Enquanto os candidatos convocados para a segunda fase do vestibular

fazem as provas específicas, estudantes desclassificados na primeira

etapa já têm novos planos para o futuro.

Ser aprovado no concorrido vestibular da Universidade Federal do

Paraná (UFPR) não é tarefa fácil. Dos mais de 40 mil estudantes que

participaram da prova da primeira fase deste ano, apenas 35% foram

convocados para a segunda etapa do processo seletivo, que termina hoje.

A reprovação, porém, nem sempre está relacionada com a capacidade do

candidato e não deve ser vista como o fim do mundo. Novos vestibulares

vêm por aí e os estudantes desclassificados no concurso já têm planos

para os próximos meses.

Para

Alana Franco Valente dos Santos, 17 anos, vestibulanda de Educação

Física, o sonho de ingressar no ensino superior não foi abandonado com

o resultado negativo no concurso da UFPR. Ela foi aprovada em duas

instituições particulares, a PUCPR e a Universidade Positivo, e

pretende matricular-se na primeira. “Vou esperar para ver se gostarei

do curso e se conseguirei pagar as mensalidades. Caso contrário, vou

tentar a Federal de novo no fim do ano que vem. Meus pais apóiam a

minha decisão, porque a PUCPR é uma ótima instituição e a mensalidade

do curso de Educação Física é só um pouco mais cara do que a de um

cursinho”, diz.

Aspirante a uma vaga no curso de Engenharia Ambiental da UFPR, a

estudante Vanessa Leal, 18 anos, planeja terminar o 3º ano e iniciar,

no ano que vem, um curso técnico subseqüente (destinado a alunos que já

concluíram o ensino médio). “Agora vou matar a saudade da minha

família, que ficou meio esquecida nos últimos meses. No próximo ano,

quero fazer o curso técnico em Meio Ambiente do Colégio Paulo Leminski.

Será um teste para saber se é realmente nessa área que eu quero

trabalhar. Na metade do ano que vem, pretendo iniciar um cursinho para

me preparar para o vestibular da Federal”, conta.

ProUni

Quem não passou para a segunda fase do vestibular da UFPR e não tem

condições financeiras de pagar uma universidade particular também pode

concorrer a uma das bolsas de estudo do Programa Universidade para

Todos (ProUni), do governo federal. As inscrições para o ProUni vão até

12 de dezembro e os interessados têm a oportunidade de escolher até

cinco opções de cursos e turnos nas instituições de ensino superior

privadas cadastradas no programa.

É isso que fará Camilli Caroline Pereira, 17 anos. “Não passei na

primeira fase da UFPR por duas questões. Acertei 26 perguntas das 80, e

o último colocado no meu curso fez 28. Agora vou tentar conseguir uma

bolsa do ProUni. Entre as minhas opções estão os cursos de Biomedicina

da Tuiuti e da UniBrasil, e os cursos de Administração da FAE, da

Unicuritiba e da PUCPR”, afirma. Mesmo se conseguir ingressar em uma

dessas instituições, entretanto, a estudante prestará vestibular

novamente para a Federal em 2009.

O aluno que deseja se candidatar ao ProUni precisa ter participado

do Enem de 2008 e ter obtido pelo menos 45 pontos no exame (média

aritmética entre as provas de Redação e de Conhecimentos Gerais).

Estudantes com renda familiar por pessoa de até um salário mínimo e

meio podem concorrer a uma bolsa de 100%. Candidatos com renda familiar

de até três salários mínimos por pessoa disputam apenas descontos de

50%. As bolsas são distribuídas conforme as notas obtidas pelos

estudantes no Enem.