O Bolsa Universidade é um programa que complementa as ações do Escola da Família, que tem o objetivo de aproximar as comunidades das escolas públicas de São Paulo.

Os educadores, pais e familiares trabalham em conjunto para oferecer melhores condições de estudo para as crianças e adolescentes, assim como colaboram com a manutenção da estrutura física das escolas. Oferecem também orientações para o mercado de trabalho, saúde e momentos de lazer e descontração para os cidadãos. 

Os contemplados com o Bolsa Universidade assumem o compromisso de retribuir à comunidade e a todos aqueles que ajudaram em sua formação com a sua força de trabalho e conhecimentos adquiridos no ensino superior. 

Saiba agora como funciona esse programa e veja se você pode começar sua faculdade com uma bolsa de estudos integral!

O que é o programa Bolsa Universidade?

Para falar do Bolsa Universidade, precisamos primeiro falar do programa Escola da Família.

As escolas da rede pública de São Paulo abrem suas portas aos sábados e domingos para os moradores locais com o intuito de oferecer atividades esportivas, culturais, de aperfeiçoamento para o mercado de trabalho, assim como educação para a promoção de saúde.

Quem realiza essas atividades são profissionais da educação, voluntários e educadores universitários, que são os que recebem o Bolsa Universidade.

Essa é uma oportunidade de aproximação com a comunidade e de crescimento pessoal e profissional dentro dos princípios de inclusão social e respeito à pluralidade. Outro foco do trabalho é criar políticas de prevenção para o aumento da qualidade de vida da população.

Quem pode se inscrever para o programa Bolsa Universidade?

Se você já estuda em uma instituição conveniada com o programa, pode fazer sua inscrição. É preciso já estar regularmente matriculado em uma turma apta a iniciar ou em exercício. Além disso, também é necessário:

  • Não receber outra bolsa do governo, como o ProUni.
  • Não receber benefício de financiamento, como o FIES ou outras verbas provenientes de recursos públicos. 
  • Ter disponibilidade para trabalhar aos finais de semana, por 8 horas. 
  • Não possuir nível superior completo.
  • Não ter sido beneficiado anteriormente pelo Bolsa Universidade.

Como fazer a inscrição para o programa Bolsa Universidade?

O candidato deve entrar no site do Escola da Família e clicar em “Inscrição Bolsa Universidade”. Nessa aba, aparecerão as datas de inscrição, quando elas estiverem disponíveis. 

Para 2020, há previsão de novas inscrições, mas elas não foram abertas ainda devido à renovação das parcerias com as instituições participantes.

Enquanto elas não abrem, fique atento ao site e aos requisitos que estão no Regulamento.

No ato da inscrição será preciso: 

  • Preencher seus dados pessoais.
  • Fornecer um e-mail válido.
  • Criar uma senha de acesso.
  • Verificar a disponibilidade de vagas no link “Candidatos”.
  • Selecionar o curso que deseja cursar e a instituição de ensino.
  • Escolher a diretoria de ensino da região onde pretende atuar como educador universitário e algumas opções de escola.
  • Fornecer alguns dados de caráter socioeconômico.

Ao ser selecionado, é preciso comprovar por meio de documentos todos os dados informados. Depois de uma análise dos documentos, é feita uma classificação de acordo com uma pontuação.

Como é feita a classificação no programa Bolsa Universidade?

Feito o cadastro, o candidato precisa comprovar suas condições socioeconômicas e realizar sua matrícula na universidade, levando os documentos até a diretoria de ensino de sua região e também à instituição de ensino onde estuda.

Ele só participa do processo classificatório depois da aprovação da diretoria de ensino e da confirmação de informações pela sua faculdade.

Os critérios de desempate para a classificação são:

  • Baixa renda familiar.
  • Ter cursado o ensino médio em escola pública.
  • Despesas fixas mensais da casa.
  • Número de pessoas que moram na casa.
  • Quantas pessoas trabalham na casa.
  • Qual o tipo de moradia. 
  • Ser arrimo de família.
  • Ter trabalhado como voluntário no Escola da Família por um ano pelo menos.

Os candidatos são chamados segundo essa ordem classificatória, em um processo que pode durar até 12 meses. Isso significa que a bolsa só é concedida quando o candidato é convocado para o trabalho.

Após um ano, é preciso fazer uma nova inscrição e aguardar novamente caso seja classificado.

O que faz um educador universitário?

O trabalho de quem recebe a Bolsa Universidade é o de educador universitário. O seu papel é o de elaborar projetos que atendam à comunidade, dentro das necessidades da instituição de ensino em que o educador atuará.

As propostas devem seguir as diretrizes do programa, que são centradas em cinco eixos:

  • Aprendizagem
  • Trabalho
  • Saúde
  • Cultura 
  • Esportes

Maiores orientações são recebidas pelas coordenações geral, regional e local.

O estudante deve cumprir uma carga horária de 8 horas em apenas um dia (sábado ou domingo), nas escolas que foram indicadas pelas secretaria de ensino.

Ele auxilia a coordenação local na execução e planejamento das ações, assim como ajuda a buscar parcerias e novos voluntários na comunidade.

Quais outras bolsas posso concorrer para entrar em uma universidade?

Esse é um trabalho muito bonito e recompensador, mas infelizmente não há muitas bolsas. Contudo, ainda há outros que o governo oferece e, com isso, você tem mais opções para conseguir estudar com uma bolsa de estudos.

Com o Sisu você estuda de graça em faculdades públicas. Suas vagas são bastante concorridas, mas o aluno não paga nada. O requisito para ingressar é a nota do Enem, que precisa ser da última edição e maior de 450 pontos, além de a nota da redação ser acima de zero.

O ProUni oferece bolsas parciais (50%) e integrais (100%) em universidades privadas para candidatos que comprovem renda familiar total entre 1,5 e 3 salários mínimos. A seleção também é feita a partir da nota do Enem. É preciso ter feito a última edição do exame e ter nota acima de 450 pontos, sem zerar na redação. 

Você pode tentar o ingresso direto em universidades privadas. Com apenas 300 pontos no Enem e nota acima de zero na redação, é possível concorrer a bolsas de estudo de até 100%. Vale a pena pesquisar por boas instituições, reconhecidas pelo MEC.

Onde estudar com bolsas de estudo em faculdades particulares?

Temos algumas sugestões de excelentes faculdades que oferecem bolsas de até 100% de desconto.

Além disso, elas oferecem diversos cursos nas modalidades presencial e a distância. Confira:

Pesquise também se elas são parceiras do Bolsa Universidade. Alguns de seus polos oferecem essas bolsas para os que desejam estudar e ajudar a comunidade. 

Veja também:

Saiba tudo sobre bolsas de estudo para entrar na faculdade

Conheça as melhores bolsas de estudo para 2020

Você já conhece o programa Escola da Família? Comente aqui se já participou de alguma ação e o que motiva você a tentar a Bolsa Universidade!