O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) existe desde 1998 e evoluiu muito com o passar dos anos. 

No início, o objetivo do exame era somente avaliar a qualidade do ensino. Hoje, ele é considerado o maior vestibular do país e funciona como porta de entrada para universidades públicas e privadas em todos os estados brasileiros.

A aplicação do Enem ocorre uma vez ao ano, geralmente no mês de novembro. Uma dúvida frequente entre os candidatos é se a nota do exame tem “prazo de validade” – ou seja, se é possível usar o resultado do ano anterior (ou dos anos anteriores) para entrar na faculdade.

A resposta é: depende do processo seletivo ou do programa em que você pretende se inscrever. 

De modo geral, os programas mais conhecidos e concorridos exigem que o participante apresente a nota da edição mais recente do exame, mas há situações em que é possível, sim, aproveitar o resultado de anos anteriores. 

Quer entender melhor? Explicamos os detalhes a seguir. Confira!

Critérios do Sisu para o Enem

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) usa a nota do Enem para preencher vagas em universidades públicas – principalmente federais. O processo seletivo é 100% online e realizado duas vezes por ano, nos meses de janeiro e junho.

Para se inscrever, é necessário ter realizado a edição mais recente do Enem – a nota, aliás, é puxada automaticamente pelo sistema no momento da inscrição. 

Durante o período de inscrições, o Sisu atualiza periodicamente as notas de corte para cada curso e permite aos candidatos trocar suas opções. Ao fim desse período, é considerada válida a última opção feita pelo estudante.

Critérios do ProUni para o Enem

Também mantido pelo governo federal, o Programa Universidade para Todos (ProUni) concede bolsas de estudos parciais (50%) e integrais (100%) em faculdades privadas de todo o país.

Assim como o Sisu, o processo de inscrição e seleção regular do ProUni usa a nota da edição mais recente do Enem para classificar os candidatos. 

Para concorrer a uma bolsa, o estudante deve ter feito pelo menos 450 pontos no exame, sem zerar a redação, e precisa cumprir certos requisitos de escolaridade e renda.

No entanto, existe uma situação em que é possível usar a nota do Enem de anos anteriores no ProUni: para se candidatar a uma das bolsas remanescentes, aquelas que não foram distribuídas durante o processo regular de seleção.

Nesse caso, o programa abre um novo período de inscrições e permite a participação de candidatos que tenham feito o Enem a partir da edição de 2010 – ano em que o exame passou a ter a cara atual, com 180 questões e uma redação. Os requisitos de renda e pontuação mínima são os mesmos do processo regular.

Critérios do FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) é uma iniciativa do governo federal que concede financiamentos a juros baixos para alunos de faculdades particulares. O estudante que consegue o FIES começa a pagar as mensalidades só depois de formado.

As inscrições abrem semestralmente e exigem que o candidato tenha feito o Enem a partir da edição de 2010, com nota acima de 450 e superior a zero na redação. Assim como no ProUni, também é preciso atender a algumas condições de renda familiar.

Usando o Enem em universidades públicas fora do Sisu

Existem instituições públicas que não estão no Sisu, mas aceitam a nota do Enem como forma de ingresso ou complemento do vestibular tradicional.

As regras, nesses casos, são estabelecidas pelas próprias universidades. Portanto, é preciso verificar o edital de cada processo seletivo para entender como funciona.

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), por exemplo, reserva parte de suas vagas para ingresso exclusivamente via Enem. 

Essa opção aceita a nota de uma das duas edições mais recentes do Exame. Podem se inscrever estudantes que tenham cursado o ensino médio em escola pública ou que se declarem negros ou indígenas.

Enem para ingresso em faculdades particulares

Existem universidades privadas que aceitam o Enem como forma de ingresso direto (sem realizar o vestibular tradicional). 

Os critérios de desempenho podem variar de acordo com o curso e a instituição. Algumas faculdades estabelecem uma nota de corte, enquanto outras exigem apenas que o aluno não tenha zerado nenhuma das provas que compõem o exame.

Em alguns casos, é possível aproveitar a nota do Enem de edições anteriores. Para conhecer as regras, é preciso entrar em contato com a universidade de seu interesse.

Onde estudar usando a nota do Enem

Para ajudar você, listamos abaixo algumas universidades privadas reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC) que trabalham com programas do governo, aceitam o Enem como forma de ingresso e mantêm sistemas próprios de bolsas e descontos. Todas elas têm avaliação oficial positiva e emitem diplomas válidos em todo o Brasil. 

Confira e clique para saber mais:

Viu como seu resultado no Enem pode abrir muitas portas? Não deixe de entrar em contato com as universidades para se informar sobre cursos, modalidades de ensino e processos seletivos.

Leia também:

Descubra quais são as notas de corte do Enem

Entenda como é calculada a nota do Enem

Qual edição do Enem você fez? E como pretende usar sua nota? Deixe um comentário contando para a gente!