A Engenharia Biomédica é um dos cursos mais recentes no ramo das engenharias e está em alta. Uma das características principais desta graduação é a multidisciplinaridade, ou seja, alia conhecimentos de várias áreas, como Física, Química, Matemática, Biologia e Medicina.

Seu principal objetivo é desenvolver novas tecnologias que ajudem médicos, enfermeiros, dentistas e outros profissionais da Saúde na prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças. Um engenheiro biomédico pode, por exemplo, desenvolver equipamentos hospitalares, próteses, órgãos artificiais, programas de computador utilizados em exames de diagnóstico e muito mais.

Entenda como funciona o curso de Engenharia Biomédica, o que se estuda e onde é possível trabalhar depois de formado. Conheça também as principais universidades que oferecem esta graduação.

Como é o curso de Engenharia Biomédica?

O curso de Engenharia Biomédica tem duração de cinco anos, possui uma carga horária intensa e exige de seus alunos muita dedicação aos estudos.

Como o nome sugere, esta graduação alia disciplinas das engenharias (como Matemática, Física, Informática, Eletrônica, etc.) com matérias de Biologia e Medicina.

A carga horária é distribuída equilibradamente entre disciplinas teóricas e aulas práticas. Desde o início da graduação o aluno já tem a oportunidade de colocar seus conhecimentos em prática com atividades em laboratórios de informática, desenvolvendo e testando programas computacionais e novos equipamentos.

Durante o curso o estudante aprende a:

  • Solucionar problemas da área médica usando conhecimentos da Engenharia.
  • Elaborar pesquisas científicas sobre materiais e instrumentos biomédicos.
  • Realizar a manutenção de equipamentos médicos, hospitalares e odontológicos.
  • Criar softwares e equipamentos eletrônicos que apoiam médicos em diversas atividades.
  • Planejar o uso e as manutenções dos equipamentos.
  • Calibrar equipamentos médicos.
Para concluir a graduação e receber o diploma de engenheiro biomédico, é preciso realizar um estágio supervisionado na área e elaborar um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

No Brasil, a profissão de engenheiro biomédico é regulamentada por lei. Isto significa que, para exercer suas atividades, o profissional deve ter um diploma de curso superior em uma instituição credenciada pelo MEC e obter um registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do estado onde atua.

O que se estuda em Engenharia Biomédica?

A matriz curricular da Engenharia Biomédica é organizada de maneira diferente em cada instituição de ensino. O nome das matérias oferecidas pode sofrer alterações de uma universidade para a outra.

Destacamos algumas das mais comuns:

  • Anatomia
  • Biofísica dos Sistemas
  • Biomateriais
  • Bioquímica
  • Biossegurança e Segurança Hospitalar
  • Cálculo
  • Computação Eletrônica
  • Eletrônica
  • Estatística
  • Física
  • Medicina Nuclear
  • Microcontroladores
  • Modelagem Matemática e Simulação Computacional
  • Processamento Digital de Sinais
  • Química

Onde um engenheiro biomédico pode trabalhar?

O mercado para engenheiros biomédicos é novo, mas é bastante promissor e está em expansão. Cada vez mais hospitais, clínicas e consultórios utilizam equipamentos eletroeletrônicos para realizar exames, cirurgias ou tratamentos médicos.

Algumas das empresas que contratam engenheiros biomédicos são:

  • Hospitais públicos e privados
  • Clínicas médicas
  • Ambulatórios
  • Laboratórios de diagnóstico por imagem
  • Indústria de equipamentos médicos e hospitalares
  • Centros de Pesquisa
  • Empresas de Biotecnologia
  • Órgãos regulamentadores como Inmetro e Anvisa
  • Universidades
Dentre as áreas mais comuns em que engenheiros biomédicos podem atuar citamos:
  • Engenharia Médica ou Instrumentação – estuda, planeja e desenvolve instrumentos para a área médica, odontológica e hospitalar.
  • Engenharia Clínica ou Hospitalar – elabora projetos de instalações médicas, define quais equipamentos devem ser adquiridos, presta assessoria na compra e manutenção, realiza testes para averiguar a qualidade e exatidão dos equipamentos.
  • Informática em saúde ou informática médica – cria softwares e programas computacionais para auxiliar médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde a utilizarem equipamentos eletroeletrônicos de apoio ao diagnóstico e tratamento. Desenvolve principalmente programas específicos para o processamento de imagens e sinais utilizados em exames como ultrassonografia, ressonância magnética, tomografia, etc.
  • Desenvolvimento de próteses e tecidos artificiais – desenvolve nano-estruturas para a produção de tecidos biológicos e órgãos artificiais. Projeta e constrói próteses médicas.

Onde estudar Engenharia Biomédica?

Ainda são poucas as instituições de ensino no Brasil que oferecem a graduação em Engenharia Biomédica. Na hora de escolher onde estudar é importante verificar se o curso é reconhecido pelo Ministério da Educação.

Conheça algumas das principais universidades credenciadas pelo MEC que possuem o curso de Engenharia Biomédica:

Universidades Privadas:

Universidades Públicas:

Veja também:

Melhores Faculdades de Engenharia Biomédica

Você já conhecia o curso de Engenharia Biomédica? Ficou interessado em cursar esta graduação? Conte para a gente aqui nos comentários!