Já reparou como as palavras profissão e professor

se parecem? Elas nasceram da mesma raiz etimológica, o que faz todo o

sentido: o professor é a primeira das profissões. Todas as outras

especialidades e habilidades técnicas só podem existir quando há

professores ensinando-as aos seus discípulos. Toda profissão precisa de

professores.

O que é ter uma profissão? O que é ser professor? Ambas as palavras derivam do latim professum, que por sua vez vem do verbo profitēri:

“declarar perante um magistrado, fazer uma declaração, manifestar-se;

declarar em alto e bom som, afirmar, assegurar, prometer, protestar,

obrigar-se, confessar, mostrar, dar a conhecer, ensinar, ser professor”

(Houaiss).

São muitos significados convergindo para um só sentido: professar é

algo grave, importante, que requer iniciativa, responsabilidade e

segurança. Eis aí resgatada a nobreza do compromisso com a profissão:

ser professor é “obrigar-se”, ou seja, imbuir-se intimamente neste

papel afirmativo e de liderança. A maioria dos verbos que o descrevem

envolvem também a comunicação. Isto quer dizer que professar não é ação

solitária, isolada ou introspectiva. Requer o outro, direciona-se a

alguém, só faz sentido porque existe o aluno.

Alguns sinônimos se cruzam nas várias definições do ofício de educar, mas cada um aponta para origens diversas:

Professor s.m. – 1. aquele que professa uma crença,

uma religião; 2. aquele cuja profissão é dar aulas em escola, colégio

ou universidade; docente, mestre; 2.1. aquele que dá aulas sobre algum

assunto; 2.2. p. ext. aquele que transmite algum ensinamento a outra

pessoa; 3. aquele que tem diploma de algum curso que forma professores

(como o normal, alguns cursos universitários, o curso de licenciatura

etc.); 4. fig. indivíduo muito versado ou perito em alguma coisa; adj.

5. que professa; profitente; 6. que exerce a função de ensinar ou tem

diploma ou título de professor.

Docente adj. 2g. 1. referente ao ensino ou àquele que ensina. Do latim docēre, “ensinar”.

Mestre s.m. – 1. pessoa dotada de excepcional

saber, competência, talento em qualquer ciência ou arte; 2. indivíduo

que ensina, que dá aulas em estabelecimento escolar, ou

particularmente. Do latim magĭster, “o que manda, dirige, ordena, guia, conduz. [Têm a mesma origem as palavras maestro, magistratura, magistral...]

Pedagogo s.m. – 1. escravo que acompanhava as

crianças à escola; 2. pessoa que emprega a pedagogia, que ensina; 3.

aquele que tem a prática de ensinar. Do grego paidagōgós, “escravo encarregado de conduzir as crianças à escola; preceptor de crianças, pedagogo”, pelo latim paedagōgus, “o que dirige meninos, aio, pedagogo, preceptor, mestre, diretor”.

Preceptor adj. s.m. – 2. que ou aquele que dá preceitos ou instruções, educador, mentor, instrutor. Do latim praecēptor, “o que lança mão de algo antecipadamente, o que ordena, instrui, mestre”.

Quantos sentidos diferentes, e até mesmo contraditórios, pode conter uma mesma palavra!

Quem diria que pedagogo, na Grécia Antiga, era o escravo que acompanhava as crianças, ou uma espécie de preceptor,

de aio encarregado apenas pela educação doméstica das crianças de

famílias nobres ou ricas! Isto mostra como a educação de crianças era

considerada um assunto menor, ou no máximo um assunto para ser

resolvido em casa, e apenas pelas famílias que tinham condições. Não

havia a preocupação com a formação das crianças desde cedo, pois elas

não eram consideradas cidadãos. O ensino formal começava apenas mais

tarde, e privilegiando, é claro, os meninos.

Também é curioso ver a definição diretor associada a pedagogo. Estamos habituados a chamar de diretor

apenas aquele que é responsável pela escola ou instituição educativa. O

uso da palavra resumiu-se, portanto, a um conceito estritamente

trabalhista, ou seja, ao nome de um cargo e de uma função designados

pelo Estado. O significado educativo de diretor, no entanto, é muito mais rico e merece ser resgatado. Diretor

é quem dirige ou, como define o dicionário, quem “orienta, fundamenta”,

o “norteador”. Assim o título ganha em abrangência, pode ser invocado

por todo e qualquer educador que oriente os seus alunos, indicando-lhes

o “norte”, o rumo, a direção a se tomada.

Em comum, no meio de tantas idéias e associações, sobressai uma ação: ensinar. Professor é quem ensina. E o que é ensinar?

Ensinar v. 1. repassar (a alguém) ensinamentos

sobre (algo) ou sobre como fazer (algo); doutrinar, lecionar. 1.1. p.

ext. transmitir experiência prática a; instruir (alguém) por meio de

exemplos; 1.2. tornar (algo) conhecido, familiar (a alguém); fazer

ficar sabendo; 1.3. dar lições a, instruir; 1.4. mostrar a alguém as

conseqüências ruins de seus atos; 2. mostrar com precisão, indicar.

Eis uma palavra que poderia ter infinitas definições, ganhar um

dicionário só para ela. As que estão aí em cima sugerem princípios

interessantes. Por exemplo, a necessidade de trabalhar experiências

práticas, seja para exemplificar um conteúdo, seja como objetivo mesmo

da Educação: ensinar para a vivência cotidiana, concreta, e não ficar

preso a abstrações e teorias distantes da realidade.

Aí está a grandeza e o heroísmo dos professores: desempenhar uma das mais relevantes missões humanas sob as mais adversas condições sociais. Há de se concordar com o que diz o escritor José Saramago sobre os professores: “São os heróis do nosso tempo”.

Portanto, eis aí o que são os professores:

Herói s.m. do grego herōs, “chefe, nobre; semideus; herói, mortal elevado à classe dos semideuses”, pelo latim hēros, “semideus, filho de um deus ou de uma deusa, homem célebre”.