Uma gonçalense de 18 anos é a única estudante

brasileira aprovada para estudar na Universidade de Harvard, no EUA,

este ano. E com bolsa integral. A façanha de Flávia Medina da Cunha é

considerada tão especial que será tema de palestra de orientadores

educacionais, nesta quarta-feira de manhã, no auditório do Colégio

Militar do Rio de Janeiro, na Tijuca, onde ela cursou o Ensino Médio.

Na mesma época dos exigentes exames para Harvard, ela passou nos

vestibulares da UFRJ, UFF e Uerj e na prova de admissão da Academia da

Força Aérea (AFA). "Estudei tantas horas que perdi a conta de quantas",

confessa Flávia, que vai cursar Engenharia Química. Ela já havia

começado o curso na UFRJ.

Fã da obra de Machado de Assis, ela precisou se debruçadar sobre

livros especializados na cultura norte-americana. Flávia obteve ainda

90% de bolsa na Universidade da Pensilvânia. "Fiquei na lista de espera

da Yale University, Duke University, Rice University e Tufts", enumerou

Flávia, cujos dois irmãos estudam na Escola Naval. Os pais, que são

professores, estão orgulhosos, mas não escondem a preocupação. "O

coração está apertado, mas ela é perseverante e carismática", conta a

mãe, Gilza da Cunha, 57 anos.

Em Harvard, a estudante terá alojamento, refeição e receberá US$ 3

mil (R$ 5,3 mil) por mês, além da oportunidade de emprego no campus.

Flávia embarca hoje à noite no voo 860 da United Airlines. Na bagagem,

a bandeira do Brasil e a medalha de Santo Antônio. No coração, a

saudade de casa. "Não vou chorar", avisa Flávia.

"Muita gente sonha em ir à Disney e realiza o sonho. Por que não

sonhar em aprimorar os conhecimentos no exterior?", lança o desafio o

gerente de pesquisas do escritório da Harvard no Brasil, Tomás Amorim.

Interessados em vaga na universidade em que estudou o presidente dos

EUA Barack Obama devem acessar o endereços http://www.admissions.college.harvard.edu/apply/international/faq.html. É necessário fluência em inglês. Cursos como de Flávia custam R$ 92,5 mil por ano.