Pesquisa

demonstra que terapia manual reduz índice de estresse em vestibulando.  É sabido que o estresse no momento de realizar o

exame vestibular pode atrapalhar o desempenho dos candidatos.

O famoso

branco é uma das possibilidades. Para falar de dados científicos, uma

pesquisa realizada no Laboratório de Estudo do Estresse do Instituto de

Biologia (IB), por exemplo, comprovou que os períodos de maior alta dos

índices de cortisol um dos principais hormônios relacionados ao

estresse são os meses de setembro e novembro, ou seja, respectivamente,

no momento da inscrição e no período de provas dos vestibulandos.

Neste

sentido, a fisioterapeuta Heloisa Aparecida Ferreira propôs como linha

de investigação, no mesmo Laboratório, um tratamento com terapia manual

(massagem) para aliviar o estresse dos jovens no momento de prestar o

vestibular.

A

experiência deu certo. O protocolo de tratamento específico se mostrou

eficiente a começar pelos níveis de acesso à memória, pois uma das

principais funções prejudicadas em momentos de estresse é a memória

declarativa de curto prazo e longo prazo.

O grupo controle teve um

aumento significativo do índice de cortisol no período de setembro a

novembro. Já no grupo tratado se manteve estável o índice de cortisol,

atesta Heloisa, que acredita ser uma alternativa para aliviar o

estresse do momento de disputar uma vaga na universidade. Os níveis de

aprovação também foram aferidos e representou 64% dos voluntários que

se submeteram à intervenção.

Ela

avaliou todos os parâmetros por dois anos consecutivos  2006 e 2007  e

em ambos os resultados foram semelhantes. A pesquisa foi orientada

pelas professoras Regina Célia Spadari e Dora Maria Grassi Kassisse,

esta última a responsável pelo laboratório. Os dados se repetiram e,

com isso, atestamos a eficiência deste tipo de tratamento sem o uso de

medicamentos.

Desde o início da pesquisa, a ideia era, justamente,

conseguir atingir esta faixa etária de forma a aliviar as tensões

impostas pelas decisões, explica Heloisa. Os jovens e adolescentes

passam por momentos de estresse, principalmente, na hora de decidir

pela carreira que irá cursar.

O Estresse Pré Vestibular

Para

a fisioterapeuta, em muitos casos é a fase mais difícil da vida, pois

ocorre pressão da família, dos professores e as várias opções do

mercado acabam gerando muitas dúvidas e o receio de errar. Para a

pesquisa, Heloisa tomou dois grupos para comparação.

Um constituído

para servir de grupo controle e, no outro, com 32 voluntários de um

cursinho pré-vestibular, ela aplicou terapia manual com mobilização dos

grandes grupos articulares  cintura escapular e cintura pélvica ,

fáscias e músculo em 21 sessões de 40 minutos, sendo duas por semana.

A

terapia manual foi realizada de setembro a novembro. Foram feitas ainda

medições do índice de concentração de cortisol salivar antes e depois

das sessões de fisioterapia, mostrando claramente um aumento no índice

de concentração salivar de cortisol para o grupo não-tratado.

O estudo

contemplou ainda a aplicação de um questionário para avaliar a

autopercepção dos candidatos ao vestibular do cursinho nos três turnos

de aulas sobre o nível de estresse.

Um dado interessante foi perceber

que o índice entre as mulheres analisadas foi bem mais alto. Os alunos

do período noturno foi outra surpresa, pois apresentaram índices de

estresse percebido bem menores que os outros turnos. Os índices de

estresse nos alunos do período da manhã são bem maiores que no período

da tarde.