Não é à toa que muita gente vem chamando o Enem de “o maior vestibular do país”. Além de cumprir sua função inicial de medir a qualidade do ensino médio, hoje em dia serve de porta de entrada para centenas de universidades!

Além disso, com um bom desempenho no Enem estudantes de baixa renda podem conseguir acesso a programas governamentais de financiamento e bolsas de estudo, como o FIES e o ProUni.

Para a edição de 2018, o Enem sofreu alguns ajustes nos horários das provas e na forma de pedir isenção da taxa de inscrição, por exemplo. Essas e outras novidades você vai conhecer com detalhes aqui.

Descubra tudo sobre o Enem 2018: o que mudou, como se inscrever, o conteúdo e os horários das provas, para que servem as notas e algumas faculdades que usam a nota do Enem como critério de seleção.

O que mudou no Enem 2018?

A maior mudança do Enem em 2018 talvez tenha sido em relação ao pedido de isenção da taxa de matrícula.

Em anos anteriores, o período para solicitar a isenção coincidia com o período de inscrições. Agora, a solicitação de isenção deve ser feita antes da abertura das inscrições. As datas são de 2 a 11 de abril. O interessado em ser liberado do pagamento da taxa deve verificar se atende aos requisitos, depois preencher um questionário socioeconômico e aguardar o resultado.

Outra mudança relacionada à isenção é que os participantes que obtiveram o Certificado de Conclusão do Ensino Médio por meio do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) de 2017 não precisarão pagar a taxa para fazer o Enem 2018.

Quanto à duração da prova, uma pequena alteração: no primeiro dia de prova o participante ganha meia hora a mais, tendo cinco horas e meia – das 13h30 às 19h – para resolver todas as questões e fazer a redação. No segundo dia o horário é das 13h30 às 18h30.

Falando em redação, ela também sofreu um ajuste: os textos que desrespeitarem os Direitos Humanos perdem 200 pontos.

As causas que podem eliminar o candidato foram ampliadas, assim como a relação de documentos que podem ser usados para a identificação no local de prova. Essas e outras informações você pode consultar diretamente no site oficial do Enem 2018. https://enem.inep.gov.br

Como me inscrever para o Enem 2018?

A inscrição deve ser feita pela internet, no site oficial do Enem. Você deverá cadastrar uma senha e informar CPF, RG e dados de contato (e-mail e telefone) válidos, para que o Enem possa enviar a você informações relativas aos exames.

No momento da inscrição você terá que escolher o idioma da prova de Língua Estrangeira (Espanhol ou Inglês). Terá que indicar também a cidade em que deseja fazer o Enem.

As informações cadastrais, de opção de língua estrangeira e de município para a realização das provas poderão ser alteradas durante o período em que as inscrições estiverem abertas.

As inscrições vão do dia 7 ao 18 de maio de 2018. Para aqueles que não forem isentos, o pagamento da taxa de inscrição deverá ser feito até o dia 23 de maio.

O valor da taxa é de R$ 82. No final da inscrição, o sistema gera um boleto, que poderá ser pago em qualquer agência bancária, agências dos Correios ou em casas lotéricas. A situação da inscrição poderá ser consultada no site oficial do Enem.

Como serão as provas do Enem 2018?

As provas do Enem 2018 serão aplicadas em dois domingos consecutivos (4 e 11 de novembro). O gabarito será publicado na quarta-feira seguinte, no dia 14.

Os conteúdos solicitados equivalem ao programa do ensino médio.

No dia 4 de novembro, acontecem as provas de:

• Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

• Ciências Humanas e suas Tecnologias

• Redação

No dia 11, os temas serão:

• Ciências da Natureza e suas Tecnologias

• Matemática e suas Tecnologias

As provas objetivas (que são todas, menos a de redação) contém questões com cinco alternativas propostas e apenas uma opção correta. Há 45 questões para cada um dos assuntos. No total dos dois dias, portanto, você terá que responder a 180 perguntas.

Já na redação, você deverá desenvolver um texto dissertativo-argumentativo sobre o tema proposto, que costuma ser algum assunto de destaque recente e pode abordar questões econômicas, políticas, sociais, culturais ou ambientais, entre outras.

O texto deve ter no mínimo sete linhas e no máximo de 30. Nele, seu ponto de vista deve ser defendido até chegar a uma conclusão coerente. Por isso, é aconselhável ficar de olho nas notícias e nos grandes temas da atualidade – assim você tem mais repertório para usar argumentos e dados consistentes em sua redação.

O que posso fazer com a nota do Enem 2018?

O Enem foi criado para servir como um termômetro da qualidade do ensino médio brasileiro. Hoje esse objetivo se mantém, mas a o Exame ganhou também outras dimensões.

Ele serve, por exemplo, como critério para entrar em programas do governo como o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) e o Programa Universidade para Todos (ProUni).

O FIES concede financiamento das mensalidades com condições facilitadas – juros baixos, prazo longo para pagamento e quitação da dívida somente após a formatura. O ProUni, por sua vez, oferece bolsas de estudo parciais e integrais em faculdades particulares de todo o país.

Ambos os programas estão voltados para alunos de baixa renda que, sem essa ajuda, não teriam como cursar uma faculdade. Outra exigência é justamente ter feito o Enem e conseguido pelo menos 450 pontos na média das provas, sem ter zerado a redação.

E anote mais esta função do Enem: servir como porta de entrada para universidades, substituindo muitas vezes o vestibular. Entenda melhor a seguir.

Faculdades que aceitam as notas do Enem

Centenas de faculdades do Brasil inteiro aceitam as notas do Enem como critério para selecionar alunos para cursos superiores nas modalidades presencial e a distância.

Algumas delas dispensam o candidato do vestibular, enquanto outras utilizam um sistema misto, em que é preciso prestar o vestibular, mas dá para completar a nota com os pontos do Enem.

Na rede pública, o processo seletivo mais conhecido que usa o Enem é o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do qual participam cerca de 130 instituições. Para participar do Sisu, basta não ter zerado na redação do Enem mais recente.

A pontuação necessária para passar varia muito de curso para curso, segundo fatores como procura e número de vagas oferecidas. E cada instituição tem liberdade para definir como serão os seus processos seletivos – por isso, o melhor é que você entre em contato com a faculdade de seu interesse para saber mais detalhes.

A seguir, indicamos a você sugestões de excelentes faculdades que contam com o credenciamento e ótimas avaliações do Ministério da Educação (MEC) – não se esqueça: somente o aval do MEC garante a validade do diploma.

Todas elas aceitam as notas do Enem como critério de seleção e participam de programas como o FIES e o ProUni, além de inúmeros outros programas privados de bolsas, descontos e financiamentos.

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)

Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)

Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 

Centro Universitário do Distrito Federal (UDF) – no Distrito Federal

Universidade de Franca (UNIFRAN)

Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais

Veja também:

Como entrar no ProUni com a nota do Enem

Está preparado para o Enem 2018? Entendeu direitinho como funciona? Deixe seus comentários!