Para a maioria das pessoas que estão acostumadas a ir ao supermercado e encher o carrinho de produtos diet e light, o diet é aquele que faz uma restrição severa de açúcar e calorias, e o light é um meio-termo entre um produto normal e um produto diet. Mas será que isso está certo? Não.

Uma coca diet traz 1,5 cal em uma latinha. A tradicional chega a 142. E a light? Tem a mesma 1,5 cal da sua antecessora. Então a Coca-Cola errou? Não.

O seu produto obedece a especificações que poderiam classificá-lo como light, diet como restrição de açúcar ou diet para controle de peso.

De acordo com a portaria de maio de 1996 do Ministério da Saúde, light é um termo para ser usado nos produtos que oferecem uma redução de calorias ou de outros nutrientes em relação ao produto normal.

A redução das calorias pode acontecer por meio da diminuição em qualquer um de seus componentes, em geral de açúcares ou gorduras. E a quantidade de calorias oferecidas tem que ser, no mínimo, 25% inferior ao valor calórico do seu análogo. Ou seja, a coca light é light mesmo.

Diet é um termo para ser usado em alimentos com fins dietéticos específicos. Assim, o consumidor pode encontrar na prateleira um produto diet para diabéticos, que vem sem adição de açúcares. Isso significa que o produto é pobre em calorias e indicado para dietas de controle de peso? Não.

Muitas vezes, para eliminar o açúcar, o fabricante tem que adicionar uma grande quantidade de gordura. E o valor calórico do produto pode ficar ainda mais alto do que o seu análogo.

A nutricionista Monica Beyruti, da clínica Alfredo Halpern, explica que isso é o que acontece, por exemplo, com uma barra de chocolate diet para diabéticos, que pode engordar até mais que um chocolate normal. Assim, os alimentos diet não são necessariamente produtos para serem usados em dieta de controle de peso.

Maria Aparecida Laurino, nutricionista do Hospital das Clínicas da USP e da clínica Integração, explica que o alimento diet é aquele que tem um objetivo dietético bem definido. Assim, existe o diet com restrição de açúcar (para diabéticos), o diet com restrição de calorias (para obesos), o diet com restrição de sódio (para hipertensos), o diet com restrição de gorduras, de proteínas, de colesterol (coronarianos), e assim por diante.