Assim que a gente entrega a última prova do Enem, começa a contar os dias até a divulgação do resultado.

Esse período de espera por vezes gera uma ansiedade danada, afinal é o nosso futuro que está em jogo ali.

Mas quem passa o ano inteiro estudando para o exame também precisa se preparar para agir assim que o resultado é divulgado, se quiser garantir sua vaga.

A seguir, a gente trouxe tudo o que você precisa saber sobre o resultado do Enem deste ano. Confira!

O Enem deste ano

O Enem deste ano acontece em dois fins de semana seguidos.

No primeiro dia (domingo) são aplicadas três provas, logo de cara: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias e Redação.

São 90 questões objetivas repletas de interpretação de texto e mais a temida redação, em que o candidato precisará dissertar sobre um tema que só será conhecido na hora.

No segundo dia (domingo também), é a vez de mergulhar nas provas de Matemática e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Dessa vez são “apenas” 90 questões objetivas.

O gabarito oficial só sai no terceiro dia útil depois da última prova. Por ele, você vai saber quantas questões acertou nas provas – mas só nas objetivas.

A redação é corrigida individualmente e segue outro processo de avaliação.

O resultado do Enem deste ano

Todo ano o Enem acontece perto do início de novembro, mas o resultado só sai mesmo em meados de janeiro – normalmente depois do dia 15.

Quando forem divulgados, os resultados devem ser acessados unicamente pelo site oficial do Enem. https://enem.inep.gov.br/

Por meio de login e senha, o participante poderá consultar a nota que obteve em cada uma das quatro provas objetivas e na redação.

Cerca de 30 dias mais tarde, dá pra acessar o espelho da redação, que nada mais é do que o texto digitalizado, com as observações dos avaliadores.

Mas por que, entre o final da prova e a divulgação final, são necessários dois meses de espera?

Bom, o primeiro motivo é o volume. Como são milhões e milhões de candidatos inscritos todos os anos, o governo federal monta uma grande força-tarefa para dar conta de corrigir todas as provas objetivas e as redações.

As provas objetivas são corrigidas automaticamente, por meio do cartão de respostas preenchido pelos candidatos. Essa correção é feita e refeita várias vezes, para não haver erros.

As redações, por outro lado, são analisadas uma a uma por dois avaliadores diferentes (às vezes até mais).

Agora imagine quanto tempo leva para ler atenciosamente os textos de mais de 5 milhões de candidatos!

O importante é usar esse período de espera depois das provas para se preparar para os processos seletivos que usam a nota do Enem.

Quer saber como? Então dê uma olhada no tópico a seguir!

O que fazer com o resultado do Enem

Com um bom resultado no Enem é quase certo que você vai conseguir entrar naquela faculdade tão sonhada, no curso desejado.

São quatro chances principais de conquistar uma vaga. Conheça:

• Sisu – É o primeiro processo seletivo que abre após a divulgação dos resultados Enem, em meados de janeiro. Esse também é um dos mais importantes e concorridos, já que distribui vagas em universidades públicas de todo o país. Pode entrar na disputa qualquer pessoa que fez o Enem mais recente e não tirou zero na redação. São quase 300 mil vagas distribuídas em duas edições – a segunda ocorre no início do próximo semestre. A concorrência aqui é acirrada, só passa quem tem pontuação alta.

• ProUni – O Programa Universidade para Todos é destinado a alunos de baixa renda que fizeram o Enem mais recente e tiraram uma boa nota nas provas. Com ele, dá para conseguir bolsas de estudos em boas faculdades particulares por todo o país, em cursos de diferentes áreas do conhecimento. A participação aqui é mais restrita que no Sisu, embora o número de vagas seja bem similar: quase 300 mil! Os requisitos básicos são: ter obtido pelo menos 450 pontos na média das provas do Enem mais recente, não ter zerado a redação, atender ao perfil de renda familiar e formação escolar determinados pelo MEC e, por fim, não ter diploma de nível superior. A seleção acontece duas vezes por ano, logo depois do encerramento do Sisu.

• FIES – O FIES permite financiar um curso superior a longo prazo e juros baixos – uma ótima opção para quem não conseguir entrar no Sisu ou no ProUni. O melhor de tudo é que a dívida só começa a ser quitada depois da formatura, quando o estudante tem mais chances de já estar inserido no mercado de trabalho, ganhando salários melhores. Para tentar o FIES vale usar qualquer edição do Enem a partir de 2010, desde que a média apresentada seja de pelo menos 450 pontos nas provas, sem ter tirado zero na redação. Pode participar o candidato que tiver renda familiar mensal bruta de até cinco salários mínimos por pessoa. O FIES também acontece duas vezes ao ano.

• Ingresso direto – E quem quer estudar em faculdade particular tem ainda mais facilidade para conseguir vaga com o ingresso direto. Basta apresentar a nota obtida no Enem (qualquer edição a partir de 2010) e, caso tenha pontuação suficiente, já garantir imediatamente o direito à vaga. Daí basta levar a documentação necessária, fazer a matrícula e ser feliz – sem ter que fazer vestibular!

Onde estudar com os resultados do Enem

Fez o Enem? Então você pode tentar vaga em mais de mil instituições de ensino superior pelo país, entre públicas e particulares.

Para muita gente, o difícil é se decidir por alguma. Por isso uma pesquisa prévia é fundamental.

A gente separou algumas faculdades bem avaliadas pelo MEC para você já incluir no seu radar. Conheça:

Veja também:

Passou o Enem, e agora? O que fazer?

Está contando os dias para o resultado do Enem? Conte para a gente de qual processo seletivo você pretende participar!