Em 2020, o Sisu vai permitir que milhares de pessoas do Brasil todo consigam entrar numa universidade pública.

Para isso será necessário encarar um processo seletivo que tem concorrência lá em cima.

Vão se dar bem aqueles que apresentarem as melhores notas no Enem e souberem aproveitar todas as chances que o Sisu dá aos participantes.

Uma delas é a lista de espera, uma segunda oportunidade de conseguir a tão sonhada vaga em universidade pública.

Descubra a seguir como funciona a lista de espera do Sisu 2020.

A concorrência do Sisu 2020

Para 2020 estão previstas duas edições do Sisu: a maior, em janeiro, e a segunda, no meio do ano.

Para participar é obrigatório ter feito o Enem 2019 e obtido nota maior que zero na redação.

A classificação se dá pela nota do Enem. Quem chegar na seleção com as maiores pontuações tem mais chances de entrar no curso desejado.

A edição do começo do ano abre inscrições entre os dias 21 e 24 de janeiro de 2020.

A concorrência vai durar quatro dias, com início previsto para uma terça-feira e encerramento na sexta-feira.

Durante esse curto período, os participantes podem mudar de opções de curso e faculdade quantas vezes for necessário.

O resultado sai na terça-feira seguinte, dia 28 de janeiro.

Mas o Sisu não acaba aí. Depois da primeira chamada o programa dá mais uma chance aos candidatos que querem seguir lutando por uma vaga: a lista de espera!

Vamos entender como funciona esta etapa no próximo tópico.

Como funciona lista de espera do Sisu 2020

Os aprovados do Sisu são conhecidos em duas etapas, a primeira chamada e a lista de espera.

Quem for convocado na primeira chamada terá alguns dias para providenciar a documentação necessária e efetuar a matrícula na universidade onde conseguiu a vaga.

Nesse corre-corre, muita gente resolve tentar vaga em outra instituição, não consegue levar a documentação exigida ou perde o prazo de matrícula. Com isso, um bom número de vagas fica disponível novamente.

Para ocupá-las, o MEC abre a lista de espera do Sisu.

Quem tiver interesse precisa estar alerta. As inscrições para a lista de espera não são automáticas e ficam abertas entre os dias 29 de janeiro e 4 de fevereiro.

Quando esse momento chegar, o candidato precisa acessar o sistema do Sisu e manifestar interesse em participar da lista, na primeira ou segunda opção de curso que fez durante a seleção regular (aqui só dá para fazer uma opção mesmo).

A convocação também tem um sistema diferente. As chamadas são feitas pelas próprias faculdades, por isso o participante terá de ficar em contato constante com a instituição desejada.

Esse processo tem início no dia 7 de fevereiro e pode levar várias semanas, por isso é preciso ter uma boa dose de paciência.

Caso seja chamado para a lista, o candidato terá um pequeno prazo para levar a documentação exigida, sob pena de perder a vaga caso não atenda aos prazos determinados.

A lista de espera vale tanto para a primeira quanto para a segunda edição do Sisu 2020.

Só pode participar da lista de espera do Sisu quem concorreu na seleção regular.

O que fazer se não passar na lista de espera do Sisu 2020

Se o seu objetivo é mesmo estudar na universidade pública, o jeito vai ser esperar a próxima edição do Sisu ou recorrer a instituições que ainda utilizem o vestibular tradicional.

No entanto, 2020 terá vários outros programas que utilizam a nota do Enem e podem ser uma boa alternativa ao Sisu.

Com o ProUni, por exemplo, você pode estudar numa faculdade privada com bolsa de estudos integral ou parcial. Para isso, é preciso ter uma boa pontuação no Enem 2019 e atender a alguns critérios de formação e renda familiar. A seleção é bastante similar à do Sisu. As bolsas podem ser utilizadas em cursos presenciais e a distância por todo o Brasil. O programa também conta com duas edições, no início e no meio do ano.

Além do ProUni, tem também o FIES, uma alternativa bem interessante de financiar os estudos com juros baixos e prazo longo para pagamento da dívida. Os interessados nesse benefício precisam ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010, obtido uma boa pontuação e comprovar renda familiar mensal bruta de até cinco salários mínimos por pessoa.

São duas edições por ano, e leva o financiamento quem apresentar as maiores notas no exame.

E para quem gosta de praticidade, ainda tem o ingresso direto. Nesse sistema, basta apresentar a nota obtida em qualquer Enem a partir de 2010 para conseguir vagas em faculdades privadas por todo o país, sem precisar fazer vestibular.

É uma boa alternativa para entrar sossegado na maioria dos cursos presenciais e a distância espalhados por milhares de instituições particulares.

Abaixo, a gente selecionou algumas boas faculdades que trabalham com o ProUni, com o FIES e com ingresso direto. Elas também têm programas de bolsa e financiamento sem burocracia.

Inclua aí no seu radar:

Veja também:

Descubra qual é a nota do MEC para algumas boas faculdades

E aí, entendeu certinho como funciona lista de espera do Sisu 2020? Tem mais alguma dúvida? Converse com a gente pelos comentários!