Entenda como funciona o P-Fies e veja como conseguir um financiamento estudantil por este programa!

O sistema do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) 2021 está aberto para inscrições de candidatos! 

Você se animou com essa notícia, mas, ao tentar se inscrever, descobriu que não cumpre os requisitos de candidatura exigidos pelo programa? Fique tranquilo e continue com a gente, pois temos uma boa alternativa para apresentar a você: o Programa de Financiamento Estudantil, mais conhecido como P-Fies.

O que é o P-Fies?

O P-Fies é um programa de financiamento estudantil criado em 2018, pelo Governo Federal, a partir da grande reformulação que transformou o antigo Fies em “Novo Fies”. Neste sentido, pode-se dizer que esse programa nasceu como uma modalidade do Fies. 

O objetivo por trás da criação do P-Fies era o de viabilizar a ampliação do alcance do Fies, tornando possível a concessão de financiamentos estudantis a estudantes cuja renda familiar bruta ultrapassasse, um pouco, o limite de 3 salários mínimos por pessoa. 

A partir do segundo semestre de 2020, contudo, o P-Fies tornou-se um programa independente, deixando de ser uma modalidade do Fies. Assim, o programa adquiriu novas regras e características, conforme vamos explicar para você mais a frente.

Quais são as principais diferenças entre o P-Fies e o Fies?

Ambos os programas são dedicados à concessão de financiamentos a estudantes que desejem cursar o Ensino Superior em instituições de ensino particulares que tenham avaliação positiva por parte do Ministério da Educação (MEC).

Enquanto os custos referentes aos financiamentos do Fies são de responsabilidade do agente financeiro operador deste programa, podendo ser garantidos pelo Fundo Garantidor do Fies (FG-Fies), o P-Fies é concretizado por meio de outras fontes de financiamento. 

Assim, a responsabilidade dos custos referentes aos financiamentos do P-Fies é dos agentes financeiros operadores de crédito – em outras palavras, dos bancos privados que operam o programa –, e não são garantidos pelo FG-Fies. 

Além disso, somente candidatos que tenham renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos podem recorrer ao Fies. O P-Fies, por outro lado, nasceu com o intuito de atender a demanda de candidatos cujo perfil de renda familiar estivesse entre 3 e 5 salários mínimos por pessoa. Atualmente, contudo, esta já não é mais a regra, como veremos a seguir.

O que mudou no P-Fies a partir de 2020.2?

Embora o P-Fies seja um programa relativamente recente, de 2018 para cá, suas regras sofreram mudanças bastante significativas, que passaram a valer a partir do segundo semestre de 2020. 

A mãe de todas essas mudanças você já conhece, pois nós mencionamos no tópico anterior: o P-Fies tornou-se independente, e não mais uma modalidade do Fies. A partir disso, suas regras deixaram de seguir os parâmetros do Fies, e adquiriram uma nova roupagem, bem mais flexível.

Confira as novas regras do P-Fies:

  • Para participar do programa, o limite de renda familiar bruta, que antes era de até 5 salários mínimos por pessoa, não mais se aplica. Agora, candidatos de todas as faixas de renda podem participar do P-Fies.
  • Os candidatos do P-Fies não precisam mais ter feito a prova de alguma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) realizada nos últimos 10 anos, como ocorre no Fies. Basta que a instituição de Ensino Superior que o candidato tem interesse em estudar o aceite como aluno!
  • Os financiamentos do P-Fies podem ser solicitados a qualquer momento, diretamente com os agentes financeiros operadores de crédito. Assim, o P-Fies não tem mais um período determinado para inscrições de candidatos.
  • As condições do financiamento não são fixas. Serão definidas em negociação entre o agente financeiro operador de crédito, a instituição de Ensino Superior e o estudante.

Onde estudar com um financiamento do P-Fies 2021

Como vimos, ao se tornar um programa de financiamento independente do Fies, o P-Fies passou por uma grande reformulação! Há, contudo, uma regra muito importante que permanece a mesma: os financiamentos concedidos pelo P-Fies se aplicam, exclusivamente, ao custeio de cursos de Ensino Superior não gratuitos que tenham avaliação positiva pelo MEC. 

Por isso, na hora de escolher onde estudar, é fundamental verificar se as faculdades que despertarem o seu interesse são reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC! Assim, além de se tornar elegível para um financiamento estudantil pelo P-Fies, você ainda terá a certeza de estar ingressando em um curso de qualidade, que lhe proporcionará ótimas bases para iniciar a sua carreira profissional. 

Para te ajudar nessa pesquisa, separamos algumas instituições de Ensino Superior que têm boa avaliação pelo MEC, e ainda oferecem cursos de Ensino Superior em diversas áreas do conhecimento. Veja:

Veja também: Nota de corte do Enem 2020: Veja quanto você precisa tirar

Já definiu para qual curso de Ensino Superior você vai tentar entrar em 2021? Conta pra gente nos comentários!