O que é gripe A (H1N1)?

É

uma doença aguda respiratória altamente contagiosa entre seres humanos,

que leva a um quadro de infecção respiratória. Embora ainda não esteja

comprovado, acredita-se que o vírus tenha vindo de uma série de

mutações originadas em porcos.

Com o aumento dos casos da gripe A (H1N1) no RS, devo usar máscara?

Não há necessidade. Até então, os pacientes contraem o vírus em

outros países, e não há contaminação conhecida entre a população

gaúcha. Os equipamentos de produção individual, com máscaras, devem ser

utilizados por pessoas com suspeita de contaminação (que apresentam

sintomas ou estiveram em países afetados ou em contato com viajantes

provenientes destes locais e pelos profissionais envolvidos no seu

atendimento ou inspeção dos meios de transporte.

Tenho sintomas de gripe. Como posso saber se é um caso de gripe A (H1N1)?

Apenas se houver febre alta repentina (maior que 38 graus

centigrados) e tosse, podendo estar acompanhas de algum dos seguintes

sintomas: dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, e

dificuldade respiratória. Além disso, o doente deve ter apresentado

esses sintomas até 10 dias após sair de países que reportam casos da

influenza A ou ter entrado em contato próximo com uma pessoa suspeita

de infecção (como alguém que esteve em uma região afetada e apresentou

os sintomas até 10 dias depois.

Se suspeitar da gripe A (H1N1), devo procurar um posto de saúde ou um dos hospitais de referência?

Procure a unidade de saúde mais próxima, onde será examinado. Se

houver suspeita de contaminação pela gripe A (H1N1), com base na

análise clínica e na investigação sobre a possibilidade de exposição ao

vírus, poderá ser encaminhado a um hospital de referência. Dependendo

da gravidade dos sintomas, o paciente pode ser mantido em casa, bob

monitoramento.

Há tratamento para influenza A (H1N1) disponível?

Sim. Há um medicamento antiviral indicado pela OMS e disponível na

rede pública de saúde que será usado apenas por recomendação médica, a

partir de um protocolo definido pelo Ministério da Saúde. O remédio sói

faz efeito se for tomado até 48 horas a partir do início dos sintomas.

Devo tomar algum remédio preventivamente, mesmo sem sintomas?

Ninguém deve tomar medicamento sem indicação médica. A automedicação

pode mascarar sintomas, retardar o diagnóstico e até causar resistência

ao vírus.

Devo cancelar a viagem para a Argentina ou o Chile?

Segundo a Secretária Estadual da Saúde, não há recomendação oficial

de evitar viagens aos países sul-americanos. Como a taxa de natalidade

da doença é modesta, mesmo em comparação a uma gripe comum (cerca de

0,45%), e a proporção de casos ainda é pequena em relação ao total da

população, o governo não orienta a suspender viagens.

Nas regiões afetadas, o que posso fazer para reduzir as chances de contaminação?

Use mascaras cirúrgicas descartáveis durante a permanência na área

de risco. Ao tossir ou respirar, cubra o nariz e a boco com um lenço,

preferencialmente descartável. Evite lugares com aglomeração de pessoas

e contato direto com pessoas doentes. Não compartilhe alimentos, copos,

toalhas e objetos de uso pessoal e evite tocar olhos, nariz ou boca.

Lave as mãos frequentemente com água e sabão, especialmente depois de

tossir ou espirrar. Fique atento, ainda, às medidas preventivas

recomendadas pelas autoridades locais das áreas afetadas.

Com a aproximação dos meses de inverno e a temperatura caindo, há maior risco de disseminação da gripe A (h1N1) no estado?

Sim. O risco de disseminação do vírus aumento com o frio, como o de

qualquer outra gripe. È importante que todos procurem se alimentar bem,

dormir bem, usar agasalho para se proteger do frio e evitar ambientes

fechados com grande aglomeração de pessoas.

Existe vacina contra a gripe A (H1N1)?

Até o momento, não. Está em estudo a elaboração de uma vacina eficaz.

Qual o estado de saúde de quem foi contaminado pela doença?

A maior parte dos casos confirmados em diversos países com descrição

de sintomas apresenta quadro clínico leve ou moderado com resposta

favorável ao tratamento específico, quando indicado, ou às medidas de

suporte clínico. Existe uma maior frequência de casos mais graves entre

pessoas com doenças crônicas preexistentes.

Alguém já morreu no Brasil devido à pandemia?

Até o momento, não.

Se eu tomar a vacina contra a gripe comum, ela vai aumentar minhas defesas contra o vírus da influenza A (H1N1)?

Ninguém deve tomar medicamento sem indicação médica. A automedicação

pode mascarar sintomas, retardar o diagnóstico e até causar resistência

ao vírus.

É seguro comer carne de porco e alimentos como presunto, patê suíno, salame, salsicha e bacon?

Sim. Não existe de transmissão da gripe - que inicialmente foi

chamada de suína – por ingestão de alimentos adequadamentes preparados.

O vírus H1N1, responsável pela epidemia, não resiste ao cozimento em

temperaturas superiores a 70ºC, como se recomenda para a preparação de

carne de porco e outras carnes. Também não há nem um tipo de risco em

comer alimentos como presunto, patê, salsicha e bacon, entre outros.

Quem viaja para países onde existem casos confirmados ou suspeitos recebe máscaras?

Segundo a assessoria de imprensa da Agência Nacional de Vigilância

Sanitária (Anvisa), pessoas que vão para locais afetados pela doença

são orientadas a levar a máscara. A compra tem de ser feita pelo

próprio viajante. Não há distribuição gratuita.

Em quanto tempo, a partir da transmissão, os sintomas aparecem?

Os sintomas podem iniciar no período de 3 a 7 dias após contato com

esse novo subtipo do vírus e a transmissão ocorre principalmente em

locais fechados.

Por que a gripe mata?

A pessoa pode morrer do próprio vírus, mas a morte pode ser causada

por infecções bacterianas secundárias, que surgem porque o organismo

fica debilitado com a gripe. É o caso da pneumonia, que pode levar a

uma insuficiência respiratória.

O que é pandemia?

Pandemia significa uma epidemia em grandes proporções, envolvendo

diversos países e continentes de forma simultânea, e acometendo um

grande grupo de pessoas. No último século, ocorreram três grandes

pandemias: Gripe espanhola (1918) Gripe Asiática (1957) e Gripe Hong

Kong (1968), que tiveram um grande impacto na mortalidade,

principalmente de crianças e de adultos jovens, além de graves danos

socioeconômicos.

Como será recebido o cidadão que procurar a rede privada de saúde?

A pessoa que apresentar sintomas relacionados à influenza A (H1N1) e

tiver tido contato com paciente com caso confirmado deve procurar uma

unidade de saúde mais próxima, seja ela pública ou privada. No local, o

profissional de saúde que o atender terá condições de fazer uma

avaliação e, se considerar pertinente, encaminhar a pessoa para um

hospital de preferência público definido pela Secretária estadual de

Saúde, no qual o paciente terá acesso a exames e ao tratamento, o que

inclui medicamentos.

Como posso obter mais informações sobre a doença?

O disque saúde (0800 61 1997) presta esclarecimentos sobre a doença

causada pelo vírus A (H1N1). Cerca de 4,3 milhões de panfletos

trilíngue (português inglês e espanhol) estão sendo distribuídos com as

principais informações para viajantes em todos os aeroportos do país. O

site do Ministério da Saúde também disponibiliza informações sobre a doença.