O curso de medicina oferece diversas possibilidades de carreira para aqueles que o escolhem. Ainda que os 6 anos de faculdade sejam dedicados à formação de médicos generalistas, após a graduação, vem a oportunidade de fazer uma residência médica para construir carreira em uma das diversas especialidades médicas reconhecidas no Brasil – ou, mais precisamente, em uma das 55 especialidades médicas atualmente reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Ficou curioso para saber quais são essas especialidades, e assim conhecer as possíveis carreiras da área de medicina? Então continue a leitura, porque nós vamos te contar tudo que você precisa saber sobre este assunto!

Especialidades e áreas de atuação da medicina

O Conselho Federal de Medicina (CFM) é o órgão responsável por definir – e, de tempos em tempos, atualizar – quais especialidades e áreas de atuação da medicina são reconhecidas no Brasil. Mas qual é a diferença entre estas duas categorias?

Em geral, quando falamos em especialidades, nos referimos àquelas áreas da medicina que requerem um período de residência para a formação do profissional. Assim, o médico especialista tem um título, como cardiologista, psiquiatra, infectologista ou cirurgião plástico.

Este médico especialista, entretanto, pode optar por se especializar ainda mais, por meio de cursos e da sua própria prática profissional, para seguir uma determinada área de atuação. É o caso, por exemplo, do cardiologista que se aprofunda na área de cardiologia pediátrica, ou do psiquiatra que constrói carreira na área de psiquiatria forense.

Outra particularidade das áreas de atuação da medicina é que muitas delas têm caráter multidisciplinar e, por isso, atraem médicos de diversas especialidades. Um exemplo é a área de cirurgia videolaparoscópica, que pode ser um caminho para cirurgiões gerais, cirurgiões do aparelho digestivo, coloproctologistas, ginecologistas, entre outros.

Conheça as 10 especialidades médicas mais procuradas no Brasil

Segundo o Estudo Demografia Médica no Brasil de 2020, realizado em cooperação técnica entre a Universidade de São Paulo (USP) e o Conselho Federal de Medicina (CFM), 10 especialidades médicas concentram 63,6% do total de médicos especialistas no Brasil. São elas:

  • Clínica médica (11,3%)
  • Pediatria (10,1%)
  • Cirurgia geral (8,9%)
  • Ginecologia e Obstetrícia (7,7%)
  • Anestesiologia (5,9%)
  • Medicina do trabalho (4,1%)
  • Ortopedia e traumatologia (4,1%)
  • Cardiologia (4,1%)
  • Oftalmologia (3,6%)
  • Radiologia e diagnóstico por imagem (3,3%)

Um ponto interessante é que, no top 3 desta lista, estão as especialidades de clínica médica e de cirurgia geral, que são pré-requisitos para o curso de residência médica em outras especialidades. Para fazer residência em cardiologia, por exemplo, é preciso ter feito antes uma residência em clínica médica. Da mesma forma, para tornar-se um cirurgião plástico é preciso, antes, tornar-se um cirurgião geral.

Confira as listas das especialidades e áreas de atuação médicas reconhecidas no Brasil

Conforme a Resolução nº 2.221/2018 do CFM, que atualizou a relação de especialidades e áreas de atuação médicas aprovadas pela Comissão Mista de Especialidades, atualmente contamos com 55 especialidades e 59 áreas de atuação médicas reconhecidas no Brasil. Veja abaixo quais são elas.

Especialidades médicas

  1. Acupuntura
  2. Alergia e imunologia
  3. Anestesiologia
  4. Angiologia
  5. Cardiologia
  6. Cirurgia cardiovascular
  7. Cirurgia da mão
  8. Cirurgia de cabeça e pescoço
  9. Cirurgia do aparelho digestivo
  10. Cirurgia geral
  11. Cirurgia oncológica
  12. Cirurgia pediátrica
  13. Cirurgia plástica
  14. Cirurgia torácica
  15. Cirurgia vascular
  16. Clínica médica
  17. Coloproctologia
  18. Dermatologia
  19. Endocrinologia e metabologia
  20. Endoscopia
  21. Gastroenterologia
  22. Genética médica
  23. Geriatria
  24. Ginecologia e obstetrícia
  25. Hematologia e hemoterapia
  26. Homeopatia
  27. Infectologia
  28. Mastologia
  29. Medicina de emergência
  30. Medicina da família e comunidade
  31. Medicina do trabalho
  32. Medicina de tráfego
  33. Medicina esportiva
  34. Medicina física e reabilitação
  35. Medicina intensiva
  36. Medicina legal e perícia médica
  37. Medicina nuclear
  38. Medicina preventiva e social
  39. Nefrologia
  40. Neurocirurgia
  41. Neurologia
  42. Nutrologia
  43. Oftalmologia
  44. Oncologia clínica
  45. Ortopedia e traumatologia
  46. Otorrinolaringologia
  47. Patologia
  48. Patologia clínica/medicina laboratorial
  49. Pediatria
  50. Pneumologia
  51. Psiquiatria
  52. Radiologia e diagnóstico por imagem
  53. Radioterapia
  54. Reumatologia
  55. Urologia

Áreas de atuação médicas

  1. Administração em saúde
  2. Alergia e imunologia pediátrica
  3. Angiorradiologia e cirurgia endovascular
  4. Atendimento ao queimado
  5. Cardiologia pediátrica
  6. Cirurgia bariátrica
  7. Cirurgia crânio-maxilo-facial
  8. Cirurgia do trauma
  9. Cirurgia videolaparoscópica
  10. Citopatologia
  11. Densitometria óssea
  12. Dor
  13. Ecocardiologia
  14. Ecografia vascular com doppler
  15. Eletrofisiologia clínica invasiva
  16. Emergência pediátrica
  17. Endocrinologia pediátrica
  18. Endoscopia digestiva
  19. Endoscopia ginecológica
  20. Endoscopia respiratória
  21. Ergometria
  22. Estimulação cardíaca eletrônica implantável
  23. Foniatria
  24. Gastroenterologia pediátrica
  25. Hansenologia
  26. Hematologia e hemoterapia pediátrica
  27. Hemodinâmica e cardiologia intervencionista
  28. Hepatologia
  29. Infectologia hospitalar
  30. Infectologia pediátrica
  31. Mamografia
  32. Medicina aeroespacial
  33. Medicina do adolescente
  34. Medicina do sono
  35. Medicina fetal
  36. Medicina intensiva pediátrica
  37. Medicina paliativa
  38. Medicina tropical
  39. Nefrologia pediátrica
  40. Neonatologia
  41. Neurofisiologia clínica
  42. Neurologia pediátrica
  43. Neurorradiologia
  44. Nutrição parenteral e enteral
  45. Nutrição parenteral e enteral pediátrica
  46. Nutrologia pediátrica
  47. Oncologia pediátrica
  48. Pneumologia pediátrica
  49. Psicogeriatria
  50. Psicoterapia
  51. Psiquiatria da infância e adolescência
  52. Psiquiatria forense
  53. Radiologia intervencionista e angiorradiologia
  54. Reprodução assistida
  55. Reumatologia pediátrica
  56. Sexologia
  57. Toxicologia médica
  58. Transplante de medula óssea
  59. Ultrassonografia em ginecologia e obstetrícia

Ensino superior na área de saúde

Por proporcionar diversas possibilidades de carreira e, em geral, ótimos salários, o curso de medicina é bastante concorrido tanto em instituições de ensino superior públicas, quanto particulares. Isto, além do fato de se tratar de um curso com mensalidades caras, é muitas vezes visto como um grande obstáculo por muitos alunos.

Entretanto, se você realmente quiser trilhar essa carreira, não deixe isso te desanimar! Estude sério e tente a sorte. Mesmo que você não tenha condições financeiras de arcar com o custo da graduação em medicina em uma faculdade particular, você pode conseguir uma vaga em universidade pública, ou uma bolsa de estudos ou financiamento para estudar em uma faculdade particular.

Qualquer um destes caminhos, contudo, requer muita disponibilidade de tempo para os estudos, e isso acaba sendo um grande empecilho para boa parte dos candidatos, sobretudo para aqueles que trabalham. Se este for o seu caso, pode ser interessante considerar a ideia de cursar outra graduação na área de saúde. As possibilidades são muitas, e há cursos tão legais e importantes quanto o de medicina, como nutrição, fisioterapia, odontologia, enfermagem, psicologia e educação física.

Confira, abaixo, algumas ótimas opções de faculdades que oferecem cursos na área de saúde. Todas elas são reconhecidas e bem avaliadas pelo Ministério da Educação (MEC) e trabalham com ensino presencial e a distância (EAD).

Confira:

 

Veja também: Descubra onde tem teste vocacional grátis.

E você, pretende seguir carreira na área de saúde? Conta pra gente nos comentários!