Os protistas são as algas unicelulares e os protozoários. A célula de um

protista é semelhante às células de animais e plantas, mas há

particularidades.

Os plastos das algas são diferentes dos das plantas quanto à

sua organização interna de membranas fotossintéticas. Ocorrem cílios e

flagelos para a locomoção. Alguns protozoários, como certas amebas, têm

envoltórios protetores, as tecas. Os radiolários e heliozoários possuem um

esqueleto intracelular composto de sílica.

Os foraminíferos são dotados de

carapaças externas feitas de carbonato de cálcio. As algas diatomáceas

possuem carapaças silicosas. Os protistas podem ainda ter adaptações de forma

e estrutura de acordo com o seu modo de vida: parasita, ou de vida livre.

Segundo a classificação do mundo vivo em cinco reinos ( Whittaker – 1969 ),

um deles, o dos Protistas, agrupa organismos eucariontes, unicelulares,

autótrofos e heterótrofos. Neste reino se colocam as algas inferiores:

euglenófitas, pirrófitas ( dinoflagelados ) e crisófitas (diatomáceas ), que

são Protistas autótrofos (fotossintetizantes). Os protozoários são Protistas

heterótrofos.

Protozoários são seres microscópicos, eucariontes e unicelulares. Quando

dividimos os seres vivos em Animais e Vegetais, os protozoários são estudados

no Reino Animal e os fitoflagelados – que são protozoários – são

estudados no Reino Vegetal. Os protozoários constituem um grupo de eucariontes

com cerca de 20 mil espécies. É um grupo diversificado, heterogêneo, que

evoluiu a partir de algas unicelulares.

Em alguns casos essa origem torna-se bem clara, como por exemplo no grupo de

flagelados. Há registro fóssil de protozoários com carapaças

(foraminíferos), que viveram há mais de 1,5 bilhão de anos, na Era

Proterozóica. Grandes extensões do fundo dos mares apresentam espessas camadas

de depósitos de carapaças de certas espécies de radiolários e

foraminíferos. São as chamadas vasas.

Os protozoários são, na grande maioria, aquáticos, vivendo nos mares, rios,

tanques, aquários, poças, lodo e terra úmida. Há espécies mutualísticas e

muitas são parasitas de invertebrados e vertebrados. Eles são organismos

microscópicos, mas há espécies de 2 a 3 mm. Alguns formam colônias livres ou

sésseis.

Muitos protozoários apresentam orgânulos especializados em determinadas

funções, daí serem funcionalmente, semelhantes aos órgãos. Suas células,

no entanto, podem ser consideradas “pouco especializadas”, já que realizam,

sozinhas, todas as funções vitais dos organismos mais complexos, como

locomoção, obtenção do alimento, digestão, excreção, reprodução. Nos

seres pluricelulares, há divisão de trabalho e as células tornaram-se muito

especializadas, podendo até perder certas capacidades como digestão,

reprodução e locomoção.

PROTISTAS

• Protozoários (heterótrofos)

• Algas unicelulares (autótrofos)

• Algas multicelulares (autótrofos)

CARACTERÍSTICAS:

• Eucariontes

• Unicelulares

PROTOZOÁRIOS

Classificação baseada na locomoção

• Sarcodíneos (pseudópodes)

• Flagelados (flagelos)

• Ciliados (cílios)

• Esporozoários (sem estruturas de locomoção)

Reprodução

• Sarcodíneos: BIPARTIÇÃO (Célula se divide em duas);

• Flagelados: BIPARTIÇÃO LONGITUDINAL;

• Ciliados: DIVISÃO BINÁRIA (assexuada, macro e micro núcleo dividem-se e ocorre a formação de um sulco transversal , que divide a célula ao meio) CONJUGAÇÃO (assexuada);

• Esporozoários: DIVISÃO MÚLTIPLA (assexuada, núcleo se divide, membrana fica resistente e envolve cada novo núcleo, formando vários merozoítos) ESPOROGONIA (sexuada, o zigoto (2n) sofre uma meiose, então os 4 esporozoítos (n) multiplicam-se por mitose, originando milhões de esporozoítos);

Doenças

• Sarcodíneos:

- Amebíase (diarréias): Entamoeba histolytica (comida contaminada);

• Flagelados: 

- Úlcera de Bauru (úlceras na pele): Leishmania brasiliensis (picada do Phlebotumos);

- Giardíase (disenteria): Giardia lamblia (comida contaminada)

- Doença do sono (sono): Trypanosoma (picada da mosca tsé-tsé)

- Doença de Chagas: Trypanosoma cruzi (barbeiro, que defeca enquanto pica, e elimina os tripanossomos, que se instalam no coração e esôfago, provocando aumento deles. Essa doença não tem cura, e deve acabar com o mosquito)

• Esporozoários:

- Malária (febre): Plasmodium malarie, Plasmodium vivax, Plasmodium falciparum ->só este mata. (picada do mosquito Anopheles; o homem é o hospedeiro intermediário, pois nele ocorre apenas a reprodução assexuada; o mosquito é o hospedeiro definitivo, pois nele ocorre reprodução sexuada). Ciclo: Plasmodium sp sofre meiose e seus esporos vão para o fígado. Lá eles se dividem por mitose, formando vários esporozoítos. Então, alguns esporozoítos saem do fígado e caem na corrente sanguínea, chegando às hemácias. Infectam as hemácias, fazem mitose e a hemácia, cheia de protozoários, se rompe, liberando os protozoários plasmodium sp e toxinas, que provocam a febre.