6. Quais as exigências feitas a candidatos a intercâmbios culturais?

Variam bastante de agência para agência. Para dar uma idéia, algumas exigem conhecimento prévio da língua do país de destino (ou de uma das línguas lá faladas). Já outras entendem que um dos maiores objetivos do intercâmbio é justamente dar ao candidato a oportunidade de aprender a língua do país para o qual pretende viajar e, portanto, não dão grande importância ao fato de ele não dominá-la. Existem ainda agências que só atendem pessoas ligadas de alguma forma a uma determinada empresa ou associação, enquanto outras (a maioria) atendem todos os tipos de candidatos.

7. Quais são as opções de países nos programas de intercâmbio?

Lembre-se de que, embora os Estados Unidos, a Inglaterra, o Canadá e a França sejam os primeiros países que nos vêm à mente quando pensamos em intercâmbio, as agências oferecem opções para quase todos os lugares do mundo.

Ultimamente, tem crescido a preferência por programas na Nova Zelândia, na Austrália e em países africanos e centro-americanos. Se sua sede de experiências novas for grande, saiba que qualquer país e cultura acrescentarão muitas novas experiências à sua vida.

E por falar em destinos pouco convencionais de intercâmbio, que tal conhecer a experiência de quem foi para o Zimbábue?

8. A quem se deve recorrer para fazer um intercâmbio?

É preferível procurar agências especializadas nesse tipo de atividade. Essas empresas têm a experiência necessária para lidar com todas as variáveis do processo. Nessa seção, são divulgados os links para sites de algumas agências e programas. Mas essas não são as únicas opções existentes. Você pode encontrar outras alternativas em sua própria cidade ou região.

9. Quais são os critérios para a escolha de uma agência?

Pronto... Chegamos a um ponto fundamental. Se você está prestes a entrar numa das experiências mais importantes de sua vida, não pode entregar o planejamento da sua estada no exterior a qualquer empresa. É preciso ter calma e discernimento para escolher a agência certa. Lá vão algumas dicas, para começar:

Procure saber o mais que puder sobre a história da agência e de seus programas. É sempre interessante começar por aquelas que estejam estabelecidas no mercado há mais tempo e que tenham uma estrutura sólida no Brasil e no país de destino.

Entre em contato com alunos que já fizeram intercâmbio pela mesma agência ou programa. Tente conversar com pelo menos três ou quatro pessoas, preferencialmente de famílias diferentes e sem ligação comercial com a agência ou programa. Um depoimento sobre como tudo transcorreu para o estudante e sua família vale muito na hora de decidir. Lembre-se de que nessa hora é mais importante perguntar o que houve de errado e como a agência lidou com as situações do que quais foram as coisas mais legais que aconteceram. Afinal de contas, com situações positivas é sempre muito mais fácil lidar, não é mesmo?

Converse com mais de uma agência e compare o que elas têm a oferecer em termos de estrutura e valores. Pesquisa, nessa fase, só ajuda.

Procure conhecer as agências e/ou programas mais próximos de sua casa. É bem mais fácil lidar com a burocracia e a "papelada" envolvidas no processo se estamos em nossa própria cidade ou próximos dela.

10. Onde começar a procurar?

Incluímos aqui alguns sites de agências e programas de intercâmbio cultural para ajudá-lo a começar sua pesquisa. Daqui em diante, o trabalho é seu. As idéias estão postas.

BOA SORTE E ÓTIMA EXPERIÊNCIA NO EXTERIOR!