Você gosta de desafios, é comunicativo, tem facilidade para relacionamentos interpessoais, não se assusta com a ideia de ler e estudar constantemente e quer fazer a diferença na vida das pessoas? A advocacia pode ser uma carreira interessante a seguir.

Com diversas possibilidades de atuação e salários que podem superar os R$ 35 mil, o curso de Direito está entre os mais concorridos em processos seletivos como vestibular, Sisu e ProUni.

Conheça as principais atividades de um advogado, os caminhos dessa profissão, como está o mercado de trabalho e onde estudar Direito!

O que faz um advogado

Vamos começar pelo mais básico: o que faz um advogado? Em linhas gerais, podemos dizer que é o profissional que representa os interesses de pessoas físicas ou jurídicas entre si ou perante o Estado. Tudo o que ele faz na área parte dessa base, mas há uma enorme gama de atividades e especializações que um advogado pode seguir.

Veja a seguir algumas das principais especializações dentro do Direito. Vamos falar até de atividades menos conhecidas ou mais modernas, todas muito interessantes!

Direito Administrativo: É o ramo do Direito que trata de princípios e regras que fiscalizam órgãos e agentes públicos.

Direito Civil: Trata do conjunto de normas reguladoras dos direitos e obrigações das pessoas físicas e jurídicas e seus bens e relações na condição de membros da sociedade. Quer um exemplo? Uma ação de despejo por não pagamento de aluguel é da alçada do advogado especializado em Direito Civil.

Direito Constitucional: É o ramo do Direito especializado no estudo e interpretação da Constituição, ou seja, das leis máximas do País.

Direito Eleitoral: É o ramo do Direito que estuda os processos eleitorais e sua legislação. Os profissionais atuam, por exemplo, com impugnação de candidaturas, análise de prestação de contas de candidatos e partidos, etc. Como advogado de um réu, pode defendê-lo de acusações na área eleitoral.

Direito Penal: São as regras criadas pelo Estado a fim de proteger a sociedade como um todo e evitar que crimes sejam cometidos.

Direito Trabalhista: É o conjunto de normas jurídicas que regula as relações entre empregados e empregadores. É da competência do advogado trabalhista representar um empregado que processa uma empresa por não pagar suas horas extras, por exemplo.

Agora vamos tratar dos ramos do Direito que surgiram recentemente, ainda com poucas pessoas especializadas – e que podem ser um excelente nicho para você!

Direito de Moda: Há diversas questões relacionadas à indústria da moda que podem ser tratadas por profissionais de Direito, como propriedade intelectual (um exemplo é uma marca processar a outra por cópia de algum modelo), trabalho escravo contemporâneo, trabalho infantil, tráfico de pessoas, pirataria, transações comerciais nacionais e internacionais, problemas de importação e exportação, concorrência desleal, plágio, questões ambientais e de sustentabilidade.

Direito Desportivo: Regula os esportes em todas as suas dimensões, desde casos de doping até abuso de poder por parte dos dirigentes.

Direito Homoafetivo: Trata-se do Direito relacionado à união de casais do mesmo sexo e seus desdobramentos, como o pleito por pensão e herança em caso de morte, direito à pensão alimentícia e adoção de filhos.

Propriedade Intelectual: Área que, por meio de leis, garante a inventores ou responsáveis por qualquer produção intelectual – seja nos domínios industrial, científico, literário ou artístico – o direito de obter recompensas financeiras por sua criação.

Mercado de trabalho e remuneração na área de Direito

Como vimos, o Direito pode englobar uma variedade enorme de áreas de atuação. Muitas delas são tratadas durante a graduação, enquanto outras necessitam de especialização e algumas ainda nem têm cursos de pós-graduação no Brasil.

Embora as faculdades formem milhares de bacharéis em Direito todos os anos, o mercado tende a absorver profissionais mais qualificados.

Além de trabalhar como empregado de um escritório de advocacia, o advogado pode atuar de forma autônoma, em seu próprio empreendimento. Em empresas, cuida de casos relacionados a direito eletrônico, fusões e aquisições, regulação de mercados, direito ambiental, etc.

Outra possibilidade muito procurada pelos bacharéis em Direito são os concursos públicos, que são acirradíssimos (muita gente estuda anos e anos para conseguir passar em um) mas oferecem a vantagem de uma ótima remuneração e estabilidade profissional.

Com a proliferação dos cursos de Direito e preparatórios para o Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e concursos públicos, a demanda por professores cresceu muito. Se você curte dar aulas, essa é uma boa opção.

Vamos falar agora sobre a remuneração dos advogados. Segundo o Guia de Salários da Robert Half, renomada empresas de recursos humanos, um advogado júnior de Direito Contencioso Cível pode receber entre R$ 3.300 e R$ 7.500, dependendo do porte do escritório. O salário de um advogado pleno fica entre R$ 6.000 e R$ 13.500, enquanto um advogado sênior recebe cerca de R$ 17.000 em escritório de grande porte.

Nas empresas o salário tende a ser um pouco menor, embora não muito. Um advogado júnior recebe entre R$ 3.800 e R$ 5.500, enquanto um sênior ganha R$ 12.300, dependendo do porte da organização.

Na cúpula, o salário do Diretor Jurídico de uma empresa de grande porte pode chegar a R$ 35.000 mensais, enquanto os diretores jurídicos de bancos recebem mais ou menos R$ 40.000.

Como se tornar advogado

A profissão é regulamentada pela Lei nº 8.906, de 4 de julho de 1994 . Para atuar como advogado é necessário cursar Direito em uma instituição de ensino autorizada pelo Ministério da Educação (MEC) e estar registrado na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de seu estado. Para isso, é necessário ser aprovado no temido exame da OAB, realizado três vezes por ano.

O curso de Direito

O curso de Direito é um bacharelado com duração de cinco anos. A grade curricular nos primeiros anos é formada por matérias mais teóricas e generalistas, como Sociologia, Antropologia, Língua Portuguesa, Psicologia, Economia, Teoria do Estado e Ética, aliadas à disciplinas específicas da área que serão aprofundadas nos demais anos, como Direito Civil, Penal, Público, Ambiental, Constitucional, do Consumidor e Tributário.

O estágio não é obrigatório, mas altamente recomendado, uma vez que os escritórios e empresas preferem contratar advogados com alguma experiência. Também é importante assistir a julgamentos e frequentar palestras – algumas delas oferecidas gratuitamente pela OAB.

Ao final do curso, muitas faculdades exigem a apresentação de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

 Onde estudar para se tornar advogado

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer o curso de Direito:

Universidade Norte do Paraná (UNOPAR)

Universidade Estácio de Sá (UNESA)

Universidade de Franca (UNIFRAN)

Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)

Universidade Cidade de São Paulo (UNICID)

Faculdade Unime (UNIME) – na Bahia

Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais

Centro Universitário UNISEB (UNISEB-Estácio)

Centro Universitário do Distrito Federal (UDF)

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)

Veja também:

Quanto ganha um advogado?

Está interessado em seguir carreira como advogado? Conte para a gente nos comentários!