Educação Especial é uma dessas práticas que ajudam a tornar o mundo um lugar melhor para viver.

Ela inclui no processo de aprendizado pessoas que têm deficiências físicas, intelectuais ou dificuldades de desenvolvimento.

O curso tem a missão de preparar os profissionais que vão ajudar esses alunos no processo educativo regular.

Trata-se de uma bela área de trabalho que ainda não é tão difundida por aqui quanto deveria.

A seguir, conheça o curso de Educação Especial e veja onde – e como – estudar!

O curso de Educação Especial

A Educação Especial utiliza dos conhecimentos da Pedagogia para atender a pessoas que possuem diferentes tipos de deficiências ou transtornos.

Como educar, por exemplo, uma criança surda? Como ensinar um cego a ler e a escrever? Como lidar na escola com pessoas que têm transtornos de desenvolvimento?

Tudo isso, evidentemente, deve ser feito de maneira inclusiva, e não mais excluindo as crianças e adultos do convívio com os demais.

A ideia geral é oferecer métodos e dinâmicas de educar para a diferença que respondam às necessidades de cada indivíduo e permitam que essas pessoas superem suas dificuldades, tenham chances de continuar sua escolarização e, se assim quiserem, possam ingressar no mercado de trabalho.

Educação Especial é um curso de licenciatura com duração de quatro anos. Os profissionais são formados para atuar preferencialmente em escolas de ensino básico da rede pública e particular.

Nesse tempo os estudantes irão conhecer os métodos, as ferramentas e as estratégias do ensino inclusivo que ajudam a identificar os pontos fortes dos alunos, explorar suas diferentes formas de aprender e despertar o interesse pelo conhecimento.

Para isso é fundamental mergulhar de cabeça em temas que envolvem, por exemplo:

  • Alfabetização de crianças e adultos com necessidades especiais
  • Arte-educação
  • Acessibilidade e tecnologias assistivas
  • Criação de políticas públicas
  • Atendimento a pessoas com diferentes tipos de deficiência ou transtornos mentais
  • Atendimento a pessoas com diferentes tipos de deficiência física
  • Linguagem Brasileira de Sinais (Libras)

Além das escolas, os licenciados em Educação Especial podem trabalhar em espaços afins, como projetos educacionais inclusivos, organizações não-governamentais, consultorias, empresas, hospitais e clínicas e entidades de apoio.

Aos candidatos, um recado: esse é um curso que desafia constantemente o entendimento que temos do mundo e das práticas pedagógicas, por isso é importante chegar às aulas de cabeça aberta e com muita disposição para aprender.

O que se estuda no curso de Educação Especial

Normalmente, os primeiros semestres do curso fazem uma fundamentação teórica geral em Pedagogia, Didática, Planejamento e Gestão Educacional. A partir da segunda metade, vai se especializando na questão da Educação Especial, com matérias que se aprofundam nas técnicas e metodologias de aprendizado.

Abaixo a gente trouxe algumas matérias para você ter ideia da abordagem do curso:

  • Alfabetização e Letramento
  • Movimento e Psicomotricidade
  • Educação Infantil
  • Linguagem e Desenvolvimento Humano
  • Educação na Diversidade
  • Estatuto da Criança e do Adolescente
  • Fundamentos da Educação Especial
  • Prática de Ensino na Educação Especial
  • Fundamentos da Neurofisiologia
  • Acessibilidade e Técnicas Assistivas
  • Desenvolvimento e Aprendizagem da Pessoa com Deficiência
  • Dificuldades de Aprendizagem
  • Didática Aplicada a Pessoas com Deficiência
  • Educação da Pessoa com Deficiência Intelectual
  • Educação da Pessoa com Deficiência Visual
  • Educação da Pessoa com Deficiência Auditiva
  • Educação da Pessoa com Deficiência Física
  • Prática de Ensino na Educação Especial
  • Educação Não-Formal
  • Superdotação e Altas Habilidades
  • Afetividade e Sexualidade na Educação Especial
  • Arte e Educação Especial
  • Educação Física Inclusiva
  • Psicopedagogia Aplicada a Pessoas com Deficiência
  • Transtornos Globais do Desenvolvimento
  • Prática de Leitura e Escrita
  • Psicologia da Educação
  • Legislação e Políticas Públicas da Educação Especial No Brasil

O estágio curricular é obrigatório e normalmente começa na segunda metade do curso.

Quanto custa estudar Educação Especial

Boa notícia para quem quer economizar: Educação Especial não custa caro!

O curso a distância é a opção mais econômica. Em boa parte das faculdades que oferecem a modalidade, as mensalidades ficam entre R$ 250 e R$ 300.

Quem prefere estudar da forma tradicional, com aulas presenciais, terá de desembolsar um pouco mais. A média das mensalidades sobe para R$ 650, podendo variar de acordo com o turno, a cidade e a faculdade.

Há diversas maneiras de conseguir bolsa para baixar (ou zerar) os custos. Educação Especial está presente no ProUni e em vários outros programas de incentivo à formação de nível superior.

Onde estudar Educação Especial

Educação Especial está disponível em cerca de 30 faculdades pelo Brasil e pode ser feito presencialmente ou a distância.

Não é um número muito grande, especialmente se compararmos a Pedagogia, que é seu correspondente mais próximo e pode ser encontrado em mais de mil faculdades pelo país.

Por isso, muita gente que se interessa pelo tema acaba estudando Pedagogia e, na sequência, investe em uma pós em Educação Especial – o que é válido também.

Dentre as faculdades mais interessantes onde você pode estudar Educação Especial, destacamos a Cruzeiro do Sul Virtual (a distância) e a Universidade Cidade de São Paulo (UNICID)

Caso não exista uma faculdade ou polo de apoio com o curso na sua cidade, considere Pedagogia, que é bem mais popular.

Quer algumas sugestões para estudar Pedagogia? Então anote aí:

Veja também:

Conheça a grade curricular de Pedagogia e veja onde estudar

Curtiu Educação Especial? Já descobriu se tem algum curso perto de você? Conte para a gente nos comentários!