Últimos dias para fazer uma boa revisão de conteúdos, tirar dúvidas e

se preparar para chegar com tudo ao Exame Nacional do Ensino Médio

(Enem).

A menos de 20 dias do início das provas, que será aplicada em 3

e 4 de outubro, é hora de correr contra o tempo e garantir uma vaga nas

universidades federais, estaduais e particulares que vão substituir o

tradicional vestibular pelo Enem ou aproveitar a nota do exame na

primeira fase do processo seletivo. O D ouviu um consultor

especializado na avaliação, além de professores e alunos, e reúne dicas

de como encarar a reta final de preparação.

O primeiro

conselho para se dar bem neste desafio é conhecer as regras do jogo.

Segundo o economista, professor de história e consultor do Enem em

escolas públicas e particulares de Minas Ricardo Júdice, o novo modelo

de prova vai exigir atenção redobrada por parte dos estudantes.

“Houve

muitas transformações no formato da avaliação e, por isso, é

fundamental que todos procurem se informar de como ela será na prática.

É importante saber quais disciplinas serão cobradas, organizar o tempo

e praticar muito em simulados da prova”, afirma Júdice.

Para

não vacilar na hora H, o mais importante é fazer simulados de provas do

Enem com um cronômetro ao lado. De acordo com o economista, os

candidatos terão um tempo médio de dois minutos e meio para resolver

cada questão da prova. “No primeiro dia, é preciso reservar meia hora

para passar o gabarito e assim restam 240 minutos para responder às 90

perguntas.

No segundo dia, o tempo é teoricamente maior, mas o aluno

deve dedicar uma hora inteira à redação e os mesmos 30 minutos para

passar a folha de resposta a limpo. Com isso, a média de dois minutos e

meio por questão se mantém. Dessa forma, é fundamental que o estudante

não se prenda a uma questão muito difícil, pois isso pode comprometer

todo o resultado.”

Como

o prazo agora já é curto para se aventurar em novos conteúdos que podem

ou não cair no exame, o professor sugere aos alunos que deem prioridade

à revisão de matérias. “Estatisticamente, há dois temas fortes sempre

presentes no Enem e que não devem ficar de fora do teste deste ano:

meio ambiente e atualidades. No primeiro caso, vale apostar em efeito

estufa, aquecimento global, chuvas ácidas, combustíveis fósseis X

energias limpas etc. E, entre os assuntos do dia a dia, é bom pesquisar

sobre datas importantes celebradas em 2009”, acrescenta Júdice.

Entre

os fatos comemorativos, estão os 80 anos da crise de 1929, os 50 anos

da Revolução Cubana, os 20 anos da queda do Muro de Berlim, os 40 anos

da chegada do homem à Lua e os 70 anos do início da Segunda Guerra

Mundial. Segundo os especialistas, temas como esses dificilmente

deixarão de ser cobrados no teste.

Outra dica é se preparar para a

cobrança dos assuntos de forma interdisciplinar, ou seja, mesclando

conhecimentos de várias áreas numa única questão. “O Enem vai testar

novas habilidades e competências e vários assuntos aparecerão de forma

relacionada. Por isso, os alunos precisam ser bons observadores do

mundo, bons leitores e, principalmente, estarem atentos para

interpretar bem o que pede o enunciado de cada questão”, diz a

professora de redação do Pré-vestibular Unimaster Ellen Sedlmayer.

Exigências e possibilidades

Nesse

turbilhão de novidades, exigências e cobranças, os 4,5 milhões de

candidatos que se inscreveram para o Enem têm motivos de sobra para

estar de cabelo em pé. “Estou insegura, pois não conheço bem o novo

formato da prova e tenho medo do cansaço físico diante do teste. Sei

que não vai ser fácil encarar quase 200 questões em apenas dois dias,

mas estou me preparando. Continuo estudando normalmente para o

vestibular, pois os conhecimentos cobrados são os mesmos”, conta

Roberta Passaglia, de 18 anos, que vai disputar uma vaga em medicina.

Candidato ao curso de engenharia da computação, André Póvoa, de 19,

confessa que mudou a rotina de estudos. “Tenho dedicado mais tempo à

leitura de jornais, revistas e internet para me informar melhor sobre o

que acontece no mundo. Os assuntos do dia a dia certamente estarão na

prova.”

O novo Enem vai ajudar a abrir as portas de

universidades federais do Brasil para os candidatos. De acordo com o

Ministério da Educação (MEC), 31 das 55 instituições federais de ensino

vão usar a nota do exame para substituir o tradicional vestibular ou

para eliminar, pelo menos, a primeira fase do processo seletivo.

Em

Minas, apenas a Universidade Federal de Minas Gerais não vai aproveitar

o teste neste ano. O Enem continua sendo obrigatório para quem concorre

a uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni). Todos os

inscritos vão receber, em casa, o cartão de confirmação da inscrição

até o dia 25. Caso o documento não chegue, entre em contato com o

Programa Fala Brasil (0800-616161) ou acesse o http://enem.inep.gov.br/consulta.

A prova começa às 13h e terá 180 questões, divididas em quatro áreas:

linguagens e códigos, matemática, ciências da natureza e ciências

humanas, além de uma redação. O resultado do Enem será enviado, para o

endereço dos alunos, na segunda quinzena de janeiro.