A letra maiúscula é um recurso gráfico utilizado para dois propósitos:

assinalar o início do período (em oposição ao ponto final, que o

encerra) e dar destaque a uma palavra, seja ela um substantivo próprio

ou não. Uma vez alfabetizados, não temos dificuldade em utilizar a

maiúscula para o primeiro propósito, mas temos dúvidas freqüentes sobre

quando dar ou não destaque à palavra.

     O Formulário Ortográfico de 1943, que rege a matéria, não

foi suficiente explícito quanto ao estabelecimento de normas.

     Além do mais, dá margem à flexibilidade, quando permite o uso de

inicial maiúscula por "especial relevo", por "deferência, consideração,

respeito", quando "se queira realçar", ou na designação de "alto

conceito", "altos cargos, dignidades ou postos." Assim, sempre se

poderia justificar o uso de maiúsculas pela "ênfase" ou "destaque".

     O que se observa hoje em dia são as seguintes tendências:

     1. As grandes companhias jornalísticas criam, para vários casos,

normas próprias e acabam criando uma tendência.

     2. O emprego de maiúsculas em excesso, os negritos, os sublinhados

ou os destaques estão caindo de moda, já que "poluem" o texto.

     3. A tendência é, pois, a seguinte:

     - mais formalidade, mais deferência, mais ênfase: maiúscula;

     - mais modernidade, menos "poluição" gráfica, mais simplicidade:

minúscula.

     Nunca se pode esquecer, no entanto, da regra taxativa que preceitua

o emprego obrigatório de letra inicial maiúscula nos substantivos

próprios de qualquer natureza.

     

Quando devo usar maiúscula,

obrigatoriamente?

     1. No início de período ou citação.

Exemplos:

     - Ao longo de sua existência, a PUCRS atingiu uma posição de

destaque entre as instituições de ensino superior mais conceituadas do

Brasil.

     - O Ir. Norberto Francisco Rauch, reitor da PUCRS, declarou, ao

lançar o Plano Estratégico da PUCRS 2001-2010: "A aspiração da PUCRS é

tornar-se referência pela relevância de suas pesquisas e excelência de

seus cursos e serviços, conforme descrito na sua Visão de Futuro."

     Observação: Se, depois dos dois pontos, vier um simples

desdobramento da frase ou uma enumeração (e não uma citação direta), a

palavra começará com minúscula. Exemplo: O contexto do ensino superior

brasileiro apresenta, entre outras, as seguintes grandes tendências:

expansão acelerada e interiorização de ensino superior, consolidação da

pós-graduação e melhoria da qualificação do corpo docente.

     2. Nas datas oficiais e nomes

de fatos ou épocas históricas, de festas religiosas, de atos solenes e

de

grandes empreendimentos públicos ou institucionais.

     Exemplos: Sete de Setembro, Quinze de Novembro, Ano

Novo, Idade Média, Era Cristã, Antigüidade, Sexta-Feira Santa, Dia das

Mães, Dia

do Professor, Natal, Confraternização Universal, Corpus Christi,

Finados.

     Observação: empregue letra minúscula em casos como os

seguintes: era espacial, era nuclear, era pré-industrial, etc.

     3. Nos títulos de livros,

teses, dissertações, monografias, jornais, revistas, artigos, filmes,

peças,

músicas, telas, etc.

     Observação: escrevem-se com inicial minúscula os artigos, as

preposições, as conjunções e os advérbios desses títulos.

     Exemplos: O Catecismo ao Alcance de Todos, Pilares da

PUCRS, O Racional e o Mitológico em Wittgenstein, Os Sentidos da Justiça

em Aristóteles, Introdução a Estudos de Fonologia do Português

Brasileiro.

     4. Nos nomes dos pontos cardeais e dos colaterais quando

indicam as grandes regiões do Brasil e do mundo.

     Exemplos: Sul, Nordeste, Leste Europeu, Oriente Médio,etc.

     Observação: Quando designam direções ou quando se empregam

como adjetivo, escrevem-se com inicial minúscula: o nordeste do Rio

Grande do Sul; percorreu o Brasil de norte a sul, de leste a oeste; o

sudoeste de Santa Catarina; vento norte; litoral sul; zona leste, etc.

     5. Nos nomes de disciplinas de um currículo ou de um exame.

     Exemplos: Introdução à Bíblia, Teologia Moral V, Língua

Portuguesa I, Filosofia II, História da Psicologia, Matemática B,

Cirurgia IV, Mecânica Geral,etc.

     6. Nos ramos do conhecimento humano, quando tomados em sua

dimensão mais ampla:

     Exemplos: a Ética, a Lingüística, a Filosofia, a Medicina, a

Aeronaútica, etc.

     7. Nos nomes dos corpos celestes.

      Exemplos: Terra, Sol, Lua, Via-Láctea, Saturno, etc.

     8. Nos nomes de leis, decretos, atos ou diplomas oficiais.

     Exemplos: Decreto Federal nº 25. 794; Portaria nº 1054, de

17-9-1998; Lei dos Direitos Autorais nº 9.609; Parecer nº 03/00; Sessão

nº 01/00; Resolução 3/87 CFE, etc.

     9. Em todos os elementos de um nome próprio composto,

unidos por hífen.

      Exemplos: Pró-Reitoria de Ensino e Graduação, Pós-Graduação

em Finanças, etc.

     10. Nos nomes de eventos (cursos, palestras, conferências,

simpósios, feiras, festas, exposições, etc.).

     Exemplos: Simpósio Internacional de Epilepsia; Jornada

Paulista de Radiologia; II Congresso Gaúcho de Educação Médica; Técnicas

de Ventilação em Neonatologia, etc.

     11. Nos nomes de diversos setores de uma administração ou

instituição.

     Exemplos: Reitoria, Pró-Reitoria de Administração,

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, Pró-Reitoria de Extensão

Universitária, Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários, Gabinete da

Reitoria, Assessoria Jurídica, Assessoria de Comunicação Social,

Gerência de Web, Conselho Departamental, Departamento de Jornalismo,

Centro de Pastoral Universitária, etc.

     Observação: Na designação das profissões e dos ocupantes de

cargo (presidente, vice, ministro, senador, deputado, secretário,

prefeito, vereador, papa, arcebispo, cardeal, princesa, rei, rainha,

diretor, coordenador, advogado, professor, engenheiro, reitor,

pró-reitor, etc) empregue-se letra minúscula, apesar de a norma oficial

determinar maiúscula para os "altos cargos, dignidades ou postos".

Exemplos: reitor, vice-reitor, pró-reitor, chefe de gabinete, assessor,

diretor, vice-diretor, coordenador, professor, etc.

     12. Nos nomes comuns, quando personificados ou

individualizados.

     Exemplos: O Estado (Rio Grande do Sul), o País, a Nação (o

Brasil), etc.

     13. Nos pronomes de tratamento e nas suas abreviaturas.

     Exemplos: Vossa Excelência, Vossa Senhoria, Senhor, Senhora,

Dom, Dona, V. Exa., V. Sa., etc.

     14. Nos acidentes geográficos e sua denominação.

     Exemplos: Rio das Antas, Rio Taquari, Serra do Mar, Golfo

Pérsico, Cabo da Boa Esperança, Lagoa dos Quadros, Oceano Atlântico.

     Observação: Segundo a norma oficial, escrevem-se com

minúsculas: rio Taquari, monte Everest, etc. Acontece, no entanto, que

tal procedimento poderá trazer confusão quando o acidente geográfico faz

parte integrante, indissociável do nome próprio: Mar Morto, Mar

Vermelho, Trópico de Câncer, Hemisfério Sul, etc. Se a opção for sempre

pela maiúscula, a grafia, neste caso, ficará mais fácil.

     15. Nos nomes de logradouros públicos (avenida, ruas,

travessas, praças, pontes, viadutos, etc.).

      Exemplos: Avenida Farrapos, Rua Vicente da Fontoura,

Travessa Fonte da Saúde, Parque Farroupilha, Praça São Sebastião, Praça

Dom Feliciano, etc.