A revista Você S/A acaba de divulgar os resultados do guia "Os

Melhores MBAs no Brasil", realizado em parceria com a empresa de

pesquisas Nielsen. Apesar de controvérsias sobre até que ponto o guia

mostra quais os melhores cursos de negócios no País, a publicação tem

servido de parâmetro para o mercado. Pelo segundo ano consecutivo, a

Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio

Vargas (EAESP-FGV) ficou em primeiro lugar na avaliação geral, seguida

da Fundação Dom Cabral (MG), da Fundação Instituto de Administração

(FIA) e da Insper-Ibmec-SP.

"A pesquisa ouve alunos, ex-alunos e profissionais de RH. Há muitas

opiniões subjetivas nesta avaliação. É diferente, por exemplo, de uma

avaliação como o Enade, que serve para avaliar os cursos de graduação",

comenta o professor Adalberto Fischmann, diretor educacional da FIA. Já

o professor Alberto Luíz Albertin, coordenador dos cursos de

pós-graduação da EAESP-FGV, tem opinião contrária: "O ranking consegue

avaliar a realidade dos cursos entrevistando diretores das escolas,

alunos, profissionais de RH e visitando as instalações. Naturalmente,

pode haver uma margem de erro, mas os resultados são os mais próximos

da realidade do mercado".

Segundo a Você S/A, para fazer parte do guia as escolas se inscrevem e,

na primeira parte do processo, as informações fornecidas pelos

coordenadores dos cursos sobre titulação dos professores, instalações

da escola e conteúdo das aulas são avaliadas, compondo a primeira nota.

Na segunda fase, professores e alunos respondem a questionários online,

resultando na segunda nota. Por fim, cada escola recebe uma nota de

acordo com a avaliação dos executivos de recursos humanos, que

respondem espontaneamente a pesquisa. São cinco públicos diferentes

(ex-alunos, alunos, professores, coordenadores e profissionais de RH),

cada um com peso de 20%.

Foram entrevistados 7.329 alunos de escolas em 21 cidades do País das

regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. Segundo a revista, os

alunos de MBA no Brasil têm o seguinte perfil: 81% são funcionários de

uma empresa, 64% têm até cinco anos de experiência gerencial, 31% têm

entre seis e dez anos de experiência profissional e 29% ganham até R$ 4

mil por mês.