Desde as primeiras

palavras escritas no caderno da pré-escola, os estudantes, mesmo que

ainda não saibam, têm um objetivo semelhante: cursar uma faculdade que

abrirá as portas para o mercado de trabalho e os tornará independentes,

aptos a tocar a própria vida.

O que dificulta essa passagem do período

estudantil apenas para a vida adulta, no entanto, tira o sono de muitos

adolescentes. É o temido processo seletivo chamado vestibular. Além de

dominar o conteúdo exigido nas provas do vestibular, os candidatos à

vaga em uma universidade precisam preparar-se psicologicamente. Calma,

raciocínio e disciplina são tão imprescindíveis quanto saber a teoria

de matemática, física ou química. “O vestibular tem cobrado raciocínio,

é importante ter algumas ‘sacadas’ especiais, capacidade de abstração,

de relacionar conteúdo, de relacionar as coisas com o dia a dia na

prática.

Isso se desenvolve como um todo, por meio de conversas

inteligentes, ouvindo, muita leitura, parando para pensar nas coisas do

mundo. Fazer perguntas e procurar respostas também é uma prática

interessante para desenvolver um raciocínio lógico e capacidade de

argumentação. Práticas como xadrez, exercícios físicos, descanso e

meditação podem ajudar”, afirma o professor e palestrante Luiz Antônio

de Souza Neto.

E, para os que pensam que a época que antecede o

vestibular é apenas de estudos, sem tempo para qualquer outra coisa,

Souza Neto alerta: é preciso fazer um planejamento de forma a balancear

todas as atividades, sem esquecer do lazer, uma vez que o equilíbrio

ajuda a harmonizar a energia para estudar. “A disciplina é necessária,

assim como estudar pelo menos duas horas por dia além das aulas do

cursinho. Naturalmente que para os que trabalham a realidade é

diferente, contudo, precisarão suprir esta necessidade de alguma forma.

É importante que cada um descubra qual é o seu melhor horário de

rendimento e uma forma inteligente de estudar”, diz o palestrante.

Professor

doutor do Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista

(Unesp), Leinig Perazolli escreveu um livro dedicado aos candidatos à

uma vaga em curso superior: “Como Virar Bixo - Um caminho para ser

aprovado no vestibular” (editora LexMar). Para ele, o vestibular deve

ser visto como uma grande oportunidade de realizar um projeto de vida

que, de acordo com números do Ministério da Educação, é enfrentada

anualmente por mais de cinco milhões de pessoas.

“Os vestibulandos

estão todos em um mesmo barco. Caso ocorra uma reprovação, você não vai

morrer, sua família não vai te abandonar e o sol vai continuar a

brilhar, isso significa apenas que o seu projeto não foi bem elaborado

e/ou executado. Muito namoro, muita balada, pouco estudo, muita

Internet e muita preguiça, ou um curso muito concorrido são as causas

prováveis. Então é necessário examinar o que aconteceu, colocar a

entrada na faculdade como prioridade, avaliar o ano de estudo, reforçar

os acertos e corrigir o que deu errado”, afirma Perazolli.

Tranquilidade

Conteúdo

que não se aprende nos livros nem nas salas de aula, mas tem

importância significativa na hora da prova é ter calma. Se o aluno sabe

todo o conteúdo, mas o nervosismo foge do controle, pode ter um

desempenho ruim, apesar de estar bem preparado. “O desequilíbrio

emocional tem sido um dos grandes desestabilizadores e responsáveis

pela reprovação no vestibular”, diz Souza Neto.

“Além disso, como

consequência da ansiedade podem acontecer os famosos ‘brancos’. Quando

estamos sob a situação de estresse lidamos com a questão de luta ou

fuga. É uma questão hormonal. O cortisol e a adrenalina interagem em

nosso sistema nervoso central. Se a dose for moderada a gente acaba

ficando em estado de alerta. Se for em níveis exacerbados, a pessoa

pode ter o ‘branco’ e ficar paralisada em seu raciocínio”, completa.

Portanto,

de acordo com Perazolli, a dica é manter-se calmo, mesmo muito antes da

prova, para evitar que o conteúdo estudado simplesmente “fuja” da

cabeça na hora do vestibular. “O branco é uma defesa do organismo.

Quando o estudo é exagerado, sem tomar os devidos cuidados com a

alimentação, com a saúde mental e a física, o organismo entende a prova

como uma ameaça e desliga a parte envolvida. Assim como desmaiamos

quando ouvimos uma explosão muito forte.” O professor da Unesp salienta

ainda o perfil daqueles que conseguem passar pelo temido processo

seletivo e alcançar sucesso: esse é o candidato que tomou a decisão de

fazer uma boa universidade e se dedicou para isso.

SAIBA:

Alguns mecanismos que devem fazer parte do projeto de estudos:

::

Estudar diariamente com método e disciplina, sem exageros. Estudar além

da capacidade pode gerar um aviso de alerta ao organismo, ansiedade e o

famoso “branco”

:: Ler e escrever - Leia livros, revistas e

tudo que puder. Após ler deve-se fazer um resumo, promovendo assim o

raciocínio, a memória e a capacidade de expressão escrita

:: Manter uma alimentação equilibrada

:: Dormir bem é fundamental para recuperar a vitalidade e equilíbrio

::

Esporte e diversão mantêm o equilíbrio físico e mental, mas evite

esportes radicais ou violentos nos dias anteriores ao vestibular

:: Manter-se informado, muitos dos enfoques dos vestibulares são sobre atualidades

:: Ter fé para equilibrar a alma


Existe uma fórmula para estudar quando o assunto é vestibular?

:: O que existe é uma combinação de fatores, que somados ao longo do tempo culminam com o sucesso no vestibular, tais como:

:: Desenvolver um processo diferenciado de raciocínio, pois a matéria em si quase todos estão dominando

:: Desenvolver a lógica

:: Buscar o desenvolvimento nas mais diversas matérias, focando principalmente nos seus pontos fracos

:: Ter um bom desempenho

:: Ter bons professores

:: Uma dedicação a mais na reta final para reforçar aquilo que você já viu

:: Disciplina e persistência

O que fazer quando o nervosismo é maior do que o conhecimento?

:: Respirar fundo antes da prova, por várias vezes, relaxamento:

:: Dormir bem antes da prova

:: Concentrar-se mais no conteúdo do que na prova

:: A ansiedade deve ser substituída pela segurança nos exercícios e simulados ao longo dos estudos

:: Em casos extremos, os alunos devem procurar ajuda de especialistas

:: Fazer uma alimentação leve nos dias anteriores ao vestibular associado a exercícios moderados

:: Evitar aqueles famosos tira-dúvidas um dia antes da prova, neste dia o ideal é relaxar

:: Procurar fazer o roteiro da casa até o local da prova para evitar chegar muito cedo ou em cima da hora

:: Ter confiança que fez um bom trabalho ao longo do período de estudos

::

O nervosismo passa nos primeiros minutos da prova quando se inicia a

resolução da mesma com os exercícios mais fáceis ou aqueles que o

candidato saiba respondern