Foi-se o tempo em que os alunos ficavam sentados enfileirados escutando o professor falar. As redes sociais e as novas tecnologias como smartphones já fazem parte do nosso dia a dia e agora chegaram também nas salas de aula. Com vocês, a escola 3.0. 

Como surgiu a Escola 3.0?

A Revolução Tecnológica no século XX é marcada pela invenção da internet e o fácil acesso a informação. O mercado de trabalho, que antes procurava por profissionais mecânicos e obedientes, agora exige pessoas criativas e inovadoras.

Mas e a educação? Como ficou? Em meio a toda esta mudança, as escolas também tiveram que se adaptar.

Na escola 3.0, a sala de aula perde o formato de carteiras enfileiradas onde todos prestam atenção apenas no professor. No novo modelo a criatividade e o trabalho em equipe são valorizados, ou seja, os alunos também participam das aulas e ajudam a decidir o que irão aprender.

Quando surgiu a escola 3.0?

O conceito educação 3.0 foi mencionado pela primeira vez em 2007, pelo professor Derek Keats, da Universidade de Witwatersrand, de Joanesburgo, que, naquela época já dizia que o novo modelo transformaria a forma de ensinar e aprender.

“Acreditamos que haverá uma quebra de barreiras impostas ou não à educação, para criar um sistema muito mais livre e aberto, focado no aprendizado.” 

Mas, antes de entender como ela funciona, é importante explicar como chegamos até aqui. 

Da escola 1.0 até a 3.0: a evolução da educação

Por muitos anos a educação acontecia dentro das casas, pelos próprios pais. Nessa época, as crianças aprendiam as habilidades que dariam continuidade às atividades realizadas pela família. Se os pais eram agricultores, os filhos aprendiam a plantar e a colher, por exemplo.

Educação na Idade Média

Já na Idade Média, a educação era praticada principalmente nos monastérios. Somente os nobres e intelectuais da época tinham direito a aprender. Surge então, a educação 1.0.

A escola 1.0 era focada em um método de ensino tradicional, com objetivo de desenvolver um conhecimento básico, tanto de conteúdo quanto de comportamento. 

Como eram as aulas? Na educação 1.0 o professor repassava todo o conhecimento e o aluno apenas escutava; ele  não tinha direito de participar nem de expor suas opiniões.

Neste modelo, o sistema de aprendizado era baseado nos três R’s:

  • Receber (escutando o professor);
  • Responder (anotando e estudando os textos passados);
  • Regurgitar (reproduzindo análises e pensamentos iguais ao dos outros alunos).

Educação na Revolução Industrial 

A Revolução Industrial foi um período marcado por diversas mudanças. As máquinas e o trabalho assalariado exigiu novas habilidades da sociedade, e, consequentemente, dos estudantes. 

Nesta época todos tinham direito a educação. Na escola 2.0, a sala de aula era parecida com o dia a dia de uma indústria, com tarefas mecânicas e repetidas, trabalho individual e alunos sentados em fileiras.

Por muitos anos, a escola 2.0 atendeu as necessidades da sociedade. Os estudantes eram preparados apenas para obedecer regras e trabalhar nas fábricas.

Porém, a chegada da internet e da globalização no século XX mudou tudo. Ela deu espaço a um novo modelo de educação, focado na criatividade, inovação e trabalho em grupo. A isso deu-se o nome de escola 3.0

O mundo atual e a escola 3.0

O fácil acesso à informação através da tecnologia e da internet, transformou a educação 3.0. Hoje em dia, alunos, professores e escolas participam juntos no processo de aprendizagem.

Diferente da escola 2.0, o novo modelo vai além de repassar o conhecimento. O professor inclui e acolhe o aluno, incentivando-o a expor suas vontades, dúvidas e opiniões sobre o mundo. 

Na escola 3.0, educadores e estudantes trabalham juntos para construir o ensino utilizando exemplos da vida real através de diferentes tecnologias  como vídeos, podcasts e redes sociais. 

Quais são as principais características da escola 3.0?

A educação 3.0 pode ser caracterizada pelos seguintes pilares:

Integração entre as matérias

O mercado de trabalho de hoje em dia procura por pessoas inovadoras e que se adaptam com facilidade a diferentes situações.

Sendo assim, a escola 3.0 tem como papel desenvolver o senso crítico do aluno e a sua capacidade de trabalhar em equipe. Os profissionais do futuro devem ser capazes de resolver problemas complexos no mundo digitalizado.

Colaboração entre professores e alunos

Na educação 3.0, o processo de aprendizado é colaborativo. Como assim? 

O professor deixa de ser o único dono do conhecimento e passa a interagir com os alunos. Ou seja, as aulas são construídas com a participação de todos através de debates e ideias. 

Neste novo cenário, o aluno ganha mais autonomia sobre o que e como ele quer aprender, claro que sempre com o auxílio do educador.

Uso de tecnologias para aprender

Na escola 3.0, o aprendizado acontece de maneira rápida. Além disso, as redes sociais e as novas tecnologias ajudam a tornar as aulas mais interessantes e atuais. 

Para dar uma aula de qualidade, o professor terá que entender como esses dispositivos funcionam, e qual o seu papel na sociedade. O ensino será complementado por conteúdos presentes em diversas plataformas como YouTube, Podcasts e aplicativos. 

Vantagens da escola 3.0

A educação 3.0 chegou para ficar, mas quais são as vantagens em matricular a sua criança em uma escola como essa?

  • Os alunos são estimulados a serem mais curiosos e criativos;
  • Professores e estudantes produzem o conteúdo em conjunto;
  • A tecnologia é utilizada para realizar tarefas;
  • O conteúdo é voltado para solucionar problemas do mundo real;
  • Os alunos desenvolvem um senso de autonomia maior.

Escolas 3.0 no Brasil

A escola 3.0 não é o futuro, mas sim o presente. Esse modelo de ensino vem crescendo significamente ao longo dos anos e, no Brasil, existem pelo menos três escolas classificadas nessa categoria.

Escola Eleva

Fundada em 2017, a Escola Eleva, está localizada na cidade do Rio de Janeiro. Segundo dados do Censo Escolar, em 2018 a escola tinha mais de mil alunos inscritos.

Etapas de ensino: Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio. 

Escola Concept Brazil

A escola Concept tem três unidades espalhadas no Brasil: São Paulo, Ribeirão Preto e Salvador. Ao todo, são mais de 562 alunos matriculados (Censo Escolar 2018).  Através do método PBL de ensino para preparar crianças e adolescentes para os desafios e capacidades exigidas pelo século XXI. 

Etapas de ensino: Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II.

Avenues | The World School

Filial paulistana da escola nova iorquina, a Avenues abriu suas portas em 2018. O campus conta uma estrutura de 40 mil metros quadrados, com espaços ao ar livre, instalações esportivas e um amplo pátio. 

Etapas de ensino: Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio.

Conheça outras escolas inovadoras

Além das escolas 3.0, existem outras opções de instituições de ensino que estão inovando a forma de educar e ensinar.

No site Melhor Escola, você pode encontrar escolas no Brasil inteiro com um preço acessível. Confira abaixo algumas escolas:

Teia Multicultural

Rua Apiacás, 233 - Perdizes - São Paulo, São Paulo

Colégio Dráulia Bringel

Rua Trajano Alves De Aguiar, 55 - Cidade Dos Funcionários - Fortaleza, Ceará

Green Kids School

Rua Nanuque, 363 - Vila Leopoldina - São Paulo, São Paulo

Escola Biosfera

Rua Das Acácias, 206 - Jd Da Glória - Cotia, São Paulo

Colégio Renovação

Rua Wellington De Freitas, 265 - Jd Camburi - Vitória, Espírito Santo


E aí? Gostou de conhecer a escola 3.0? Conta pra gente o que você achou e se você já escolheu a escola para a sua criança!