O sentido do humor e seus múltiplos benefícios nas relações com idosos,

na integração de presos e no âmbito da educação são estudados por

especialistas internacionais reunidos nesta semana em Madri.

Mais de uma centena de pesquisadores do mundo todo participam do 20º

Congresso da Sociedade Internacional para os Estudos de Humor (ISHS),

inaugurado na terça-feira (8) e que será encerrado amanhã (11).

Foram apresentados diversos trabalhos que destacaram como a

estimulação por meio do riso traz uma série de benefícios para a saúde.

Agora, os analistas tentam aprofundar os conhecimentos sobre como o

humor pode melhorar hábitos de aprendizagem.

A professora argentina Mónica Guitart, da Universidade Nacional de

Cuyo, explicou como aplica o humor em sua classes como espécies de

"pílulas motivadoras". Guitart, que dá aulas de matemática a futuros

engenheiros, indicou que tenta ensinar utilizando brincadeiras ou cenas

lúdicas que despertem o interesse ou o debate entre os alunos.

"O grande desafio como docente é que os alunos, ao lembrarem das

brincadeiras, evoquem os conceitos matemáticos que estão nelas",

afirmou. Guitart disse que, dessa forma, é mais fácil lembrar de

conceitos, pois estes "chegam por meio de emoções positivas, e não só

por meio de conhecimentos frios".

A pesquisadora se referiu também às reservas dos professores à

utilização do humor em suas aulas, por medo de que possam perder o

controle dos alunos. Mas, segundo ela, quando os mestres se dão conta

de que o riso favorece a aprendizagem, "imediatamente começam a

aproveitar [essa ferramenta]".

O fórum, realizado na Universidade de Alcalá de Henares, nas

proximidades de Madri, abordou também o temor que algumas pessoas têm

do riso.