O seu professor passa

problemas numéricos para que você possa aumentar a sua capacidade em

resolvê-los ou possa compreender alguma lei cientifica.

Por exemplo, uma das primeiras equações que

aprendemos é:

Resolvendo esta equação, você aprende a

relação entre a força necessária para mover um objeto e o peso deste.

Sugerimos seis etapas para resolver os

problemas

1. Leia o seu problema cuidadosamente;

compreenda o que está enunciado.

2. Escreva cada item que é dado.

3. Escreva o que pretende determinar.

4. Desenhe um diagrama simples com os dados

do problema e do que pretende determinar.

5.  Pense num modo de resolver o problema.

(Use uma equação, se possível).

6. Resolva o problema, eliminando tudo

aquilo que for desnecessário, onde for possível e aconselhável.

Verifique a resposta obtida

Pergunte a si mesmo se a solução encontrada é lógica ou não. Se a sua

resposta a um problema sobre movimento é que um automóvel se move com

uma velocidade de 1.500 km/h, (!) provavelmente a solução encontrada

não está certa e o melhor que tem a fazer é verificar tudo novamente.

Todas as vezes que você usa uma equação, pode verificar, até certo

ponto, a correção do seu resultado substituindo a resposta na equação.

Elimine os termos semelhantes em ambos os membros da equação.

Finalmente, se obtiver dois membros iguais, você pode concluir que a

solução algébrica está correta. Deve, pois, procurar o erro noutra

parte do problema.

Texto adaptado e ampliado de:

“Física Na Escola Secundária”

De Oswald H. Blackwood, Wilmer B. Herron

& William C. Kelly -

Tradução de José Leite Lopes e Jayme Tiomno -

Editora Fundo de Cultura