inscrever, o estudante que realizou o ensino médio em escola pública, escola militar ou Enem terá no site do Sisu a opção de concorrer a cotas ou a ampla concorrência. Caso ele opte pelas cotas, deverá comprovar os dados informados no ato da inscrição.

Para aqueles que vão concorrer a vagas destinadas a pessoas de baixa renda, será necessário achar a renda familiar bruta mensal por pessoa, e para isso o estudante deverá:

I - Calcular os rendimentos brutos recebidos por todas as pessoas da família a que pertence o estudante, levando-se em conta, no mínimo, os três meses anteriores à data de inscrição do estudante no processo seletivo;

II - Calcular a média mensal dos rendimentos brutos recebidos; e

III - Dividir a média mensal dos rendimentos brutos recebidos pelo número de pessoas da família do estudante.

Se o resultado foi menos de um salário mínimo e meio por pessoa, o candidato já estará apto e poderá concorrer a essas vagas.

Para calcular a renda bruta recebida devem ser computados os rendimentos de qualquer natureza percebidos pelas pessoas da família, a título regular ou eventual, inclusive aqueles provenientes de locação ou de arrendamento de bens móveis e imóveis.

Os candidatos que queiram concorrer às cotas raciais deverão preencher uma autodeclaração, de acordo com a Lei de cotas.

Outras formas de ingressar em uma faculdade

Sabemos que os candidatos precisam obedecer a muitas regras para poder concorrer ao Sisu, e muitas vezes isso não é possível, então separamos algumas outras formas de você ingressar em uma faculdade agora, veja:

  • ProUni: As inscrições para o Programa Universidade para Todos acontece duas vezes ao ano e nele estão disponíveis bolsas parciais ou integrais para milhares de faculdades particulares do país.

  • Fies: O Financiamento Estudantil também possui inscrições duas vezes ao ano e nele o estudante financia todo o seu curso e inicia o pagamento após a sua formação.

  • Ingresso direto pelo Enem: Essa forma de ingressar em uma faculdade está se tornando cada dia mais comum. O ingresso direto pelo Enem, facilita a entrada de milhares de estudantes ao ensino superior, deixando para trás os vestibulares e aproveitando a nota do Enem (qualquer edição, desde 2010).

Separamos algumas faculdades que além de participarem de todas as opções acima, são reconhecidas pelo MEC, e disponibilizam de bolsas e financiamentos próprios e sem burocracia:

Veja também:

Saiba tudo sobre o ProUni 2019

Saiba tudo sobre o Fies 2019 e veja como estudar

Você se enquadra nas cotas do Sisu? Conte para a gente aqui nos comentários!