O FIES é um financiamento estudantil a juros baixos. Criado pelo Governo Federal em 1999, já beneficiou cerca de dois milhões de estudantes brasileiros de baixa renda que, graças ao programa, podem pagar a mensalidade da universidade privada e assim conquistar um diploma de nível superior.

Recentemente, o FIES passou por uma série de mudanças. As regras de participação ficaram mais rígidas, com a exigência de pontuação mínima no Enem, entre outros requisitos. O limite de renda para participar do Programa também foi modificado e a quantidade de novos contratos sofreu uma redução considerável. Em resumo, ficou  mais difícil conseguir o financiamento do Governo para pagar a faculdade.

Com tudo isso, será que o FIES vale a pena? Descubra se pedir esse financiamento é uma boa ideia para você!

FIES não é bolsa de estudo

Antes de avaliar se o FIES vale a pena no seu caso, é importante saber que o Programa é um Financiamento Estudantil, e não uma bolsa de estudos. Qual a diferença?

Em programas de bolsas de estudos, como o ProUni, o aluno “ganha” a mensalidade ou uma parte dela e não precisa pagar de volta esse valor ao se formar, nem se comprometer com juros e contratos.

Já no financiamento estudantil, como é o caso do FIES, o estudante “pede emprestado” o valor total ou parcial das mensalidades da faculdade e precisa pagar de volta conforme estabelecido no contrato. No caso do FIES, o estudante paga parcelas trimestrais referentes aos juros enquanto estiver estudando. Ao se formar, terá um tempo para se organizar financeiramente e depois começará a pagar a dívida de volta para o Governo, no prazo de alguns anos, dependendo da duração do curso financiado.

Embora seja uma mão na roda para bancar a faculdade privada, o FIES não é “de graça”. Depois de formado, você terá de pagar a dívida. Por isso, antes de pedir o FIES, é importante descobrir se vai valer a pena.

Quem pode pedir o FIES?

Agora que já está claro como funciona o FIES, você precisa saber se cumpre os requisitos para participar do Programa. São eles:

  • Ter participado do Enem, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota maior do que zero na redação (para quem concluiu o ensino médio a partir de 2010).
  • Apresentar renda familiar compatível com os requisitos daquela edição do processo seletivo.
Quem for bolsista parcial do ProUni pode solicitar o FIES para complementar o valor da mensalidade no mesmo curso e faculdade onde tem a bolsa.

Não pode fazer o FIES quem:

  • Já foi beneficiado com financiamento do FIES.
  • Está inadimplente com o Programa de Crédito Educativo (PCE/CREDUC).
  • Possui renda familiar bruta mensal acima do permitido para aquela edição do processo seletivo.

FIES vale a pena?

Se você se encaixa nos critérios para pedir o FIES, chegou a hora de refletir se vale a pena pedir esse financiamento. Essa é uma decisão bem pessoal e não existe uma resposta única, pois depende de fatores como renda familiar, possibilidade de ganhos futuros, situação escolar, etc.

Na maior parte dos casos, o FIES vale a pena quando:

  • O curso superior que você quer fazer não está disponível em universidades públicas, ou você não tem condições de cursá-lo por algum motivo (distância, pontuação no Enem para entrar no Sisu, vestibular muito concorrido, etc.).
  • Não é possível entrar no curso pelo ProUni, seja porque você não se encaixa nos critérios da bolsa, ou não tem pontuação suficiente no Enem.
  • Você não tem condições financeiras de bancar a mensalidade integral do curso que pretende fazer, mas sua renda é suficiente para pagar as parcelas trimestrais dos juros e arcar com custos não cobertos pelo Programa, como deslocamentos, alimentação, material de estudos, etc.
  • O curso que você vai fazer tem boa empregabilidade e você tem boas chances de aumentar sua renda ao se formar.

Independentemente de ter se identificado com as situações acima, antes de tomar sua decisão, leia atentamente o edital do processo seletivo do FIES. Como as regras podem mudar a cada semestre, é importante consultar o site do programa para obter informações atualizadas.

Faculdades que participam do FIES

A cada edição do FIES, a quantidade de vagas disponíveis e as universidades participantes podem mudar. As faculdades que aceitam o FIES são

todas reconhecidas pelo MEC, pois é necessário ter avaliação positiva

no SINAES (Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior).

Confira algumas das principais instituições de ensino bem avaliadas pelo MEC que costumam participar do FIES:

Veja também:

Como usar o FIES para pagar a faculdade

E aí? O FIES vale a pena para você? Compartilhe sua conclusão com a gente aqui nos comentários!