O Programa de Seleção Unificada (Sisu) é a principal forma de ingresso em instituições públicas de ensino superior. Anualmente, candidatos de todo o país se inscreverem para tentar uma vaga nas diversas faculdades estaduais e federais que utilizam a nota do Enem como critério para a seleção de seus alunos.

O Sisu acontece duas vezes ao ano, sempre no início do primeiro e do segundo semestre. São milhares de vagas distribuídas em ambas as edições. Em compensação, a concorrência também é bastante acirrada, principalmente para cursos como Medicina, Direito e Engenharias.

Mas quando começam as inscrições para o Sisu do segundo semestre de 2019? Está curioso para saber? Confira o post que criamos especialmente para você.

Quando abrem as inscrições para o Sisu do segundo semestre de 2019?

O MEC ainda não divulgou as datas de inscrição para o Sisu do segundo semestre. Essa informação só se torna pública poucas semanas antes da abertura. Então, o calendário do Sisu do segundo semestre de 2019 deve ser divulgado no mês de maio, mas isso é apenas uma estimativa.

Todos os anos, as inscrições começam no mês de junho. Por isso, quem tentou uma vaga em uma faculdade pública no início do ano e não conseguiu, precisa ficar atento  a essa data.

Embora a seleção pelo programa ocorra duas vezes ao ano, no segundo semestre a oferta de vagas é menor, já que várias universidades lançam o processo seletivo apenas no primeiro semestre.

Quem pode participar do Sisu do segundo semestre de 2019?

Quem fez a última edição do Enem pode participar do Sisu, mesmo que esteja matriculado em uma instituição de ensino superior. Mas, caso o candidato já estude em uma faculdade pública e seja selecionado pelo Sisu, ele terá que abandonar a vaga que já ocupa, pois uma pessoa não pode ficar com duas vagas em faculdades públicas ao mesmo tempo.

Para se inscrever no Sisu, não é necessário pagar nenhum tipo de taxa e nem a apresentação de documentos. A única exigência para participar da seleção é informar o número de inscrição da última edição do Enem e senha.

A nota exigida para participar do processo varia de instituição para instituição — esse fator depende do desempenho de outros candidatos. Além disso, a nota de corte pode mudar de acordo com os critérios das faculdades, pois cada uma delas determina as próprias normas.

Algumas universidades estabelecem pesos diferentes para os cursos. Por exemplo: nas graduações voltadas para a área da saúde e ciências biológicas, as notas das provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias terão peso maior, ao passo que nos cursos da área de exatas os conteúdos de Matemática e suas Tecnologias têm peso maior.

Algumas faculdades dão mais valor à redação, que representa 50% da nota de corte. Nesses casos, o desempenho pode garantir a vaga de um estudante no curso de seus sonhos.

Vale lembrar que nem todas as instituições adotam esses critérios. Muitas delas dão peso igual para todas as disciplinas, inclusive para a prova de Redação, independentemente do curso.

Como funciona o Sisu?

O Sisu funciona sob a mesma dinâmica do ProUni, ou seja, por turnos. Durante o dia, os candidatos podem selecionar e modificar os cursos quantas vezes quiserem. Durante uma parte da madrugada, o sistema não permite que sejam feitas edições. É nesse período que o sistema gera o ranking com as notas de corte dos candidatos, o que possibilita que você veja qual sua colocação e se há possibilidade de ingressar naquela instituição.

Caso a nota mínima esteja muito alta e o candidato perceba que não tem chance de ingressar, pode escolher outra instituição. Lembrando que é possível escolher duas opções de faculdades ou de cursos.

E se eu não for selecionado no Sisu?

A concorrência por uma vaga em faculdades e universidades públicas é muito grande e, por isso, muitos ficam de fora e precisam recorrer a outras alternativas para ingressar no curso superior. Então, se você não for aprovado no Sisu 2019, não precisa se desesperar, pois pode estudar em uma faculdade particular de graça ou pagando pouco.

Como? Uma das alternativas é o ProUni, que também oferece vagas duas vezes por ano. O programa distribui bolsas integrais e parciais, de até 50%, em diversas faculdades em todo o país, beneficiando milhares de estudantes.

O FIES também é uma alternativa para quem não consegue ingressar na faculdade nem pelo ProUni, nem pelo Sisu. O programa permite que o estudante financie o valor integral do curso, desde que atenda aos requisitos necessários para a concessão do crédito. A vantagem do FIES é que o beneficiado só paga o empréstimo depois de formado com juros baixíssimos ou, dependendo do caso, nulos.

Caso você não consiga nenhuma das opções acima, ainda pode estudar pagando pouco. Há diversas faculdades particulares que oferecem cursos de graduação com valores bastante acessíveis, principalmente na modalidade EAD.

O Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA), por exemplo, oferece diversas opções de graduação a distância com valores que cabem em seu bolso. Além disso, a universidade ainda conta com seus próprios programas de bolsas de estudos e financiamento estudantil.

A seguir, citaremos outras instituições nas quais você pode estudar utilizando a nota do Enem como forma de ingresso, sem a necessidade de fazer o vestibular. Veja!

Veja também:

Principais bolsas de estudos oferecidas pelo governo e por instituições

E então, este post esclareceu todas as suas dúvidas sobre o Sisu do segundo semestre de 2019? Deixe seu comentário aqui embaixo!