Direito é o curso número um na preferência nacional. Nenhuma outra graduação no país tem tantos alunos matriculados: são quase 870 mil, segundo o mais recente Censo da Educação Superior.

Por trás de tanta procura estão as inúmeras possibilidades de carreira que um bacharel em Direito pode seguir e as chances de embolsar um salário bem gordo no fim do mês.

Nem mesmo o excesso de profissionais e a concorrência no mercado de trabalho afugentam aqueles estão decididos a fazer esta graduação.

Só que a gente já avisa com antecedência: o curso não tem moleza! Quem está decidido a seguir carreira na área precisa se preparar desde já. Além de enfrentar a disputa por uma vaga, se quiser se destacar no mercado terá que se dedicar intensamente aos estudos ao longo de todos os anos que dura a graduação.

Aliás, você já sabe quanto tempo terá que estudar para se formar em Direito? Sabe quais são as modalidades de ensino disponíveis? As faculdades mais legais onde estudar? As formas de fazer uma graduação em menos tempo?

Não? Então a gente revela tudo para você a seguir. Confira!

Quanto tempo dura o curso de Direito?

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o curso de Direito precisa ter uma carga mínima de 3.700 horas, o que equivale a cinco anos de duração.

Dessa carga, um quinto (20%) deve estar reservado para o estágio obrigatório.

Então, se você quer atuar na área, precisa se programar para encarar todo esse tempo de estudos.

O que muita gente se pergunta, no entanto, é se dá para adiantar o curso e fazer a graduação em Direito em menos tempo – estudando a distância, de casa, por exemplo? Será que rola?

Vamos ver a seguir!

Duração do curso de Direito a distância

Direito é um curso essencialmente teórico. Durante os cinco anos de estudos, os alunos têm que encarar uma verdadeira maratona de leituras.

Esse perfil se encaixa bem nos cursos a distância. De casa, do trabalho ou de qualquer outro lugar o estudante acessa o ambiente virtual e estuda a matéria correspondente na hora que quiser, no ritmo que for melhor pra ele. É claro que tem prazos para cumprir e trabalhos para fazer, mas entre uma coisa e outra é possível estudar da forma que julgar mais adequada.

Tamanha flexibilidade leva muita gente a pensar que dá para adiantar o curso a distância e se formar mais cedo. Bom, não é bem assim. A faculdade não pode descumprir o quesito de carga mínima obrigatória, que vale tanto para cursos a distância quanto para os presenciais.

E tem mais. Infelizmente, Direito não está disponível no formato a distância por enquanto. Pode ser que surja essa opção daqui a alguns anos mas, até lá, os alunos terão que estudar da forma tradicional, em sala de aula, de segunda a sexta, no horário combinado.

Cursos mais rápidos na área de Direito

Se o seu lance é entrar mais rapidamente no mercado de trabalho e com um diploma de nível superior, nós temos algumas sugestões na área do Direito.

São cursos mais curtos, com tempo de formação que varia de dois a três anos e com uma grande vantagem: estão disponíveis também na modalidade a distância.

Estamos falando dos tecnólogos, ou cursos superiores de tecnologia. Eles preparam profissionais para áreas específicas de uma determinada profissão.

No caso do Direito tem opções para quem quer trabalhar com investigação e perícia, serviços penais, segurança pública e gestão ambiental.

Conheça:

• Investigação Forense e Perícia Judicial: Com duração de três anos, forma o profissional para atuar na área de inteligência e investigação. No roteiro de estudos há matérias como: prevenção de fraudes, tipos de crime, armas, medidas preventivas, perícia, avaliação e laudos.

• Serviços Penais: Com dois anos de duração, prepara o profissional para trabalhar na gestão de serviços penitenciários – desde a política de reinserção social de ex-detentos até projetos de melhoria de condições de vida dos encarcerados, por exemplo.

• Gestão Ambiental: A graduação dura dois anos e prepara gestores para atuar no planejamento, coordenação e execução de atividades relativas à preservação e recuperação do meio ambiente, inclusive nas questões de legislação ambiental. É um dos tecnólogos mais populares do Brasil.

• Segurança Pública: Também com dois anos de estudos, o curso habilita gestores para atuar no planejamento e execução de ações na área. Isso envolve conhecer bem legislação penal, defesa civil e os processos de segurança e ordem pública.

Não custa lembrar que os tecnólogos citados acima não têm o mesmo leque de atuação de um bacharel de Direito. Eles não podem ser advogados, por exemplo, nem assumir cargos como procurador, delegado, juiz, etc.

O diploma obtido em um curso de tecnólogo é de nível superior. Quem estudar a distância pode atuar normalmente na área escolhida, prestar concursos de nível superior e seguir os estudos em pós-graduações – desde que tenha feito o curso numa instituição de ensino reconhecida pelo MEC.

O que eu preciso saber sobre o curso de Direito?

Tente resolver o dilema: Direito é um curso popular porque é oferecido em quase mil faculdades pelo país ou é oferecido em tantas faculdades porque é popular?

Independentemente da resposta, estamos diante de uma das graduações mais desejadas do Brasil, que forma profissionais respeitados no mercado e, claro, com portas abertas para receber bons salários.

Por ano, as faculdades brasileiras oferecem aproximadamente 250 mil vagas em Direito. Pode parecer muito, mas elas não dão conta de abrigar os mais de um milhão de interessados no curso.

Quem conseguir entrar terá, ao longo de cinco anos de estudos, uma carga pesada de leituras, reflexões e discussões acaloradas sobre temas polêmicos.

Pode acreditar: é tanta legislação, direitos, códigos e interpretações possíveis que os cinco anos vão parecer pouco.

Nos primeiros semestres do curso, o aluno será apresentado às teorias gerais do Direito e em alguns tópicos das Ciências Humanas. Conforme vai avançando, o conteúdo vai se tornando mais técnico e específico. Entram em pauta, por exemplo, Direito Civil, Penal e Constitucional.

E nesse ritmo os alunos vão se aprofundando nas teorias da área até o momento das práticas jurídicas, nos últimos anos de estudos. É aqui que entram o estágio supervisionado, as práticas simuladas, a prestação de serviços à sociedade e a elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Na área jurídica, o profissional pode atuar como juiz de direito, procurador da república, defensor público, etc.– todos esses cargos exigem passar em um concorridíssimo concurso público.

Na área de advocacia, pode trabalhar como advogado trabalhista, tributário, de recuperação judicial, contencioso cível empresarial, de arbitragem, etc.

Fora isso, pode abrir seu próprio escritório ou prestar consultoria.

Lembre-se que para atuar como advogado o profissional precisa passar pelo temido exame da Ordem dos Advogados do Brasil, a OAB.

Onde estudar Direito?

Com tanta faculdade de Direito à disposição, é fácil se perder na escolha. Se você está pensando em entrar neste curso ou já prestou vestibular sabe bem do que a gente está falando.

Conseguir vaga em uma universidade pública vai exigir muito, muito estudo. A concorrência está sempre nas alturas. É comum Direito figurar entre os cursos mais disputados dos principais processos seletivos.

Já nas faculdades particulares, que detêm mais de 90% de todas as vagas em Direito no Brasil, a concorrência é mais suave. O difícil aqui é saber onde estudar.

A nossa dica é: se você escolher uma instituição bem avaliada pelo Ministério da Educação, já tem meio caminho andado. Essa é a garantia de que seu diploma será bem aceito no mercado de trabalho.

Para ajudar na sua busca, fomos atrás de algumas instituições de qualidade, reconhecidas pelo MEC, que oferecem o curso. Ah, e todas elas também têm opções de tecnólogos na área de Direito!

Confira:

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA) 

Universidade Estácio de Sá (UNESA) 

Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) 

Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 

Universidade de Franca (UNIFRAN) 

Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais 

Veja também:

Que nota preciso tirar no ENEM pra passar em Direito

E aí, vai cursar Direito? Conte para a gente aqui nos comentários!