Separamos as técnicas de redação em 3 pontos para facilitar o processo de aprendizagem.

I - NARRAÇÃO

Narrar é contar um fato, um episódio; todo discurso em que algo é

CONTADO possui os seguintes elementos, que fatalmente surgem conforme

um fato vai sendo narrado:

onde ?

|

quando? 

---      FATO   

--- com quem?

|

como?

A representação acima quer dizer que, todas as vezes que uma

história é contada (é NARRADA), o narrador acaba sempre contando onde,

quando, como e com quem ocorreu o episódio.

É por isso que numa narração predomina a AÇÃO: o

texto narrativo é um conjunto de ações; assim sendo, maioria dos VERBOS

que compõem esse tipo de texto são os VERBOS DE AÇÃO. O conjunto de

ações que compõem o texto narrativo, ou seja, a história que é contada

nesse tipo de texto, recebe o nome de ENREDO.

As ações contidas no texto narrativo são praticadas pelas

PERSONAGENS, que são justamente as pessoas envolvidas no episódio que

está sendo contado ("com quem?" do quadro acima). As personagens são

identificadas (=nomeadas) no texto narrativo pelos SUBSTANTIVOS

PRÓPRIOS.

Quando o narrador conta um episódio, às vezes( mesmo sem querer) ele

acaba contando "onde" (=em que lugar)  as ações do enredo foram

realizadas pelas personagens. O lugar onde ocorre uma ação ou

ações  é chamado de ESPAÇO, representado no texto pelos ADVÉRBIOS

DE LUGAR.

Além de contar onde , o narrador também pode esclarecer "quando"

ocorreram as ações da história. Esse elemento da narrativa é o TEMPO,

representado no texto narrativo através dos tempos verbais, mas

principalmente pelos ADVÉRBIOS DE TEMPO.

É o tempo que ordena as ações no texto narrativo: é ele que indica

ao leitor "como" o fato narrado aconteceu. A história contada, por

isso, passa por uma INTRODUÇÃO (parte inicial da história, também

chamada de prólogo), pelo DESENVOLVIMENTO do enredo (é a história

propriamente dita, o meio, o "miolo" da narrativa, também chamada de

trama) e termina com a CONCLUSÃO da história (é o final ou epílogo).

Aquele que conta a história é o NARRADOR,  que pode ser PESSOAL

(narra em 1a pessoa : EU...) ou IMPESSOAL (narra em 3a. pessoa:

ELE...).

Assim, o texto narrativo é sempre estruturado por verbos de ação,

por advérbios de tempo, por advérbios de lugar e pelos substantivos que

nomeiam as personagens, que são os agentes do texto, ou seja, aquelas

pessoas que fazem as ações expressas pelos verbos, formando uma rede: a

própria história contada.

II - DESCRIÇÃO

Descrever é CARACTERIZAR alguém, alguma coisa ou algum lugar através

de características que particularizem o caracterizado em relação aos

outros seres da sua espécie. Descrever, portanto, é também

particularizar um ser. É "fotografar" com palavras.

No texto descritivo, por isso, os tipos de verbos mais adequados

(mais comuns) são os VERBOS DE LIGAÇÃO (SER, ESTAR, PERMANECER, FICAR,

CONTINUAR, TER, PARECER, etc.), pois esses tipos de verbos ligam as

características - representadas linguisticamente pelos ADJETIVOS - aos

seres  caracterizados - representados pelos SUBSTANTIVOS.

Ex. O pássaro é azul . 1-Caractarizado: pássaro / 2-Caracterizador

ou característica: azul / O verbo que liga 1 com 2 : é

Num texto descritivo podem ocorrer tanto caracterizações objetivas

(físicas, concretas), quanto subjetivas (aquelas que dependem do ponto

de vista de quem descreve e que se referem às características

não-físicas do caracterizado). Ex.: Paulo está pálido (caracterização

objetiva), mas lindo! (carcterização subjetiva).  

III - DISSERTAÇÃO

Além da narração e da descrição há um terceiro tipo de redação ou de

discurso: a DISSERTAÇÃO.

Dissertar é refletir, debater, discutir, questionar a respeito de um

determinado tema, expressando o ponto de vista de quem escreve em

relação a esse tema. Dissertar, assim, é emitir opiniões de maneira

convincente, ou seja, de maneira que elas sejam compreendidas e aceitas

pelo leitor ; e isso só acontece quando tais opiniões estão bem

fundamentadas, comprovadas, explicadas, exemplificadas, em suma: bem ARGUMENTADAS

(argumentar= convencer, influenciar, persuadir). A argumentação é o

elemento mais importante de uma dissertação.

Embora dissertar seja emitir opiniões, o ideal é que o seu autor

coloque no texto seus pontos de vista como se não fossem dele e sim, de

outra pessoa ( de prestígio, famosa, especialista no assunto,

alguém...), ou seja, de maneira IMPESSOAL, OBJETIVA e sem prolixidade

("encher lingüiça"): que a dissertação seja elaborada com VERBOS E

PRONOMES EM TERCEIRA PESSOA. O texto impessoal soa como verdade e, como

já citado, fazer crer é um dos objetivos de quem disserta.

Na dissertação, as idéias devem ser colocadas de maneira

CLARA E COERENTE e organizadas de maneira LÓGICA:

a) o elo de ligação entre pontos de vista e

argumento se faz de maneira coerente e lógica através das CONJUNÇÕES

(=conectivos) - coordenativas ou subordinativas, dependendo da idéia

que se queira introduzir e defender; é por isso que as conjunções são

chamadas de MARCADORES ARGUMENTATIVOS.

b) todo texto dissertativo é composto por três

partes coesas e coerentes: INTRODUÇÃO, DESENVOLVIMENTO e CONCLUSÃO.

A introdução é a parte em que se dá a apresentação do tema, através

de um CONCEITO ( e conceituar é GENERALIZAR, ou seja, é dizer o que um

referente tem em comum em relação aos outros seres da sua espécie) ou

através de QUESTIONAMENTO(s) que ele sugere, que deve ser seguido de um

PONTO DE VISTA e de seu ARGUMENTO PRINCIPAL. Para que a introdução

fique perfeita, é interessante seguir esses passos:

  1. Transforme o tema numa pergunta;

  2. Responda a pergunta ( e obtém-se o PONTO DE VISTA);

  3. Coloque o porquê da resposta ( e obtém-se o ARGUMENTO).

O desenvolvimento contém as idéias que reforçam o argumento

principal, ou seja, os ARGUMENTOS AUXILIARES e os FATOS-EXEMPLOS (

verdadeiros, reconhecidos publicamente).

A conclusão é a parte final da redação dissertativa, onde o seu

autor deve "amarrar" resumidamente ( se possível, numa frase) todas as

idéias do texto para que o PONTO DE VISTA inicial se mostre

irrefutável, ou seja, seja imposto e aceito como verdadeiro.

Antes de iniciar a dissertação, no entanto, é preciso que seu autor:

1. Entenda bem o tema; 2. Reflita a respeito dele;3. Passe para o papel

as idéias que o tema lhe sugere; 4. Faça  a organização textual (

o "esqueleto do texto"), pois a quantidade de idéias sugeridas pelo

tema é igual a quantidade de parágrafos que a dissertação terá no 

DESENVOLVIMENTO do texto.

Saiba mais