Em época de vestibular, todo cuidado é pouco quando o assunto é saúde e bem estar, pois os jovens ao se prepararem para as provas acabam se esquecendo de detalhes que podem fazer a diferença no resultado final.

Nesses dias em que vão ser testados os conhecimentos, o trabalho de um ano inteiro pode ser comprometido por alguns pequenos “deslizes”, podendo assim atrapalhar a concentração e afetar o desempenho do estudante.

Se a prova for de manhã, o Dr. Paulo Olzon Monteiro da Silva, professor da Clínica Médica da Unifesp e membro da Sociedade Brasileira de Medicina Ortomolecular (Sobramo), aconselha o vestibulando não mudar a alimentação, ou seja, comer apenas o habitual, como por exemplo, frutas (mamão, melão, laranja) uma xícara de café com leite e um pão com manteiga ou geléia. Mas o mais importante é não abusar do açúcar e dos doces, pois podem, em algumas pessoas, ocasionar hipoglicemia após umas 2 a 3 horas mais ou menos, prejudicando justamente o desenvolvimento da prova.

Esse quadro de queda de açúcar pode prejudicar bastante o desempenho, pois o cérebro usa a glicose como fonte de energia. Uma xícara de café puro, com adoçante artificial ou pouco açúcar, pode ser um bom estimulante. Se a prova for longa, o estudante pode levar nozes, castanhas do Pará ou até mesmo uma fruta, que são fáceis de levar e dão sensação de saciedade.

Provas no período da tarde requerem um certo cuidado com que o que se come no almoço. Assim devem ser evitadas refeições muito grandes, pois podem provocar sonolência, que ocorre por causa do desvio da circulação sanguínea para as alças intestinais, fazendo com que haja uma diminuição do sangue que chega ao cérebro.

É bom comer menos e um pouco mais cedo. Por exemplo, se a prova for às 14 horas, comer por volta de 11:30 horas e descansar um pouco após a refeição. Os alimentos a serem consumidos são os habituais, como arroz, feijão, carnes, ovos, saladas, frutas evitando também o consumo de doces.

Evitar carnes principalmente as vermelhas mais gordurosas, pois tem digestão mais difícil, enquanto as brancas, particularmente o peixe, ou mesmo frango, tem digestão mais fácil.

Um cafezinho pode ser útil antes da prova (meia à uma hora antes). Refrigerantes devem ser evitados por dois motivos: pelo açúcar que contém, que pode provocar hipoglicemia e também pelos gases que podem provocar azia. Os mesmos conselhos servem para as pessoas que fazem provas à noite.

E mais: não é aconselhável querer se “matar” de estudar na última hora; ficar a noite anterior estudando; consumir álcool e calmantes, pois a ingestão de remédios pode prejudicar a memória e a concentração na hora da prova. É aconselhável, se houver tensão, usar no máximo um chá de erva doce ou erva cidreira e dormir cedo se a prova for de manhã e dormir até mais tarde se a prova for após o almoço, tendo aproximadamente 8 horas de sono.