UNICENP - Paraná

Em determinada aula do curso de Ciências Biológicas, os alunos estavam no laboratório fazendo análise do tecido salivar, através do microscópio.

Cada estudante ficou responsável por coletar o material da própria boca. Em certo momento, uma aluna percebeu algo de errado com sua amostra.

Ao olhar no microscópio, observou uma célula flagelada se mexendo. Sabe-se que a mucosa bucal é desprovida de células flageladas. Quando questionada pela aluna sobre o fato inusitado, a professora, desconsertada, disse que se tratava de um "artefato da lâmina".

Bastou apenas alguns minutos para que a verdade fosse descoberta. A célula flagelada era, na realidade, um espermatozóide, em meio à mucosa bucal da caloura. 

UFG – Goiás 

Quando o professor Marcos Afonso Borges dava aula de processo civil, diziam que ele nunca corrigia provas e atribuía notas aleatoriamente. Pois bem, para comprovar essa tese, certo dia um aluno astucioso redigiu uma receita de bolo na folha de prova e assinou com o nome "Nelson Piquet". Qual não foi a surpresa da turma quando, semanas depois, viram fixado no mural de notas o nome do "Nelson Piquet" com sua respectiva nota 9,0 publicada. 

PUC - Campinas

Em 1990, um homem não identificado foi detido por um segurança da PUCCamp dentro do banheiro feminino, ao lado da Sala 800. Ele foi acusado de atentado violento ao pudor e ato obsceno enquanto observava as universitáriaa nuas dentro do banheiro.

Segundo testemunhas, ele entrava no banheiro masculino, usava uma porta de acesso no último box com sanitário e ficava escondido em um quartinho atrás do banheiro feminino. Por um orifício tornou-se um verdadeiro "olhador". Depois de satisfazer-se ia embora, saindo do box, todo suado, como se nada tivesse acontecido.

Após a detenção, a administração fechou o local com tijolos. Com a mais recente reforma do banheiro o espaço foi inutilizado. O episódio foi conhecido como "O caso do punheteiro da PUC". O segurança que desvendou o caso ganhou na época o apelido de "Herói". Nunca mais se falou no assunto.

Universidade de Massachusetts (EUA)

Dia de prova importante. Quatro alunos espertos não querem perder uma festa de arromba que ocorre a centenas de quilômetros dali. Ao voltarem certos de que podem enganar o professor, procuram o mestre, pedindo uma segunda chance.

Os quatro elegem um deles procurador e porta-voz, por ser o mais bem falante. Este explica que o grupo viajou um dia antes e, quando voltava, já de madrugada, um pneu do carro estourou em lugar distante de socorro, impedindo que chegassem a tempo. 

O professor parece entender o que houve e, compreensivo, pergunta se os alunos podem fazer a prova naquele exato momento: ''Como se trata de formalidade acadêmica e vocês quatro são bons alunos, vamos fazer uma prova substituta''. Os quatro exultam e concordam. Um deles, mais gaiato, ainda faz gestos e caretas atrás do professor, dando a entender que o mestre foi enrolado. 

Chegando à sala, o professor manda que cada um deles ocupe um canto do recinto e começa a ditar a prova de Matemática:  

- São apenas duas perguntas, e a primeira vale meio ponto: escreva o valor aproximado do número PI. 

Os alunos, confiantes e aliviados, surpreendem-se com a facilidade da pergunta. Rapidmente, todos escrevem na folha "3,14". O professor prossegue: 

- Agora vamos à segunda questão. Desenhe um carro, e assinale, no desenho, qual pneu estava furado. 

Resultado: os quatro alunos ganharam apenas meio ponto na nota prova. 

UFPR - Curitiba

Em determinado ano, um vestibulando chegou atrasado ao local de prova. Após insistir para que o segurança o deixasse entrar, não obteve sucesso. Decepcionado, o estudante saiu dali cabisbaixo.

Após caminhar determinada distância, ele deu meia volta e, para a surpresa de todos, começou a correr em direção ao portão. Expantado, o segurança ficou estático, observando a reação do garoto.

Ao se aproximar do portão, ele deu um salto inacreditável por cima do muro e na queda, quebrou uma janela com o peso de seu corpo, caindo exatamente na sala onde iria fazer a prova. Entretanto, da mesma maneira como ele entrou na sala, os segurança o jogaram para fora, pondo fim ao objetivo do persistente vestibulando. 

No ano seguinte, sem atrasos, ele conseguiu prestar vestibular na mesma universidade, conquistando, posteriormente, a aprovação. Hoje, o garoto exibe aos colegas suas sicatrizes, adquiridas no choque com o vidro daquela fatídica janela. 

Universidade desconhecida 

Em prova oral do curso de Medicina, o professor pergunta:  

- Quantos rins nós temos?

- Quatro - responde o aluno.

- Quatro? - replica o professor. 

Exasperado com a resposta absurda, o professor expulsa o aluno de sala, o qual, ao sair do recinto, teve ainda a suprema audácia de corrigir o furioso mestre: ''O senhor perguntou quantos rins nós temos. Nós temos quatros: dois meus e dois seus''. 

Universidade desconhecida

Numa bela manhã de sol, um professor de uma universidade começou sua aula assim:

- Alguém aí tem o livro "tal"? Ele pega o livro, em silêncio, senta-se à sua mesa e começa a lê-lo.

Vários minutos depois, ele resolve se explicar à turma:

- É que eu não preparei a aula...