Medicina é o curso dos sonhos da maioria das pessoas que querem trabalhar na área da saúde.

E a gente sabe bem por quê: a carreira de médico, além de gratificante, rende uma das remunerações mais altas do país! E praticamente não existe médico sem trabalho por aqui – a taxa de empregabilidade beira os 100%, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Além de tudo isso, há um gigantesco campo de atuação de Norte a Sul do Brasil.

Por outro lado, até chegar lá o aspirante a médico terá que encarar um caminho que é uma verdadeira pedreira. O desafio começa bem antes do curso, ainda no vestibular. Medicina é o curso mais concorrido e mais difícil de passar no Brasil.

Uma vez dentro da universidade, o estudante terá diante de si a graduação mais longa do país. Até obter o tão sonhado diploma serão necessários anos e anos de estudos e dedicação em tempo integral.

Está animado para encarar o desafio? Então descubra a seguir quanto tempo dura Medicina, se existe alguma forma de fazer a graduação em menos tempo e quais são as modalidades de ensino disponíveis. Aproveite para conferir algumas dicas de faculdades reconhecidas onde você pode fazer o seu curso!

Quanto tempo dura Medicina?

Você sabia que para fazer Medicina é preciso cumprir uma carga horária de, no mínimo, 7.200 horas? Isso dá nada menos que seis anos para concluir o curso!

Achou muito? Pois tem mais. O diploma obtido após todo esse tempo permite apenas que o médico atue como clínico geral. Se estiver em busca de uma especialização como oftalmologia, ginecologia, dermatologia ou otorrinolaringologia, por exemplo, terá que dispor de mais dois ou três anos de estudos, só para começar.

Se você fizer as contas vai ver que, em alguns casos, o profissional precisa estudar mais de uma década para finalmente entrar no mercado de trabalho.

Em relação às demais graduações, mesmo as da área da Saúde, é um tempo considerável.

Essa duração é determinada pelo Ministério da Educação (MEC) e todas as faculdades de Medicina têm que cumpri-la, obrigatoriamente.

Mas será que é possível dar um gás nos estudos, adiantar alguns semestres e se formar em Medicina em menos tempo?

Veja a resposta a seguir.

Dá para concluir o curso de Medicina em menos tempo?

O curso de Medicina é tão puxado, mas tão puxado, que mesmo que fosse permitido, poucos alunos conseguiriam terminar os estudos em menos de seis anos.

É que as matérias são super densas e vão exigir um mergulho muito aprofundado por parte dos estudantes. Imagine ter que conhecer minuciosamente como funciona cada parte do nosso corpo, os tecidos, a musculatura, a rede neural, o comportamento das células, a reação a determinado medicamento...

A resposta à pergunta do título é: não, não tem como adiantar o curso de Medicina.

Nem estudando no formato a distância, que costuma ser mais flexível? Bom, para essa questão temos duas respostas:

•1. Por determinação do Ministério da Educação, todos os cursos a distância precisam seguir a mesma carga horária dos tradicionais. A única diferença é o formato pelo qual o estudante tem acesso aos conteúdos. Nos cursos virtuais, as disciplinas são apresentadas em um ambiente virtual de aprendizagem, na internet. Lá o aluno pode consultar todos os textos, vídeos, apostilas e animações de cada uma delas. Ele também pode interagir com professores, tutores e colegas de turma. Mesmo cursos a distância têm uma carga horária presencial, destinada a provas finais, trabalhos, aulas práticas, etc.

2. Medicina ainda não está disponível na modalidade a distância. Nem o MEC nem o Conselho Federal de Medicina (CFM) autorizam a realização de cursos nesse formato. Portanto, fique de olho. Caso veja alguma faculdade com oferta de Medicina em tempo recorde ou online, desconfie na hora!

Cursos na área da Saúde que podem ser feitos em menos tempo

Bom, na prática todos os cursos da área da Saúde podem ser feitos em menos tempo do que Medicina. Enfermagem, Farmácia e Odontologia, por exemplo, duram cinco anos. Biomedicina e Nutrição, quatro.

Mas se você quer saber se tem curso ainda mais curto na área, a resposta é: sim, existem alguns!

Encontramos pelo menos três cursos superiores de tecnologia (ou tecnólogos) na área de Saúde que você pode fazer em metade do tempo de Medicina.

Claro que eles não vão habilitar o tecnólogo a atuar como médico, mas sim desempenhar algumas funções bem específicas na área da Saúde.

Veja quais são:

  • Radiologia: É um dos cursos mais procurados entre os tecnólogos. Nele, os alunos aprendem a lidar com a tecnologia de obtenção de imagens médicas por meio de equipamentos diversos.
  • Gestão Hospitalar: Habilita o profissional a administrar instituições de saúde em geral.
  • Sistemas Biomédicos: Forma profissionais especializados em instalar e operar equipamentos da área médica.

Sobre o curso de Medicina

Os seis anos de duração e o tempo de especialização não afugentam aqueles que realmente querem fazer Medicina.

Quem está se preparando de verdade para conquistar uma vaga no curso já tem ideia de como vão ser os próximos anos.

O curso é repleto de atividades práticas. O aluno vai passar horas e horas dentro de laboratórios ou em contato com pacientes em hospitais, clínicas e centros de saúde. Para se dar bem aqui vai ser preciso ter a Medicina 24 horas por dia na cabeça!

A graduação pode ser encontrada em mais de 200 instituições de ensino pelo Brasil. Mais da metade está na rede particular.

O curso é dividido em três momentos: o básico, o clínico e o internato.

No básico, os alunos aprendem os fundamentos das ciências médicas. Aqui forma-se a base teórica que os médicos levarão para toda a vida profissional. Eles vão aprender sobre o corpo humano e o seu funcionamento, além de fazer os primeiros experimentos em laboratórios de Anatomia, Biofísica, Biologia e Fisiologia.

No ciclo clínico, os alunos vão fazer uma imersão no universo das doenças: suas causas, evolução, tratamento, cura e prevenção. Nesse momento eles terão os primeiros contatos com pacientes.

No internato, que começa a partir do quinto (e penúltimo) ano de estudos, o aluno irá colocar em prática o que aprendeu até então. Sob a supervisão de médicos profissionais, ele vai atender pacientes, ajudar cirurgiões, realizar procedimentos mais simples e até cumprir plantões em unidades de emergência.

Depois de concluir o curso, se quiser avançar nos estudos dá para escolher uma das mais de 50 especialidades médicas reconhecidas. Na lista das mais comuns estão Cardiologia, Cirurgia Geral, Cirurgia Plástica, Dermatologia, Ginecologia e Obstetrícia, Ortopedia, Pediatria e Psiquiatria.

Desde 2014 os alunos de Medicina precisam cumprir estágio obrigatório no Sistema Único de Saúde (SUS), na atenção básica e no serviço de urgência e emergência. A duração mínima desta etapa é de dois anos.

Onde estudar Medicina?

Por ano são oferecidas mais de 20 mil vagas em Medicina – parece muito, mas elas não dão conta de atender à quantidade de inscritos nos processos seletivos: nada menos que 1,2 milhão de candidatos!

Se você tem planos de tentar vaga em universidade pública, precisa estar preparado para superar uma concorrência média nacional de 75 candidatos por vaga. Achou muito? Pois saiba que, dependendo da instituição, a disputa pode ser ainda mais acirrada!

Nas particulares, a concorrência média pode chegar a 30 candidatos por vaga.

Outro empecilho para fazer Medicina, além da concorrência, é o valor das mensalidades nas faculdades particulares. Mas para isso o governo federal oferece algumas soluções interessantes. É possível disputar uma bolsa de estudos pelo Programa Universidade para Todos, o ProUni, ou tentar um financiamento a juros baixos e prazo longo com ajuda do Fundo de Financiamento Estudantil, o FIES. Em ambos os casos é necessário se encaixar nos critérios de seleção estabelecidos pelo MEC e ficar atento às datas de abertura de inscrições.

Na hora de bater o martelo sobe a faculdade onde você vai estudar, certifique-se de que a instituição seja reconhecida e o curso tenha autorização do MEC para funcionar.

Conheça a seguir algumas faculdades interessantes onde você pode fazer o curso de Medicina com a certeza de que irá investir numa formação de qualidade.

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA) 

Universidade Estácio de Sá (UNESA) 

Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 

Universidade de Franca (UNIFRAN) 

Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais

Todas as faculdades da nossa lista participam do ProUni e do FIES, além de terem programas próprios de descontos, bolsas de estudos e parcelamento facilitado das mensalidades.

Veja também:

Quanto custa estudar Medicina?

Vai cursar Medicina? Está bem preparado? Conte para a gente onde você vai tentar vaga!