A graduação em Design de Interiores pode ser encontrada nos graus bacharelado e tecnológico e nas modalidades presencial e de ensino a distância (EaD).

A principal diferença entre os tipos bacharelado e de tecnólogo, além do tempo de duração, está no enfoque de cada curso. O bacharelado possui quatro anos de duração e, por ser mais longo, trabalha com mais profundidade conteúdos teóricos e práticos. Já o tecnológico tem duração de aproximadamente dois anos e busca atender as demandas do mercado de trabalho, por isso conteúdos técnicos e práticos são mais explorados, com o objetivo de uma rápida inserção no mercado de trabalho.

Quanto às modalidades presencial e a distância, a diferença está no formato em que as aulas acontecem. O conteúdo trabalhado é o mesmo, pois a diretriz curricular do curso não muda. No entanto, enquanto na modalidade presencial todas as aulas acontecem na instituição de ensino, dentro de sala de aula, na modalidade EaD as aulas acontecem em plataformas online. As aulas podem ser acessadas no portal online da instituição de forma ao vivo ou gravada, assim como as atividades e o contato com os colegas ou professores.

Alguns ajustes podem ser feitos no formato EaD especialmente quando o curso possui carga horária de aulas práticas, com o auxílio de ferramentas tecnológicas ou até mesmo atividades presenciais.

É importante ressaltar, porém, que independente do tipo de curso de graduação de Design de Interiores, todos capacitam profissionais para trabalhar com o arranjo de ambientes residenciais e comerciais, levando em consideração a estética e funcionalidade. Para isso, esse profissional determina quais materiais devem ser utilizados, como as cores devem ser trabalhadas e como os móveis devem estar posicionados. 

Grade curricular de Design de Interiores

De acordo com as diretrizes curriculares do Ministério da Educação (MEC) para o curso, o projeto pedagógico deve incluir conteúdos básicos relacionados a história do design e seu contexto sociológico, antropológico, psicológico e artístico, assim como conteúdos relacionados à comunicação, técnicas de projetos, estudo de materiais e gestão.

O curso também deve explorar estudos específicos que envolvam produções artísticas, comunicação visual, interiores, paisagismo e formas de utilização adequada de espaços.

Por fim, a graduação também deve oferecer conteúdos teórico-práticos, que relacionem os conceitos e a prática profissional, além da realização de atividades complementares.

O estágio e o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) podem fazer parte da grade curricular de algumas instituições de ensino, mas a forma como eles devem ser realizados pode variar.

Grade curricular do primeiro ano de Design de Interiores

O início do curso conta com matérias mais introdutórias, para contextualizar o surgimento e o conceito de design, assim como ferramentas e técnicas utilizadas na área. Veja:

  • História do Design
  • História da arte
  • Introdução ao Design de Interiores
  • Linguagens de expressão
  • Ergonomia
  • Informática
  • Empreendedorismo
  • Projetos
  • Materiais e técnicas de acabamento
  • História da arte II
  • Modelagem
  • Espaços

Grade curricular do segundo ano de Design de Interiores

No segundo ano, há um aprofundamento no aprendizado de técnicas. Além disso, algumas disciplinas mais específicas também começam a ter espaço. Confira:

  • Estética
  • Sustentabilidade
  • Plástica
  • Práticas do consumo
  • Antropologia
  • Desenho artístico
  • Geometria
  • Comunicação
  • Perspectiva
  • Design de móveis
  • Infraestrutura
  • Ética profissional

Grade curricular do terceiro ano de Design de Interiores

O terceiro traz um número ainda maior de disciplinas específicas da área de Design de Interiores, além de estratégias de mercado. Veja:

  • Ambientação de objetos
  • Composição de interiores
  • História dos interiores
  • Iluminação
  • Conforto acústico
  • Maquete
  • Infraestrutura
  • Marketing
  • Equipamentos de interior

Grade curricular do quarto ano de Design de Interiores

No quarto e último ano a grade curricular fica menor pois há espaço para as disciplinas optativas, atividades complementares, assim como estágio e Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) em algumas instituições. Confira:

  • Paisagismo
  • Processos industriais
  • Segurança de edificações
  • Psicologia ambiental
  • Criação e inovação
  • Atividades complementares

Disciplinas optativas do curso de Design de Interiores

As disciplinas optativas fazem parte da grade curricular de todo curso de graduação e, diferente das matérias obrigatórias que são determinadas pelas diretrizes do curso, as optativas podem ser escolhidas pelo aluno. 

Normalmente elas devem ser cursadas no fim da graduação. Em média, é necessário fazer duas disciplinas optativas para se formar. Veja a seguir uma lista com as matérias optativas do curso de Design de Interiores:

  • Teoria da imagem
  • Cultura brasileira
  • Cultura popular
  • Arte no Brasil
  • Estamparia
  • Perspectiva avançada
  • Adereços de cenografia
  • Fotografia
  • Direitos humanos
  • Educação ambiental
  • Língua Brasileira de Sinais

Onde estudar Design de Interiores?

A seguir, é possível encontrar uma lista com algumas opções de instituições de ensino que oferecem o curso de Design de Interiores nos graus bacharelado e tecnológico, assim como nas modalidades presencial e a distância:

Preparado para estudar Design de Interiores? Responda nos comentários abaixo!