Muitos alunos querem prosseguir seus estudos além do ensino médio, entrando numa faculdade. Mas dispor do dinheiro para pagar as mensalidades tem sido uma das questões a serem enfrentadas por grande parte desses estudantes, ainda mais na crise econômica pela qual passa nosso país. Este pode ser o seu caso. 

A solução às vezes vem de um emprego, aumento salarial ou mesmo aperto no orçamento. Entretanto, é sabido que isto nem sempre é possível. Mas não desista! Há programas públicos, financiamentos e bolsas de estudos que podem realizar seu sonhado projeto.

Veja quais são os modos de como pagar uma faculdade

  • ProUni
  • FIES
  • Ingresso direto
  • Bolsas

Saiba como funciona cada um deles

ProUni

O Programa Universidade para Todos (ProUni) foi criado pelo MEC para facilitar a entrada  de estudantes de baixa renda sem diploma de curso superior na faculdade. Dá bolsas de estudos, parciais e integrais, em instituições particulares, com base nas notas do Enem.

Como participar do ProUni:

  • Fazer as provas do Enem e obter as notas necessárias.
  • Inscrever-se no site do ProUni e comprovar que satisfaz as condições.
  • Aguardar e acompanhar a chamada do processo de seleção.

As inscrições são abertas geralmente no princípio de cada semestre. A inscrição é gratuita, feita no site do ProUni numa só etapa. 

Você deve escolher dois cursos, em ordem de preferência e, nos dias de inscrição, sempre a partir das 9 horas da manhã, seguir a nota de corte atualizada. 

Até o final do prazo de inscrição, você pode mudar os cursos de sua escolha, colocando aqueles em que sua pontuação for maior que a nota de corte, que é a menor nota para obter a vaga num curso, turno, faculdade e modalidade de concorrência.

Quem pode participar do ProUni

Para participar do ProUni é preciso, antes de tudo, ter feito o último Enem e obtido pelo menos a média de 450 pontos, bem como nota superior a zero na redação. Quanto mais pontos, mais chances você terá. 

Depois, tem de estar numa das condições abaixo:

  • Ter feito o ensino médio em escola pública ou escola privada com bolsa integral. 
  • Ter renda familiar, por pessoa, de até 1,5 salários mínimos, caso em que poderá se candidatar a bolsa integral. Se for de 1,5 a 3 salários mínimos, a bolsa será de 50% e poderá ser completada com o FIES, observando alguns requisitos. 
  • Ter a renda da família, dividida pelo número de familiares, de até 3 salários mínimos.
  • Ser portador de necessidades especiais. Este caso deverá ser comprovado no ato da matrícula, junto com o atendimento às condições socioeconômicas acima.
  • Ser professor da rede pública, no efetivo exercício da função. Não terá de comprovar renda. Mas a inscrição será só para licenciatura, normal superior ou Pedagogia.

FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) também é um programa que possibilita o acesso ao ensino universitário. Se você não tem como pagar uma faculdade privada, o FIES financia o curso e o empréstimo só começará a ser pago após terminar sua graduação.

Este programa foi reformulado várias vezes e passou a ser chamado de Novo FIES, dividido em FIES e P-FIES. O FIES financia diretamente do governo para o estudante e, por isso, os juros são menores. 

No P-FIES, são as instituições financeiras que fazem o empréstimo, mas com dinheiro público e, assim, este é mais barato que o mercado, embora mais caro que o FIES. 

Como participar do FIES

Para obter o FIES, você tem de ter participado de qualquer edição do Enem desde 2010, com nota média de pelo menos 450 pontos e mais que zero na redação. Sua renda familiar por mês não pode ser maior que 2,5 salários mínimos por pessoa.

Há um limite de vagas. Por isto, para ter o empréstimo, é feita uma seleção. As inscrições são abertas no início de cada semestre. Os procedimentos do FIES têm mudado e atualmente são assim:

  • Abertas as inscrições, é preciso ir ao site do Fies Seleção e se cadastrar no processo seletivo.
  • Quando for selecionado, você deverá preencher um novo cadastro, agora no SisFies.
  • Depois, irá à faculdade para comprovar as informações prestadas no cadastro.
  • Finalmente, assinará no banco o contrato de financiamento.

O pagamento do empréstimo, que é o FIES, está sujeito a algumas normas:

  • Os juros estão em 6,5% ao ano, bem menores que os cobrados pelo mercado.
  • É preciso que você tenha um fiador,
  • A dívida só começará a ser paga um ano e meio após a sua formatura. Antes disto, você pagará baixas parcelas trimestrais, correspondentes aos juros.
  • Apenas o valor da mensalidade é coberto pelo FIES, mas não as despesas com roupas, comida, livros, transporte etc.
  • Você só pode fazer solicitação de financiamento do FIES para um curso de cada vez.

Bolsas de estudo

Bolsas são uma alternativa para você pagar menos pela faculdade ou até estudar de graça. Não tem sido muito difícil obter recursos desta forma, pois há muitas possibilidades. A começar pelo ProUni, do MEC, há outras bolsas públicas.

Estados e municípios também apoiam o estudante com bolsas. Se você ficar atento às oportunidades e pesquisar um pouco, nas redes sociais ou na imprensa, certamente encontrará muitas iniciativas nesse sentido, variando de acordo com o estado e a cidade em que reside.

Há também iniciativas privadas nesse sentido e planos que facilitam a vida financeira dos alunos são encontrados, pode-se dizer, em todas as faculdades. Existem ainda financiamentos e descontos, que trazem o sonho da graduação para muitos estudantes.

As bolsas nada mais são do que descontos que você pode ter nas mensalidades. Estes descontos podem ser de 5% até o valor total, concedidos pelas faculdades, para alunos que se destacam nas notas, ou para aqueles que não teriam como pagar o curso.

Ingresso direto

O ingresso direto é uma forma de entrar no ensino superior bastante aceita em instituições particulares. 

Seu funcionamento é simples e rápido, e possibilita que você obtenha uma vaga sem ter de fazer vestibular, desde que tenha prestado os exames do Enem em qualquer das edições a partir de 2010. As regras podem variar em cada faculdade.

Assim que saírem os resultados, você pode entrar no site da faculdade que quer frequentar, fazer a opção do curso e informar quais foram suas notas nas provas do Enem. 

Geralmente é possível saber imediatamente se sua vaga foi obtida, pois a avaliação é feita pelo sistema.

É claro que quanto maiores as suas notas, mais chance de sucesso. Deve ser atingida a pontuação fixada para cada curso, que varia conforme a faculdade, unidade, turno. Conseguida a vaga, basta fazer sua matrícula e aguardar o início do período letivo.

O ingresso direto serve para quase todas as graduações, presenciais ou à distância, em faculdades privadas, exceto Medicina. Para este curso, será necessário passar por outros processos seletivos, como o vestibular. 

Fique bem atento ao prazo de inscrições da faculdade que você escolheu, pois esse prazo muda conforme a instituição.

Onde estudar?

Separamos para você algumas instituições de ensino superior nas quais você pode entrar pelo ingresso direto e ainda conta com convênios, parcerias e bolsas de estudos de até 100%, de acordo com sua nota no Enem. 

Veja mais:

Resultado da isenção do Enem: onde e como ver? 

Saiba quanto você tirou no Enem e veja onde estudar

Agora é hora de aproveitar todas as oportunidades para fazer mais pela sua carreira em 2020. Deixe nos comentários qual a melhor forma para você para pagar a faculdade.