O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas

Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Reynaldo Fernandes,

recomendou nesta quarta-feira (29) que os alunos não deixem

questões em branco na prova do Exame Nacional do Ensino Médio

(Enem) e “chutem” caso não saibam a resposta.

Segundo ele, o

computador vai ler como “errada” qualquer pergunta deixada sem

resposta e, e escolhendo um item, o candidato ainda tem chances

de acertar.

“Uma questão em branco no meio da prova tem o mesmo peso do

erro”, afirmou Fernandes. A correção da prova, apesar disso, vai

levar em conta o padrão de respostas do estudante.

Será possível

identificar, por exemplo, se ele “chutou” muito no exame, que

terá 180 questões e acontece nos dias 3 e 4 de outubro. O Inep é

o órgão do Ministério da Educação responsável pela aplicação das provas.

O sistema de correção a ser utilizado é chamado de Teoria de

Resposta ao Item (TRI). O Inep vai dar a cada questão um certo

grau de dificuldade e o computador vai conseguir saber, de

acordo com o padrão de respostas, o quão preparado para dar

aquela resposta o candidato estava e se houve um “chute.”

O foco

será no item, como é chamada cada questão, e não no total de

acertos. A teoria é o conjunto de modelos que relacionam uma ou

mais habilidades com a probabilidade de a pessoa acertar a resposta.

Com isso, o estudante pode até acertar mais

questões do que outro, mas poderá ter uma nota menor. Mesmo com

os gabaritos sendo divulgados após a prova, ele não vai

conseguir determinar quanto tirou no exame. O resultado final

será divulgado nos dias 4 de dezembro (provas objetivas) e 8 de

janeiro (redação). 

Simulado

O Inep divulga nesta quarta-feira (29) um simulado do Enem com 40

questões. O candidato poderá ter acesso às provas no

G1 a partir da meia-noite. O presidente do

órgão não descartou publicar novos simulados para este exame e

para os próximos.

A prova terá uma “calibragem”, que, segundo o

Inep, pode ser divulgada posteriormente para cursinhos e

escolas. Com um programa de computador, que pode ser comprado

separadamente, eles poderão aplicar e corrigir simulados

baseados no exame.