O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado pelo governo federal há mais de 10 anos para avaliar os conhecimentos dos estudantes ao final do ensino regular. Porém, desde 2009 o Exame vem sendo usado como base para classificação de alunos em processos seletivos de cada vez mais universidades públicas e privadas pelo País.

Isso significa que para entrar na maioria das instituições de ensino superior no Brasil é preciso ter feito o Enem! E quanto maior a pontuação no Exame, maiores as chances de conquistar uma vaga na universidade.

Por isso a expectativa em relação à nota geral é sempre muito grande. Pena que não dá pra calcular sozinho! O sistema que determina a pontuação é informatizado e considera diferentes variáveis, impossíveis de estimar apenas conferindo o gabarito.

Entenda melhor como funciona a nota do Enem para ter uma ideia mais aproximada do seu desempenho individual!

A nota final do Enem

Para entender melhor o cálculo da nota geral, vamos lembrar um pouco o conteúdo do Enem. O Exame é composto por quatro provas objetivas de diferentes áreas do conhecimento: Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Linguagens e Códigos e Matemática. No total, são 180 questões. Tem também a prova Redação, que é discursiva e exige que o estudante escreva um texto sobre um tema que só é revelado na hora do Exame.

A nota de cada uma destas cinco provas pode variar entre 0 e 1.000 pontos, aproximadamente. Mas a pontuação atribuída a cada questão respondida corretamente tem valor variável, de acordo com o comportamento do estudante na hora de responder e também em comparação com o desempenho dos demais participantes. É aí que a coisa complica. Como ter ideia da nota se não existe uma pontuação fixa para cada acerto? Para compreender melhor esta questão é preciso conhecer a Teoria de Resposta ao Item (TRI).

A Teoria de Resposta ao Item

A pontuação do Enem é calculada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), entidade vinculada ao Ministério da Educação (MEC). O Inep utiliza a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI) para corrigir as provas, um sistema indicado para testes que envolvam um número muito grande de participantes.

Nesta metodologia, o valor de cada questão vai variar de acordo com o percentual de erros e acertos naquele item. Uma pergunta que teve alto índice de acertos dos estudantes será considerada mais fácil e valerá menos pontos na composição da nota final. Aquelas que tiverem um índice menor de acertos serão consideradas mais difíceis e valerão mais pontos na soma geral. Essa é a lógica básica da TRI.

Por meio desta metodologia é possível avaliar os participantes também pelo comportamento na hora de responder a prova. O sistema considera o grau de dificuldade de cada questão e verifica se o estudante consegue responder corretamente às perguntas consideradas fáceis, médias e difíceis. Aqueles que acertam perguntas difíceis devem ter facilidade também para acertar as médias e fáceis. Se errarem as questões que não exigem maiores conhecimentos, o sistema entende que estes estudantes estão “chutando” as respostas difíceis. Desta forma, atribui um valor menor aos acertos destas questões.

É complexo, não é? Mas a TRI é defendida por especialistas como uma forma adequada e justa de determinar a pontuação geral em exames tão expressivos como o Enem, que vem registrando anualmente milhões de participantes.

A nota da Redação

A prova de Redação do Enem é a única que não é corrigida pela metodologia da TRI porque, ao contrário das demais, ela não é de assinalar.

O texto dos candidatos é examinado por três avaliadores. Inicialmente, dois deles analisam a redação e atribuem, cada um, uma nota a cada quesito de avaliação. A pontuação final será o resultado da média aritmética destas notas. Se houver uma diferença maior de 300 pontos entre os quesitos , um terceiro profissional vai analisar a redação para decidir a nota final. Os itens avaliados são:

  • Compreensão da proposta do tema da redação.
  • Domínio da norma padrão da língua portuguesa.
  • Seleção e organização das informações.
  • Demonstração de conhecimento da língua portuguesa necessário para a argumentação de ideias.
  • Elaboração de solução para os problemas abordados, considerando as diferenças socioculturais.

A média das notas do Enem

A média da pontuação final dos estudantes que participam do Enem sofre variações a cada ano. É possível observar, no entanto, que as notas da maioria ficam em torno de 500 pontos, em cada prova.

Esta pontuação serve de termômetro para você avaliar seu desempenho. Quanto mais acima de 500 pontos, melhor seu resultado naquela prova. Se sua pontuação ficar muito abaixo da média, significa que você não se saiu muito bem em relação aos demais participantes.

Veja também

O que fazer com a nota do Enem

Você vai usar sua nota do Enem para disputar uma vaga em qual curso superior? Conte para a gente nos comentários!