Ter um diploma universitário abre portas e pode significar um bom emprego no futuro. No entanto, não é todo mundo que tem condições de pagar uma faculdade, passar para a universidade pública ou conseguir uma bolsa de estudos. Para esses casos, uma solução possível é o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior, o FIES.

Patrocinado pelo Governo Federal, o FIES é um programa de financiamento estudantil que oferece empréstimos a juros muito mais baixos do que os praticados no mercado, de 3,4% ao ano, e o estudante só começa a pagar a dívida um ano e meio depois de formado.

Descubra como funciona o FIES e se você pode usar esse financiamento para pagar a faculdade particular!

Quem pode pedir o FIES

Para solicitar o FIES,  o estudante deve cumprir os seguintes requisitos:

  • Estar matriculado em curso superior de graduação presencial em faculdade participante do FIES. Existe um plano de financiar também cursos a distância(EAD), mas por enquanto o FIES cobre apenas cursos presenciais.
  • Ter uma renda familiar bruta mensal que não ultrapasse 20 salários mínimos.
  • Ter um comprometimento dessa renda com os encargos educacionais de pelo menos 20%.
  • Não ter utilizado o FIES anteriormente.
  • Ter participado do Enem, com pelo menos 450 pontos de média nas provas e nota maior do que zero na redação (para quem concluiu o ensino médio a partir de 2010).

Estão dispensados de fazer o Enem os professores efetivos da rede pública que solicitarem o FIES para pagar cursos de licenciatura, pedagogia ou normal superior.

Como funciona o FIES

O FIES funciona em três fases:

  • Fase 1: Da contratação até a formatura

    É a chamada fase de “utilização”, quando o estudante começa a ser beneficiado com o financiamento, e dura até o fim da graduação. Enquanto não se formar, o aluno só precisa pagar o valor referente aos juros do empréstimo, em parcelas de no máximo R$ 50,00 a cada três meses.

  • Fase 2: Até um ano e meio depois da formatura

    Quando se forma, o estudante beneficiado com o FIES ainda tem um ano e meio para começar a pagar a dívida. Durante a chamada “fase de carência”, basta continuar a pagar as parcelas trimestrais de no máximo R$ 50,00. É o período em que o estudante deve se concentrar na sua vida profissional e se organizar financeiramente para poder pagar o financiamento com mais tranquilidade.

  • Fase 3: O pagamento da dívida

    Um ano e meio depois de formado, o beneficiado do FIES entra na “fase de amortização”. É quando ele vai pagar a dívida do financiamento propriamente dita. Essa dívida pode ser diluída ao longo de vários anos. Pela regra do FIES, o prazo de pagamento é de três vezes a duração do curso financiado, mais 12 meses. Sendo assim, quem financia um curso de 4 anos terá até 13 anos para terminar de pagar o empréstimo do FIES.

Tipos de financiamento do FIES

O FIES pode conceder três faixas de financiamento: 50%, 75% ou 100% dos encargos educacionais. Para definir o percentual de financiamento que um candidato pode conseguir, são levados em conta critérios de renda familiar mensal e de comprometimento dessa renda com a mensalidade da faculdade.

No portal oficial do programa (sisfiesportal.mec.gov.br) é possível fazer uma simulação do tipo de financiamento que você poderá conseguir, prazo para o pagamento da dívida e quanto vai custar cada parcela.

Como se inscrever no FIES

Antes de fazer a inscrição, é importante verificar se você atende todos os requisitos do programa. O processo não é complicado, mas exige muita atenção no cumprimento dos prazos entre uma etapa e outra. Confira:

  • Etapa 1: A inscrição para o FIES é gratuita e começa na página oficial do programa na internet: sisfiesaluno.mec.gov.br. O candidato deve preencher todos os formulários solicitados e confirmar a inscrição.
  • Etapa 2: Com a inscrição em mãos, é necessário ir até a sua faculdade e procurar o departamento responsável pelo FIES, a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) para comprovar alguns documentos e obter uma declaração de que está matriculado regularmente. O prazo para fazer isso é de dez dias corridos, que começam a contar a partir do dia seguinte ao da inscrição.
  • Etapa 3: Se estiver tudo certo com a documentação, o candidato ao FIES deve ir até uma agência de um dos bancos autorizados a fazer o financiamento (Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal), levando a declaração da faculdade e os documentos solicitados pelo banco (identificação, comprovante de residência, documentos do fiador) e assinar o contrato.  O prazo para concluir o financiamento no banco começa a contar três dias úteis após a obtenção do documento de regularidade junto à CPSA e é de dez dias corridos.

Caso perca um desses prazos, o estudante pode tentar o FIES novamente, mas terá de recomeçar o processo do zero, refazendo sua inscrição no site do programa.

Renovação do FIES

Para continuar a receber o benefício durante a faculdade, o estudante precisa comprovar que está matriculado no curso. Esse processo é conhecido como “Aditamento do FIES” e deve ser feito todo semestre.

A dívida do FIES pode ser paga antes do prazo

O estudante que quiser e puder tem a possibilidade de pagar a dívida do FIES antes do prazo máximo. O FIES prevê algumas situações em que o aluno antecipa alguma das três fases (utilização, carência e amortização), liquidando a dívida. Para saber se o seu caso pode se encaixar nessas regras, você pode consultar a CPSA de sua faculdade, ou o banco onde fez o financiamento.

FIES e ProUni

O FIES pode ser utilizado por bolsistas parciais do ProUni para financiar a outra metade da mensalidade. Para isso, o curso financiado deve ser o mesmo em que o bolsista do ProUni foi beneficiado e a soma dos dois benefícios não pode ultrapassar o valor dos encargos educacionais com desconto.

Veja também: