Usado como critério de seleção de diversas universidades públicas e privadas, além de ser porta de entrada para programas como o Sisu, ProUni e Fies, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é considerado por muitos especialistas como o maior vestibular do país.

Com toda essa relevância, o Enem não é uma prova fácil. Além de ser uma avaliação extensa, ela exige do estudante conhecimento em diversas áreas e grande capacidade de interpretação textual.

Por isso, para se preparar de forma eficaz para a prova, é necessário criar bons métodos de estudo.

Neste artigo vamos falar da importância das provas anteriores para alcançar bons resultados no Enem. Fique atento!

Entenda a prova

Aplicada em dois dias, a prova do Enem é composta por 180 questões relacionadas às diversas áreas do conhecimento:

  • Ciências Humanas – 45 questões de Geografia, História, Filosofia e Sociologia

  • Linguagens e códigos – 45 questões de Língua Portuguesa, Literatura e Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol, dependendo da escolha feita pelo candidato na inscrição)

  • Ciências da Natureza – 45 questões de Biologia, Química e Física

  • Matemática – 45 questões

Também é exigido do estudante a escrita de uma redação, na qual ele deverá produzir um texto dissertativo-argumentativo, seguindo o tema proposto e demonstrando o domínio da norma culta da língua portuguesa.

Diferente de muitos vestibulares, o Enem exige uma competência leitora e interpretativa do candidato. Ou seja, é necessário entender o que é pedido no enunciado e relacionar as informações com os conhecimentos obtidos em diversas matérias. Trata-se da famosa interdisciplinaridade.

Além disso, a avaliação cobra o conhecimento de temas da atualidade (mais comentados na mídia e na sociedade) em diversas áreas, como política, economia, situação internacional, cidadania, meio ambiente, entre outros.

Por isso, é muito importante manter-se ligado no que acontece no Brasil e no mundo, informar-se com a leitura de jornais, revistas e sites.

Nas últimas edições, a prova do Enem tem exigido cada vez mais o domínio do conteúdo teórico das disciplinas do ensino médio. O conhecimento de fórmulas, conceitos e termos específicos está se tornando mais presente na avaliação e torna o Exame um pouco mais “conteudista”, parecido com os vestibulares tradicionais, como o da Fuvest.

Segundo os especialistas em Educação, essa transição está muito relacionada com a expansão do Enem, que atualmente substitui o vestibular de muitas universidades públicas e privadas.

A importância das provas anteriores

Se você está com dúvida se vale a pena estudar com provas anteriores do Enem, veja a seguir alguns motivos da importância dessa prática para alcançar bons resultados no Exame. Confira:

Conhecer a prova

Uma das melhores formas de conhecer a prova do Enem é resolver os exames dos anos anteriores. Assim como em um circuito esportivo de corrida ou automobilismo, é necessário conhecer os detalhes do percurso para se sair bem no Enem.

As provas são muito parecidas de um ano para o outro. Ao saber as características da avaliação, você ganhará bastante vantagem sobre aquele candidato que nunca teve contato com o Enem.

Aconselhamos estudar com os testes aplicados a partir de 2009, quando o Enem começou a selecionar candidatos para universidades públicas.

Conhecer os temas

Resolvendo as provas anteriores do Enem, o candidato também tem a chance de comparar o que foi cobrado nas últimas edições e, com isso, selecionar os temas que apareceram com mais frequência. Assim fica mais fácil saber quais assuntos vale a pena estudar mais a fundo e quais raramente aparecem no Exame.

Dessa forma, você otimiza o seu tempo de estudo, usando-o com sabedoria e se preparando para encarar as questões que têm mais possibilidade de cair na prova.

Acostumar com o ritmo e o estilo da prova

O Enem é uma prova extensa e cansativa, por isso, exige muito da capacidade de concentração do candidato. Realizar as provas anteriores do Enem ajudará a treinar o ritmo e o estilo com que você responderá as questões. Simular essas condições é muito importante para obter um bom resultado no Enem.

Treinar o tempo

Resolver as provas das edições passadas também ajuda o candidato a estimar o tempo gasto para resolver cada questão, fazer a conferência de suas respostas e preencher o gabarito. Dessa forma, no “grande dia”, você poderá administrar o tempo com mais segurança, driblar o cansaço e enfrentar o teste real com mais tranquilidade e disposição.

Treinar o aprendizado

Para fixar todo o conteúdo, nada melhor que um teste, não é verdade? Resolvendo os exames anteriores os estudantes têm a possibilidade de praticar tudo o que aprenderam na teoria. Assim, treinam a memória e compreendem melhor os dados, fórmulas e informações.

Observar as fraquezas

Estudar as provas anteriores do Enem é a melhor oportunidade para observar quais fraquezas você apresenta na hora de resolver a prova. Você verifica qual conteúdo não está totalmente assimilado e qual matéria ou tema acabou esquecendo na sua rotina de estudos.

É bom lembrar que não vale muito a pena estudar profundamente algum tema novo. Por isso, procure focar seus esforços em matérias que precisam de um pouco mais de estudo ou exercício para solidificar melhor o que foi aprendido.

Traçar estratégias

Existem diversas formas de resolver o Enem com eficiência e alcançar bons resultados, mas não há uma “fórmula mágica”. Cada candidato precisa criar seus próprios métodos para desenvolver a avaliação com segurança e tranquilidade.

Alguns estudantes gostam de começar o exame resolvendo as questões mais simples para ganhar tempo e confiança. Outros preferem começar pelas perguntas mais complexas.

Fazendo as provas anteriores, você verá na prática qual estratégia combina mais com o seu perfil. Definir a estratégia ideal no dia da prova pode ser muito arriscado!

Procure resolver as provas anteriores do Enem do começo ao fim. Simule o dia do Exame e cronometre o tempo gasto em cada área do conhecimento. Dessa forma, você conseguirá analisar e definir quais métodos são os mais adequados para você. Fique atento!

Elaborar um plano de estudo

Com base na resolução das provas anteriores do Enem, é possível criar um plano de estudos que atenda às suas necessidades e deficiências especificamente.

Conheça algumas universidades aprovadas pelo MEC que aceitam o Enem como forma de ingresso

Comprometidas com a qualidade de ensino, com o corpo docente e com a infraestrutura oferecida, estas universidades são reconhecidas pelo MEC com excelentes avaliações. Nelas, é possível ingressar utilizando apenas a nota do Enem. Veja os cursos disponíveis na modalidade presencial ou a distância em diversas cidades do Brasil:

Veja também:

Simulado Enem 2009

Enem acumula pontos?

E então, gostou das nossas dicas? Tem alguma informação interessante sobre o Enem que gostaria de compartilhar conosco? Deixe seu comentário aqui e participe da conversa!