Quem for fazer o Enem deste ano vai ter menos questões que o previsto

para se preocupar, mas também menos tempo para resolvê-las.

Serão 180

questões - mais a redação - para serem respondidas em 10 horas de

exame. Inicialmente, o tempo para avaliação era de 11h30. Se

considerado que o aluno terá uma hora para fazer a redação, ele terá

três minutos para responder a cada questão, 15 segundos a menos que na

primeira proposta.

As regras definitivas da prova foram

publicadas ontem pelo Ministério da Educação (MEC), no Diário Oficial

da União. Além de reduzir o número de questões, o MEC também diminuiu o

tempo de prova: antes previsto para acontecer em três turnos, divididos

em dois dias; o Enem será feito em duas tardes, nos dias 3 e 4 de

outubro.

No primeiro dia de prova, os estudantes farão as questões de Ciências

da Natureza e Ciências Humanas, com duração de 4h30. No dia seguinte,

serão feitas as questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias,

Matemática e suas Tecnologias, além da redação, durante 5h30. As

inscrições para o exame começam no próximo dia 15, pela internet, e vão

até o dia 17 de julho.

Mesmo que as regras só tenham sido oficializadas nesta portaria, nos

cursinhos pré-vestibulares já existem estudantes fazendo simulados do

Enem, em Vitória. Alunos do Colégio Salesiano de Jardim Camburi,

Vitória, enfrentaram a maratona de um dia e meio de prova, no último

fim de semana e, como era previsto, saíram exaustos.

"Eles sentiram o impacto do cansaço físico e mental, mas, ao mesmo

tempo, ficaram felizes por estarem fazendo um teste, fazendo a nova

prova", explicou o coordenador do 3º ano do ensino médio do colégio,

Leonardo Gama. Ele explicou ainda que, para ficar pronto, o primeiro

simulado do novo Enem da escola levou o dobro do tempo de um simulado

tradicional.

O cansaço ficou explícito também no resultado. Enquanto vários

conseguiram acertar de 80 a 90% da prova, muitos afirmaram que, para

concluí-la no tempo, tiveram que fazer, às pressas, as últimas

questões. Para a próxima prova, marcada para julho, eles vão enfrentar

cinco dias de prova: os dois dias do Enem mais três com questões

discursivas voltadas para quem for fazer o VestUfes.

Novo Enem

Inscrição:

Data. As inscrições podem ser feitas de 15 de junho a 17 de julho, pela internet. Clique aqui.

Valor. A taxa de inscrição é de R$ 35,00. O pagamento do boleto poderá ser feito em qualquer agência bancária

Isenção:

Serão isentos do pagamento da taxa os concluintes do ensino médio,

matriculados em escolas públicas, e todos os participantes do Encceja,

nos anos de 2006, 2007 e 2008. Também têm direito à isenção os

candidatos inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do

Governo Federal (CadÚnico) ou que forem membros de famílias de baixa

renda

Pedido. A solicitação de isenção deverá ser feita entre os dias 15 e 19 de junho, na página da internet

Alunos que já terminaram o ensino médio.

Os candidatos que já concluíram o ensino médio e os jovens e adultos

que não terminaram o ensino na idade própria deverão realizar a

inscrição pela internet, de 15 de junho a 19 de julho

Provas:

Questões.

O exame contará com 180 questões objetivas e uma redação, sendo 45

questões para cada área de conhecimento: Linguagens e Códigos,

Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza

Datas.

A prova acontece nos dias 3 e 4 de outubro. No primeiro dia, um sábado,

serão aplicadas as provas de Ciências da Natureza e de Ciências

Humanas, das 13h às 17h30. Já no segundo, um domingo, as provas de

Matemática, Linguagens e a Redação serão aplicadas das 13h às 18h30

Resultado.

A nota das quatro provas de múltipla escolha serão divulgadas no dia 4

de dezembro deste ano. O resultado final, incluindo a redação, sairá no

dia 8 de janeiro de 2010

Boletim. Os

participantes do exame receberão, a partir de janeiro de 2010, o

Boletim Individual de Resultados, com as notas obtidas no exame

Fonte: Portaria 264 de 26 de maio, publicada no Diário Oficial da União

Cursinhos criticam prazo de alterações

Apesar de considerarem acertadas as mudanças no Enem e a decisão do MEC

de fazer do exame a principal forma de acesso ao ensino superior no

país, cursinhos pré-vestibulares criticam o prazo das alterações,

feitas às pressas, obrigando professores e alunos a correrem para se

adaptar às regras.

"Éramos contra ele ser realizado em 2009, mas não contra o exame. Outro

problema é o fato de cada universidade usar o Enem de um jeito. Teremos

que dividir vários grupos. Contamos com uma programação até 2 de

outubro; e outra, depois do dia 5", afirmou a coordenadora do

pré-vestibular do Darwin, Heloísa Mannato.

A maioria, porém, refez calendários e aposta no bom desempenho dos

alunos. "Tivemos que reprogramar a filosofia de trabalho. Lamentamos o

tempo de adaptação, que foi pequeno, mas reclamar não adianta. Faremos,

no sábado, um simulado nos moldes do Enem", disse o diretor acadêmico

do UP, Dorian Rangel. Posição semelhante tem a coordenação regional do

colégio COC. "Não questionamos o benefício trazido pelo exame, mas a

forma como está sendo conduzido", disse André Cefali.

"É uma pancada em quem faz um planejamento. A prova também poderia ser feita no fim do ano"

José Vasconcellos coordenador do Pupt

"A única vantagem é não ter que fazer a prova duas vezes no mesmo dia. Continua cansativa"

Caio Lorenção 16, aluno do 2º ano

"Gosto do Enem. Prefiro esse modelo ao vestibular, porque as questões exigem raciocínio lógico"

Rodrigo Rasseli 17, aluno do 3º ano

"A mudança da primeira fase pelo Enem, este ano, é interessante, mas ficou cansativo"

Juliana Mattos 16, aluna do 2º ano

"A diminuição no número de questões não muda nada, porque o tempo de prova também foi reduzido"

Álvaro de Moraes 17 anos, aluno do 3º ano

Sedu aprova mudanças no exame

A Secretaria Estadual de Educação (Sedu) aprovou as mudanças nas regras

para o Enem 2009. No Estado, a prova será aplicada em 41 municípios,

cinco a mais do que no ano passado. As cidades acrescentadas à lista do

MEC, porém, não coincidem com as sugestões apresentadas pela

secretaria.

O secretário estadual de Educação, Haroldo Corrêa Rocha, afirmou, no

entanto, que o aumentou do número de cidades, a diminuição do tempo de

prova e do número de questões vai facilitar a aplicação da prova no

Estado.

Ele lembrou ainda que, com a realização das provas na parte da tarde,

não haverá necessidade de custear a alimentação dos estudantes que

precisarem se deslocar de seus municípios de origem para fazer o exame.

Para que todos os alunos da rede pública estadual possam fazer a prova,

a Sedu dará apoio logístico, segundo o secretário. "As escolas vão se

organizar. Além disso, os municípios já possuem ônibus voltados para o

transporte escolar, que podem ser usados para levar os estudantes aos

locais de prova, que vão ficar a 20 ou 30km, no máximo, de distância".

Exame deve ser obrigatório no Estado

Fazer o Enem deve se tornar uma obrigatoriedade para os alunos da rede

pública estadual ainda neste ano. A proposta da Sedu enviada ao

Conselho Estadual de Educação (CEE) será analisada até o próximo dia

15, mas a tendência é de que seja aprovada, segundo o presidente do

conselho, Artelírio Bolsanello.

O conselho ainda vai comunicar o Sindicato dos Estabelecimentos

Privados de Ensino (Sinepe) sobre a intenção de que o exame seja

obrigatório em toda a rede, nas escolas públicas e privadas. "Vamos

fazer a consulta ao Sinepe, na semana que vem. A nossa intenção é

estender o exame para todos", disse.

Segundo o secretário estadual de Educação, Haroldo Corrêa Rocha, a

obrigatoriedade vai permitir avaliar melhor as escolas. "Não queremos

perder esse tempo nem correr o risco de não avaliar os alunos agora. No

ano passado, já fizemos uma campanha para que mais alunos fizessem a

prova e atingimos 50% na última".

Já o Sindicato das Escolas Particulares só deve discutir a questão em

assembleia, prevista para junho. O sindicato vê com reservas a extensão

da obrigatoriedade para as escolas particulares.

Onde serão as provas

Afonso Cláudio

Água Doce do Norte

Alegre

Anchieta

Aracruz

Atílio Vivacqua

Baixo Guandu

Barra de São Francisco

Brejetuba

Cachoeiro de Itapemirim

Cariacica

Castelo

Colatina

Conceição da Barra

Conceição do Castelo

Domingos Martins

Ecoporanga

Guaçuí

Guarapari

Ibiraçu

Itapemirim

Iúna

Jaguaré

Linhares

Marataízes

Mimoso do Sul

Montanha

Nova Venécia

Pedro Canário

Pinheiros

Santa Leopoldina

Santa Maria de Jetibá

Santa Teresa

São Gabriel da Palha

São Mateus

Serra

Sooretama

Venda Nova do Imigrante

Viana

Vila Velha

Vitória

Elas se preparam para a maratona de provas

Para as amigas Camila Araújo, 17, Noila Moulin, 17, Mariah Bergami, 17,

e Junnyane Gasparini, 17, a redução no número de questões do Enem não

torna a prova menos desgastante. As meninas estão empenhadas para

passar no vestibular, e fizeram um simulado nos moldes do exame, no

último final de semana.

"Fiz a prova com 50 questões para cada área e achei muito cansativa.

Não terminei as questões de Matemática, por exemplo. Mesmo com a

redução de 20 questões, ainda é muito", diz Camila.

Junnyane calcula que "chutou" cerca de seis questões do simulado,

porque não teve tempo para analisar todos os problemas matemáticos.

Mariah faz coro sobre a extensão da prova. "O número de questões

diminuiu para 180, mas o tempo de prova também. Vai continuar

cansativo".

Noila também considera o número de questões um entrave, mas está

feliz com as mudanças no vestibular da Ufes. "O Enem servirá apenas

para classificar o aluno, então, a pontuação das discursivas valerão

mais", analisa. (Carla Nascimento)

"Com 180 questões, em vez de 200, o Enem deve ficar um pouco menos cansativo do que o previsto "

Thaís Ferrarini 16 anos, aluna do 3º ano