Os oceanos cobrem mais de 70% da área total do planeta e ainda são um total mistério para nós.

Anos e anos de desenvolvimento científico e tecnológico e conseguimos, até agora, desvendar menos de 10% dos segredos ocultos nos fundos dos mares.

Alguns cientistas afirmam que a gente conhece melhor a Lua do que os oceanos! Impressionante, não é?

Para mudar essa história, os biólogos marinhos estão ajudando a revelar o turbilhão de vida sob as águas.

Quer fazer parte dessa missão?

A seguir, saiba tudo sobre Biologia Marinha e onde encontrar o curso ideal!

Entenda a Biologia Marinha

A Biologia Marinha trata do estudo dos diferentes tipos de vida que existem na imensidão dos oceanos, mares e estuários.

Sua missão é explorar e mapear a fauna, a flora e as características físicas (relevo, temperatura, salinidade, acidez, etc.) dos ambientes de água salgada.

Parece simples, mas lembre-se que estamos falando do maior ambiente do planeta, e que, abaixo dos 200 metros de profundidade, segue praticamente inexplorado.

A Biologia Marinha estuda desde as gigantes baleias azuis, os maiores mamíferos do planeta, até as algas microscópicas – que, apesar do seu tamanho minúsculo, têm um papel relevante no clima do planeta.

A atividade mescla conhecimentos de ecologia, oceanografia, zoologia e botânica com as demais áreas das Ciências Biológicas (educação ambiental, bioquímica, citologia, genética, etc.).

Por ser tão extenso, o campo da Biologia Marinha tem várias subáreas:

  • Ecologia Marinha – Pesquisa as relações entre o meio ambiente marinho e os seres que vivem nele.
  • Etologia Marinha – Estuda o comportamento dos animais marinhos.
  • Microbiologia Marinha – Estuda organismos microscópicos presentes nos oceanos, rios e mares: bactérias, protozoários, algas.
  • Recursos pesqueiros e Aquicultura – Trata da criação de peixes e crustáceos para consumo humano.

O curso de Biologia Marinha

O curso de Biologia Marinha coloca o aluno a par de tudo o que se conhece sobre os oceanos, desde a formação dos mares até as grandes problemáticas que ameaçam a vida na Terra: poluição, aquecimento global, pesca predatória e aumento da acidez das águas.

A graduação dura quatro anos e forma profissionais em nível de bacharel.

Infelizmente, o Brasil só conta com dois cursos específicos de Biologia Marinha: ambos em universidades públicas e disponíveis apenas na modalidade presencial, uma no Rio de Janeiro e outra em Santa Catarina (veja quais são no tópico seguinte).

Para quem não mora nesses estados o jeito é buscar uma formação mais ampla em Ciências Biológicas e, na sequência, tentar uma especialização, mestrado ou doutorado em Biologia Marinha.

A vantagem é que o curso é bastante fácil de encontrar, em duas modalidades:

Bacharelado – para quem quer trabalhar como pesquisador ou exercer a biologia marinha na prática.

Licenciatura – para quem pretende ser professor de Biologia em escolas de ensino fundamental e médio. Nesse caso a duração pode variar entre três e quatro anos.

Outra formação indicada para quem quer trabalhar na área é a de Oceanografia.

Embora seja uma área complementar à Biologia Marinha, o foco de estudos é outro: características de rios, mares, oceanos e zonas costeiras. Trata da parte física, fenômenos, interação com outras forças do planeta (marés, movimentação de placas tectônicas, atmosfera, aquecimento, formação de furacões, etc.) e também da exploração de recursos marinhos e fluviais.

O curso está disponível em poucas faculdades, a maioria delas na rede pública. Veja mais detalhes no último tópico.

Área de trabalho do biólogo marinho

O biólogo marinho tem um campo de trabalho relativamente extenso, que envolve:

  • Institutos e centros de pesquisa
  • Agências de preservação do meio ambiente
  • Empresas de exploração de recursos minerais em áreas marinhas (petróleo, por exemplo)
  • Indústria pesqueira
  • Cooperativas de produção de peixes de mariscos em cativeiro
  • Museus
  • Agências públicas de estudo e fiscalização da vida marinha

No Brasil, o salário médio de um biólogo é de aproximadamente R$ 4.000. Os valores podem superar os R$ 8.000 com o passar do tempo.

Os recém-formados recebem entre R$ 1.900 e R$ 3.200, aproximadamente.

Onde estudar Biologia Marinha

Como a gente já adiantou, somente duas faculdades oferecem o curso de Ciências Biológicas com foco em Biologia Marinha:

  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

O curso de Oceanografia, o primo mais próximo da Biologia Marinha, também não é lá muito fácil de achar. Está disponível em apenas 11 faculdades – a grande maioria na rede pública de ensino:

  • Universidade de São Paulo (USP)
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)
  • Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
  • Universidade Federal do Pará (UFPA)
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Por isso, grande maioria dos aspirantes a biólogo marinho opta pelo curso geral de Ciências Biológicas.

A vantagem é que a formação é uma as mais populares do Brasil, fácil de encontrar em praticamente qualquer faculdade pública ou privada e ainda tem a vantagem de poder ser feita a distância – coisa que os outros citados acima não têm!

Mais de 230 faculdades contam com o curso e já contabilizam mais de 35 mil matriculados.

Quando for escolher a faculdade, lembre-se sempre de verificar o reconhecimento da instituição junto ao MEC. Isso é fundamental para ter um diploma válido no mercado de trabalho.

Também vale observar o conceito do curso. Graduações bem avaliadas adicionam pontos importantes ao currículo do futuro biólogo.

A seguir, conheça algumas faculdades que têm o curso de Ciências Biológicas:

Veja também:

Conheça 8 cursos para quem gosta de Biologia

Pensando em ser biólogo marinho? Conte para a gente qual sua primeira opção de curso!