Arquitetura é uma atividade intimamente ligada aos movimentos de mercado.

Se a economia está boa, tem trabalho de sobra. Se está ruim, é preciso desenvolver o espírito empreendedor e correr atrás.

Por sorte, no Brasil os arquitetos podem buscar diferentes tipos de trabalho. Mas para se dar bem é preciso ter um perfil dinâmico e abrangente.

Bateu aquela para saber como isso se reflete na grana paga a esses profissionais?

Veja a seguir qual é o salário de Arquitetura!

O mercado de Arquitetura

Por todo o Brasil, existem mais de 150 mil arquitetos em atuação, mais da metade na região Sudeste.

Dados do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) revelam que boa parte dos profissionais (mais de 50%) trabalha por conta própria, como autônomos, ou são donos de seus próprios escritórios.

Isso dá uma ideia de como é, hoje, o mercado para arquitetos e urbanistas.

Paralelamente a tudo isso, as salas de aula do curso de Arquitetura abrigam mais de 140 mil estudantes – o que irá turbinar ainda mais a concorrência nos próximos anos.

Ainda bem que o campo da Arquitetura é amplo e ainda tem muito a ser explorado.

Embora grande parte dos arquitetos ainda trabalhe com projetos, muitos têm seguido áreas como:

  • Arquitetura corporativa
  • Arquitetura hospitalar
  • Arquitetura rural
  • Design de interiores
  • Planejamento urbano
  • Paisagismo
  • Restauro e preservação do patrimônio histórico
  • Pesquisa e ensino

Fora isso, há diversas subespecializações que podem render uma carreira bem interessante, como projetista de pequenos espaços (uma realidade nos grandes centros urbanos), reformas econômicas, paisagismo de apartamento, arquitetura sustentável e por aí vai.

E quanto será que os profissionais de arquitetura estão recebendo, afinal? Confira no próximo tópico!

Salário de Arquitetura

Desde a década de 1960, o Brasil tem uma lei que regula o salário dos arquitetos, a 4.950-A/66.

Os profissionais devem ganhar salários diferentes de acordo com o número de horas trabalhadas por dia.

  • 6 salários mínimos para jornada de 6 horas diárias.
  • 7,25 salários mínimos para jornada de 7 horas diárias.
  • 8,5 salários mínimos para jornada de 8 horas diárias.

Traduzindo para números atuais, os arquitetos deveriam receber R$ 6.270 em um trabalho de 6 horas; R$ 7.570 por 7 horas e R$ 8.882 por 8 horas.

Embora esteja previsto em lei, na prática o cenário é outro.

Hoje, a média salarial de um arquiteto é de R$ 5.500 em um trabalho de 40 horas, com variações que vão de R$ 2.800 para um recém formado a R$ 11.400 para um profissional mais experiente.

O valor depende do tipo de contrato e do porte da empresa para a qual o profissional irá trabalhar.

O salário muda também de acordo com a especialização do profissional. A situação é a seguinte:

  • Arquiteto projetista: entre R$ 4.200 e R$ 8.400
  • Arquiteto urbanista: entre R$ 4.000 e R$ 8.200
  • Arquiteto paisagista: entre R$ 3.400 e R$ 7.000
  • Arquiteto de interiores: entre R$ 3.600 e R$ 7.400
  • Arquiteto restaurador: entre R$ 4.300 e R$ 8.700

As atividades mais bem remuneradas no ramo da Arquitetura são aquelas ligadas à consultoria e coordenação de projetos. Aqueles que se especializam em realizar análise técnica de projetos, avaliação de viabilidade, estruturação de modelos de implementação e gestão equipes têm um salário médio de R$ 10.600, com chances de ultrapassar os R$ 20.000 conforme vão se tornando mais experientes.

Como acontece em praticamente todas as áreas, quanto mais capacitado é o profissional, mais chances de ganhar bem.

O CAU informa que 25% dos profissionais em atividade possuem pós-graduação e 86% deles têm domínio total do uso de softwares de desenho.

Aqui vale um adendo importante: como grande parte dos arquitetos em atividade trabalha por projeto, a demanda por trabalho é oscilante. Tem mês com muito projeto, tem mês com pouco – o que faz com que a renda também seja variável na maioria dos casos. Essa é uma realidade da área que deve permanecer viva por bastante tempo ainda.

O curso de Arquitetura

Apesar da alta competitividade do mercado, Arquitetura segue como um dos cursos mais populares do Brasil.

Hoje, ocupa o 14º lugar na preferência dos brasileiros. Todos os anos, as mais de 540 faculdades que têm o curso oferecem mais de 177 mil vagas.

A graduação dura cinco anos e é oferecida em grau de bacharelado.

O curso mistura elementos das artes e das engenharias, com estudos que vão desde a história da arte e da estética até conceitos mais profundos de matemática, física e química.

Entre as matérias específicas, tem análise de solos, clima e materiais, conforto acústico, ambiental e luminotécnico, desenvolvimento de projetos, instalações elétricas e hidráulicas, design de interiores, ergonomia e muito mais.

Um fenômeno que tem dado o que falar no mundo da Arquitetura é a possibilidade de estudar tudo isso a distância. Sim, de uns anos para cá, o Ministério da Educação (MEC) autorizou mais de 20 faculdades a oferecer o curso nessa modalidade.

Nesse curto intervalo, o curso já atraiu quase dois mil alunos.

Funciona assim: toda a parte teórica é apresentada num ambiente virtual de aprendizagem, que o aluno acessa pela internet. Lá ele encontra aulas em vídeo, eventos online ao vivo, atividades e supervisão total de professores, tal como se estivesse num curso presencial. O grande diferencial é poder fazer tudo isso no horário que melhor convém a cada um.

As atividades práticas continuam sendo feitas presencialmente, em laboratórios e oficinas das faculdades ou dos polos de apoio. É um curso híbrido, portanto.

O formato é bem aceito no mercado de trabalho e custa bem menos do que o presencial (alguns chegam a custar menos da metade). Vale a pena dar uma olhada.

Quer saber onde encontrar bons cursos de Arquitetura EAD reconhecidos pelo MEC? Dê uma olhada nas nossas sugestões:

Veja também:

Descubra o valor da faculdade de Arquitetura

O que achou dos salários dos arquitetos? Está acima ou abaixo do que você esperava? Conte para a gente nos comentários!