Desmontar a ideia de que existe uma "escolha certa", para toda a vida. É assim, derrubando o mito de que a decisão profissional que se toma ao fim do Ensino Médio é para sempre, que começa o trabalho de orientação vocacional da clínica de psicologia Ana Maria Poppovic, na Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC-SP).  "Nunca se pode saber se a escolha será certa...só se sabe se a escolha é certa depois de feita e no decorrer do que se escolhe", comenta a Mestre em Psicologia Social, Professora e Supervisora de Estágio em Orientação Profissional da PUC-SP Patricia Maria Galvão Cintra Mortara.

[Ache os cursos e faculdades ideais para você!]

Ao longo de dez a doze semanas, sob a orientação de especialistas e por meio de dinâmicas de grupo, o serviço de orientação profissional da PUC-SP dá aos participantes a oportunidade de refletir sobre a escolha da carreira, ampliar seu conhecimento sobre possibilidades de campo de trabalho, pensar sobre seus projetos de futuro, conhecer suas habilidades e, ao final, tomar uma decisão com maior segurança e tranquilidade.

Criados na década de 1970, os serviços de orientação vocacional, ou orientação profissional, da PUC-SP, da Universidade de São Paulo (USP) e do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) são gratuitos e tem funcionamento semelhante.

O Serviço de Orientação Profissional da USP, SOPI, atende uma média de 700 pessoas por ano. De cada dez pessoas que procuram o SOPI, seis estão concluindo o Ensino Médio. Mas as dúvidas sobre a carreira não são uma exclusividade dos pré-vestibulandos. "Vem crescendo anualmente a procura por universitários que não estão gostando do curso ou ainda que querem planejar a carreira, adultos em crise profissional ou desempregados, além de pessoas que precisam ou gostariam de se preparar para a aposentadoria", conta Dra. Maria da Conceição Uvaldo, Psicóloga do Serviço de Orientação Profissional da USP e Presidente da Associação Brasileira de Orientação Profissional. Ela ressalta que as decepções e desistências de cursos estão ligadas "à pouca reflexão na escolha, pouco conhecimento do curso, não conhecer a faculdade que vai estudar, enfim ao não comprometimento com o próprio processo de escolha."

No CIEE de São Paulo, cerca de 30 pessoas procuram a ajuda do Grupo de Orientação e Informação Profissional todos os meses para fazer essa escolha. Giovana Cecília de Souza, Assistente de Orientação e Informação Profissional do CIEE, conta que muitos jovens chegam com uma intenção de optar por cursos tradicionais e já consolidados no mercado, como Administração e Direito, "por influência da família, amigos e mídia".  É comum que o participante do grupo de orientação vocacional mude de ideia no decorrer dos encontros. "É papel do Orientador Profissional apresentar outras profissões muitas vezes desconhecidas dos integrantes do grupo", diz Patrícia Mortara, da PUC-SP.

Como fazer a escolha certa?

Especialistas em orientação profissional não falam em uma "escolha certa" ou "escolha errada", mas sim numa escolha madura, segura. Pedimos à Giovana Souza, Patrícia Mortara e Maria da Conceição Uvaldo algumas dicas para ajudar quem vai fazer o vestibular e está na dúvida sobre qual curso escolher. Além de procurar o serviço de Orientação Vocacional, elas recomendam:

  • Pesquisar, pesquisar, pesquisar! Consultar várias fontes de informação (guias, sites, visitas à faculdades, conversar com os alunos, profissionais etc.)
  • Assistir a uma aula do curso que tenha interesse
  • Participar de palestras e eventos relacionados à profissão de interesse
  • Investir no autoconhecimento: entender suas possibilidades e limites, atividades que gosta de realizar, valores e habilidades.
Entre os cuidados a se tomar, as especialistas recomendam buscar fontes confiáveis, comparar informações e evitar analisar apenas um aspecto (status social, remuneração, bolsa de estudo, habilidades pessoais) para que a escolha não seja superficial.

Onde encontrar orientação vocacional?

O serviço de orientação profissional é oferecido em diversas universidades e faculdades, normalmente vinculados aos cursos ou departamentos de Psicologia. Na maior parte das vezes, é um serviço gratuito prestado à comunidade, ou tem uma taxa de contribuição simbólica para ajuda de custo.

Na USP, as inscrições pdoem ser feitas no primeiro semestre, às sextas-feiras. É preciso ter no mínimo 14 anos e não há limite máximo de idade. O atendimento é feito no Instituto de Psicologia da USP e pode ser voltado para estudantes que estão concluindo o Ensino Fundamental, estudantes do Ensino Médio, universitários que desejam mudar de curso ou pessoas que já trabalham e estão pensando em mudar de carreira. Mais informações no site do SOPI.

O CIEE de São Paulo, além do grupo de orientação profissional, também oferece outras atividades relacionadas ao tema. Profissões do Século XXI, Profissões Verdes, Planejamento de Carreira e Empregabilidade são algumas das palestras oferecidas pela instituição.  Veja mais informações no portal do CIEE.

O CIEE também elaborou um curso online gratuito sobre Orientação e Informação Profissional. Para ter acesso, basta fazer a inscrição aqui.

Com duração estimada de três horas, o curso fala de escolhas profissionais, ética, marketing pessoal e a importância do estágio.

A Orientação Vocacional da Clínica Psicológica Ana Maria Poppovic, na PUC-SP, acontece no campus da Rua Monte Alegre. Mais informações no site da clínica.